12 de dezembro de 2010

Peter Frampton - Discografia.

Em 1976, o inglês Peter Frampton se tornou a maior sensação do ano, vendendo 13 milhões de copias de um disco, em um ano, um recorde sem precedentes até então. Cantor e guitarrista de incrível talento, seu momento de ápice sumiu quase tão rápido quanto apareceu. Mesmo assim, é difícil encontrar alguém que não conheça seu nome. 

História.

Peter Frampton nasceu em 22 de Abril de 1950 na cidade de Beckenham, em Kent, na Inglaterra. Aos sete anos, ouvindo um recital de piano pelo rádio com seus pais, ele seguidamente se queixa de que “algo está errado com este piano.” Seus pais não compreendem a sua reclamação até que ao final da apresentação, o locutor da estação se desculpa, pois, como ele passou a informar, durante a execução, uma folha de partitura caiu e repousou sobre as cordas do piano. A partir daí, seus pais perceberam que seu filho tinha um ouvido especialmente sensível para música.

Aos oito anos, Peter ganhou de presente um ukulele, espécie de cavaquinho havaiano, e sozinho aprendeu uma série de músicas infantis, todas de três acordes. Seu gosto musical incluía Cliff Richards, cujas músicas fariam parte de seu repertório em uma apresentação escolar que também incluiria sua primeira composição própria, um instrumental. Aos nove anos ganhou seu primeiro violão, passando a ter aulas de violão clássico, que embora não fosse a música que ele queria tocar, lhe deu a disciplina e moldou a técnica que, mais tarde, Peter iria desenvolver.

Paralelamente ao material clássico, Frampton ouvia e executava material de B. B. King e Buddy Holly. Os resultados desta mistura de influências e técnica mostraram-se frutíferas quando, ainda aos dez, Peter foi aceito como guitarrista convidado na obscura banda The Little Ravens, composta por colegas bem mais velhos de sua escola. Quem passou a cantar com ele foi o então desconhecido David Jones, mas tarde rebatizado David Bowie, que admirava o menino que já tocava bem melhor do que o guitarrista fixo de sua outra banda, George & the Dragons. O pai de Peter era professor de Bowie, então no 2º Grau.

Aos onze Peter formou sua primeira banda, the Truebeats, compondo então uma serie de instrumentais que formaria o grosso do repertório. Frampton e Bowie tocariam juntos ocasionalmente durante todo o período de ginásio e 2º Grau, até Bowie sair da escola. Ainda conhecido como Davie Jones, Bowie seguiria sua carreira entrando e saindo de bandas até que com os King Bee's, assina com a Vocalion Records. Frampton, três anos mais novo e ainda na escola, igualmente teria ainda em 1964, o inicio de sua carreira profissional.

Perto de completar quatorze anos, o pequeno fenômeno teve moral para ser aceito em uma outra banda, The Preachers, que tocava uma mistura de material entre funk, soul, blues e rock ‘n’ roll. Seu baterista era Tony Chapman que tocara com os Rolling Stones em uma de suas primeiras formações e era amigo antigo de Bill Wyman. Chapman ao apresentar the Preachers a Wyman, é imediatamente contratado para a sua produtora, a Freeway Music. Wyman acaba produzindo o primeiro compacto dos Preachers, como também contratando Chapman e Frampton como músicos de estúdio para outras produções.

Em 1966, Frampton, então com dezesseis anos, deixaria a escola e entraria no the Herd, obtendo no ano seguinte um contrato com uma gravadora, a Fontana Records. O primeiro compacto do the Herd seria "From the Underworld", um hit que atrai a atenção das revistas teens, que passam a explorar os dotes físicos do guitarrista. O disco de estreia da banda, "From the Underworld" foi seguido em 1968 com "Paradise Lost" e "Lookin' Thru You". Os hits "Paradise Lost" e "I Don't Want Our Loving to Die" garantem mais idolatria teen onde Peter Frampton é declarado "o rosto" (the Face) de 1968.

Peter não demora a se cansar da atenção excessiva da mídia para sua boa aparência e pouco reconhecimento quanto a seu trabalho como músico.

Embora ele e o tecladista Andy Bown compusessem a maior parte do material da banda, o som do the Herd tinha que primeiro satisfazer o gosto e aspirações comerciais de seus empresários, que cada vez mais, obrigam gravações de baladas com arranjos orquestrais. Frampton, insatisfeito, deixa the Herd no final do ano.

No Ano Novo de 1969, Steve Marriot se apresenta pela última vez com sua banda Small Faces. Pouco depois, ele e Frampton se reúnem, com mais Greg Ridley (baixo) e Jerry Shirley (bateria), para formar o Humble Pie na primavera de 1969. A banda, que toca uma mistura de blues, folk e rock, acaba se tornando uma das primeiras “guitar bands” da nova era do rock a abrir a década de setenta. Marriot, ainda sob contrato com a Immediate Records, lança pelo selo o álbum de estreia de sua nova banda, "As Safe As Yesterday Is". Com a Immediate Records indo à falência, seguida de uma mudança de empresário, Humble Pie assina com a A&M Records em 1970.

