Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

12 de dezembro de 2010

Can - Discografia.

Can (The Can até 1970) foi uma banda de rock experimental fundada na Alemanha em 1968. 

Uma das mais importantes bandas do movimento krautrock, o Can possuía uma estilo musical baseado em bandas de rock de garagem como The Velvet Underground, com influência na música experimental.

O som do Can não podia ser definido em apenas um estilo. A arquitetura musical deles parecia singela, mas ao mesmo tempo era muito estudada. O grupo foi criado a partir de um núcleo de instrumentistas alemães interessados em jazz de vanguarda e música clássica, mas abertos às experiências com o psicodelismo, minimalismo e colagens sonoras.

Não foi à toa que eles sempre foram considerados pioneiros no uso de tapes e loops. Tudo isso a serviço de um processo de criação instantânea e espontânea, derivado do free jazz.

Em sua primeira formação, o Can tinha os quatro integrantes originais, mais os americanos Malcolm Mooney (o vocalista, negro) e David Johnson (sopros).

Na época, os shows deles podiam virar uma maratona musical de até sete horas de duração, com os caras viajando em ritmos hipnóticos e atmosferas compostas de ruídos. Nessas apresentações, inusitadas mesmo para os padrões progressivos da época, os caras costumavam tocar sentados, o que levou um jornalista mais ferino a escrever que “o Can ao invés de tocar instrumentos elétricos em cadeiras de madeira, deveria tocar instrumentos de madeira em cadeiras elétricas”.

Em 1970 o grupo gravou seu álbum de estreia, “Monster Movie”. Em seguida, Mooney foi afastado por “problemas mentais” e substituído pelo japonês Kenji “Damo” Suzuki, descoberto cantando em uma rua de Munique. Com ele, o Can registrou seus discos mais célebres: “Soundtracks”(1970), “Tago Mago”(1971), “Ege Bamyasi”(1972) e “Future Days”(1973, o único a ser lançado no Brasil).

Daí Suzuki saiu da banda (pois virou testemunha de Jeová), mas o Can prosseguiu em uma linha étnica, com um som que tangenciando o dub como a world music, antes destes termos serem conhecidos.

Czukay, Liebezeit, Karoli e Schmidt tocaram o barco, alternando as gravações do grupo com trabalhos solo e projetos paralelos. Criando um séquito de admiradores que poderia ir de Mark E. Smith (que compôs “I Am Damon Suzuki”) aos brasileiros do Akira S & As Garotas que Erraram. Sem contar grupos contemporâneos como o Stereolab e o pessoal que trabalhou em “Sacrilege”, o recém-lançado álbum de remixes do Can. Texto: Wikipédia. 

Integrantes.

Holger Czukay (Baixo, Engenharia de Som e Eletrônicos)
Michael Karoli (Guitarra, Vocal e Violino)
Jaki Liebezeit (Bateria e Percussão)
Irmin Schmidt (Teclado e Vocal)
Malcolm Mooney (Vocal, 1968-1970, 1986-1991)
Damo Suzuki (Vocal, 1970-1973)
David Johnson (Sopros, Eletrônicos e Manipulação de Fita, 1968)
Manni Löhe (Vocal, Percussão e Flauta, 1968)
Rosko Gee (Baixo, Vocal, 1977-1979)
Rebop Kwaku Baah (Percussão, 1977-1979)
Michael Cousins (Vocal, Abril de 1976)

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro


Álbuns.

The Can - Delay (1968)
01. Butterfly
02. Pnoom
03. Nineteen Century Man
04. Thief
05. Man Named Joe
06. Uphill
07. Little Star of Bethlehem
 


Link.

The Can - Monster Movie (1969)
01. Father Cannot Yell
02. Mary, Mary so Contrary
03. Outside my Door
04. Yoo Doo Right
 


Link.

Soundtracks (1970)
01. Deadlock
02. Tango Wiskyman
03. Deadlock (Titelmusik) 
04. “Don’t Turn the Light on,” Leave me Alone
05. Soul Desert
06. Mother Sky
07. She brings the Rain
 

Link.

Tago Mago (1971)
01. Paperhouse
02. Mushroom
03. Oh Yeah
04. Halleluhwah
05. Aumgn
06. Peking O
07. Bring me Coffee or Tea
 


Link.