Excursionando pelos Estados Unidos, a banda se torna a primeira a se apresentar no Shea Stadium desde os Beatles, abrindo para o Grand Funk. Seu novo empresário, Dee Anthony, usa como estratégia de marketing, a de botar a banda excursionando continuamente, abrindo shows de diversas bandas, até conseguir um publico cativo.

É no Humble Pie que Peter Frampton desenvolve muito do que seria o som e estilo que marcaria sua carreira. Pode-se dizer que no início Peter Frampton era um aprendiz de Steve Marriot, que lhe ensinou muito sobre como se comunicar com o publico ao vivo. Mas no que se refere ao repertório, Peter como co-fundador, tinha voz ativa em peso de igualdade dentro da unidade. O empresário Antony passa a aconselhar Marriot a puxar a banda mais para o heavy rock e blues, direção oposta do repertório mais melódico que Frampton gostava de dar à banda. Com "I Don't Need No Doctor", Humble Pie consegue seu primeiro hit nos Estados Unidos, ganhando maior aceitação no mercado americano. Porém três anos e cinco álbuns depois, Peter tinha sido transformado em apenas o guitarrista, toda a criatividade musical estando efetivamente nas mãos de Mariott. Percebendo que suas composições melódicas estão servindo cada vez menos para a banda, Frampton prontamente deixa o grupo. Menos de dois meses depois, sai o lançamento do disco ao vivo "Performance - Rockin' The Filmore", que venderia horrores e transformaria o grupo em um mega sucesso.

Tarde demais para voltar atras, Peter se casa com sua namorada desde os tempos de escola, Mary Loveitt, e se muda para Nova York, onde trabalha como músico de estúdio para diversos artistas, entre eles George Harrison e Harry Nilsson. Seu contrato com a A&M Records continuava válido e a gravadora ainda tinha interesse nele, o que facilitou muito o lançamento em 1972 de seu primeiro disco solo "Wind of Change". O disco apresenta uma coleção de rocks e baladas que em reflexão, mostra um artista em busca de seu som. Peter volta a excursionar e viver na estrada, o que efetivamente se torna um peso em seu casamento. Sua banda, batizada Frampton's Camel, é também o nome de seu segundo disco, lançado em 1973. Membros incluem o ex-Spooky Tooth Mick Kellie na bateria, além de Mickey Gallagher e Rick Wills, tecladista e baixista respectivamente.

Peter acabaria se divorciando e pouco depois passa a testar um novo aparelho, o talk box, que lhe permite fazer sua guitarra falar ou se preferir, ele falar com som de guitarra. Deprimido com a esterilidade de sua carreira solo, ele desmonta Frampton's Camel e tira alguns dias de férias indo para as Bahamas, onde compra uma casa. Estando lá, com sua atual namorada Peggy McCall, em um mesmo dia, acaba por compor duas canções que iriam mudar sua carreira. De manhã ele compos a música para "Show Me The Way" e à tarde, enquanto assistia o sol se por, compôs letra e música de "Baby I Love Your Way".

Ao voltar das ferias, grava praticamente sozinho o álbum "Frampton", tocando órgão, baixo, guitarra, piano, teclados, talk box, e vocais. Seu velho parceiro do the Herd, Andy Bown se responsabiliza pela maior parte dos teclados e do baixo e John Siomos fica com a bateria e percussões. Frampton também assina a produção do disco. Seu empresário Dee Anthony, percebendo que a falta de hits em sua carreira poderia limitar as possibilidades do selo continuar com o artista, revive a mesma estratégia que executou com o Humble Pie em seu inicio; excursionar incansavelmente e depois gravar um disco ao vivo.

Embora não sendo um hit, o álbum "Frampton" chegaria em 1975 a disco de ouro, muito graças a disposição de Peter de levar o trabalho para uma longa temporada na estrada. Peter Frampton abre shows para toda banda possível e imaginável nos Estados Unidos, desde ZZ Top, Black Sabbath, Rod Stewart e J. Giels Band. Em San Francisco, resolvem gravar a apresentação que seria realizada em Winterland, famoso reduto roqueiro desde os tempos da psicodelia.

Depois de selecionado e mixado, uma audição para Jerry Moss, dono do selo, foi marcada para que ele possa ouvir e aprovar o material. Ao final, Moss pediu para ouvir mais e com isso o disco "Frampton Comes Alive" se tornou um album duplo. Ao ser lançado, se tornou a coqueluche do momento, vendendo a incrível soma de um milhão de cópias na primeira semana.

Frampton, que estava ainda em meio a uma excursão, abrindo para outros artistas, passa, da noite para o dia, a ser atração principal. O álbum se tornaria o disco mais vendido na historia do rock até então. "Frampton Comes Alive" continua sendo até o presente, o disco ao vivo sem material inédito mais vendido na história, com cerca de 13 milhões de cópias vendidas, só nos Estados Unidos. Ao final de 1976, Peter Frampton terá levantado entre vendas de discos e ingressos para seus concertos, cerca de 70 milhões de dólares, se tornando o artista de maior sucesso do ano.