Ege Bamyasi (1972)
01. Pinch
02. Sing Swan Song
03. One More Night ck
04. Vitamin C
05. Soup
06. I’m So Green
07. Spoon
 


Link.

Future Days (1973)
01. Future Days
02. Spray
03. Moonshake
04. Bel Air 


Link.

Soon Over Babaluma (1974)
01. Dizzy Dizzy
02. Come sta, La Luna
03. Splash
04. Chain Reaction
05. Quantum Physics 


Link.

Landed (1975)
01. Full Moon On The Highway
02. Half Past One
03. Hunters And Collectors
04. Vernal Equinox
05. Red Hot Indians
06. Unfinished 


Link.

Flow Motion (1976)
01. I Want More
02. Cascade Waltz
03. Laugh Till You Cry, Live Till You Die
04. …and More
05. Babylonian Pearl
06. Smoke (E.F.S. No. 59) 
07. Flow Motion 

Link.

Saw Delight (1977)
01. Don’t say No
02. Sunshine day and Night
03. Call me
04. Animal Waves
05. Fly by Night
 


Link.

Out of Reach (1978)
01. Serpentine
02. Pauper’s Daughter and I
03. November
04. Seven Days Awake
05. Give Me No “Roses”
06. Live Inobe God
07. One More Day 


Link.

Can (1979)
01. All Gates Open
02. Safe
03. Sunday Jam
04. Sodom
05. Aspectacle
06. Ethnological Forgery Series No. 99
07. Ping Pong
08. Can Be
 


Link.

Rite Time (1989)
01. On The Beautiful Side Of A Romance
02. The Without Law Man
03. Below This Level (Patient’s Song) 
04. Movin’ Right Along
05. Like A New Child
06. Hoolah Hoolah
07. Give The Drummer Some
08. In The Distance Lies The Future 

Link.

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

E-mail de contato para links quebrados ou outros problemas: murodoclassicrock@gmail.com

Antes de comentar leia as regras que estão próximas do formulário, comentários desrespeitando as mesmas, não serão publicados e nem atendidos.

16 comentários :

  1. Muito boa a banda ao lado de Jane e Eloy são melhores banda alemãs, porém acho jane um pouco mais próximo do progressivo e Can e Eloy mergulhadas no Krautrock. Todos devriam ouvir.

    ResponderExcluir
  2. Essa banda é maravilhosa, uma das poucas que são geniais do começo ao fim.

    ResponderExcluir
  3. ALEX ERES UN GENIO.DEBERIA EXISTIR TAMBIEN UN MURO PARA EL ROCK PROGRESIVO.SALUDOS PARA TODOS LOS QUE VEN ESTE PORTAL.MEXICO

    ResponderExcluir
  4. Eu me pergunto porque uma banda desse nível não é reconhecida, ótimo não ser banalizada, mas as pessoas que dizem amar a música deveria dar mais atenção ao kraut, especialmente ao Can.

    ResponderExcluir
  5. concordo com a Geovana essa banda é muito boa mas não o reconhecimento merecido.

    ResponderExcluir
  6. thanks for sharing

    ResponderExcluir
  7. Sensacional seu blog, tive um blog muito tempo chamado Acorde Final, mas o seu é fantástico. Parabéns.

    ResponderExcluir
  8. Muchisimas gracias desde Suiza - gran aporte!
    Herzlichen Dank - super!!!

    ResponderExcluir
  9. Obrigado, obrigado, obrigado !!!

    ResponderExcluir
  10. Richard Marra23/10/2013 22:46

    \o/ Muito fóda \o/
    Destaque pra Thief do primeiro disco
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  11. Gracias Alex mitico y fabuloso krautrock !!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Hermano!!!
    En verdad que buen material, muchas gracias por compartir y no dejar morir éstas gemas que por más que pase el tiempo jamas dejan de brillar. Saludos desde México.

    ResponderExcluir
  13. Gosto da fase (77/79) onde entra o percussionista ganês Rebop (ex-Traffic)

    ResponderExcluir
  14. Holasito companjeros, thanx ever so much, muito obrigado, merci beaucoup und dankeschön - para su esfuerzo ! Keeping one of Germany's best music alive, together we care & rock Pachamama 8-)

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.