Não querendo nem podendo parar e prestar atenção para detalhes financeiros, Frampton autoriza seu empresário a contratar uma verdadeira equipe de conselheiros financeiros e contadores enquanto Peter, aproveitando ao máximo o sucesso, continua excursionando. Cansado e querendo férias, ele é forçado pela gravadora depois da excursão a entrar direto para o estúdio e gravar às pressas seu proximo disco. Em função do sucesso absurdo de "Frampton Comes Alive", a A&M já tinha contabilizado pedidos de três milhões de cópias para o próximo álbum. Assim, 1977 trouxe o LP "I’m In You", um disco razoável, e que vendeu bem, embora pouco em contraste com seu predecessor.

No mesmo ano, Peter é convidado a participar junto com os Bee Gees em um filme cuja historia seria baseado nas músicas dos Beatles, chamado Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band. Frampton recusa a oferta até receber uma ligação de Robert Stigwood confirmando a participação de Paul McCartney no filme. Frampton, acreditando que a participação de Paul daria autenticidade à película, assina o contrato concordando em atuar. Somente durante as filmagens ele descobre que o mais perto que ele chegará a um Beatle, será Billy Preston.

Depois das filmagens, Peter resolve aproveitar o verão e descansar, indo para sua casa de praia em Nassau, nas Bahamas, onde encontraria com sua namorada Peggy McCall. Ele então descobre que enquanto ele estava trabalhando, ela, vivendo às suas custas, estava dando inúmeras festas, regadas a whiskey e cocaína, e morando com outro rapaz em sua casa. Peter, abalado emocionalmente, pega o seu carro e começa a correr pelas estradas estreitas da ilha. Pelo caminho, ele acerta um muro, cruza a pista e encontra uma arvore do outro lado.

Do hospital em Nassau ele foi transferido para um hospital em Nova York. Desacordado o tempo todo, Peter Frampton em estado grave, havia quebrado quase todas as costelas, as mãos e os pés; exibia uma fratura exposta no braço direito, com o osso perfurando a pele na altura perto do ombro; tinha um corte profundo que ia da testa do músico até quase o centro da cabeça, e perdeu alguns dentes da frente. Ainda se recuperando no hospital, o filme Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band é lançado e se torna criticamente aclamado como o pior filme de todos os tempos. As carreiras dos Bee Gees como também de Peter Frampton sofreriam imensamente com a publicidade ruim deste filme. Seu empresário tentou manter Frampton nos olhos do publico, tendo sua foto seguidamente aparecendo em artigos de revistas diversas porém a tática acabou não funcionando como planejado. O publico ficou cansado de vê-lo.

Depois que saiu do hospital, se recuperando em casa, na companhia dos pais, Frampton, agora estando com tempo de sobra, descobre que tem perto de $800 mil dólares a receber que nunca chegaram às suas mãos. Aos poucos, quanto mais ele vai escavando, mais vai descobrindo que apesar de ter contratado uma equipe para cuidar devidamente de suas finanças, ele fora traído. A revelação acabou com o ótimo relacionamento entre Peter e Dee Anthony. Peter contempla processar seu antigo empresário e amigo, mas desiste, em parte por reconhecimento de que dificilmente ele teria chegado ao sucesso sem sua ajuda. Peter também percebe que Anthony estava ainda mais quebrado do que ele. Anthony foi inteligente e correto em praticamente tudo relacionado à carreira do guitarrista, mas foi incompetente em assuntos financeiros.

Agora, cuidando pessoalmente de suas finanças, o dinheiro que Frampton conseguiu levantar, ele resolveu aplicar na bolsa de valores. Depois de passar um período deprimido, parte para tentar recuperar sua carreira em 1982 com o disco "The Art of Control". Aceitando o conselho da gravadora, grava um disco puxando para new wave, o que parecia ser o caminho da música moderna. O resultado final foi um disco ruim e despersonalizado que só ajuda a sepultar ainda mais o seu nome no mercado. Pouco depois a gravadora dispensa o artista.

Sem gravadora pela primeira vez em sua vida desde a década passada, Frampton aceita seu destino com relativa serenidade. Sai de cena, casando com sua nova namorada Barbara Goldburg, em '83, que logo daria a luz a sua primeira filha, Jade. O casal se muda para o campo relativamente perto de Los Angeles e vivem uma vida bem modesta. Com a chegada da criança, a vida noturna de Peter acaba e ele passa a viver uma vida mais diurna de acordo com os horários de sua filha.

Em 1986 Frampton consegue negociar um contrato com a Virgin Records, onde grava e lança o disco "Premonition". Monta uma banda e um show para ajudar a divulgar o disco, excursionando os Estados Unidos abrindo para Steve Nicks. No dia 19 de Outubro de 1987, a Bolsa de Valores tem queda recorde e o dia é lembrado como "Segunda-feira Negra". Peter Frampton perde tudo. Suas diversas residências, seus carros, até algumas peças de seu equipamento, incluindo algumas de suas guitarras, tiveram que ser vendidas. Peter passa então a buscar trabalho em Los Angeles como sessionman, trabalhando para outros artistas.

Certa noite David Bowie o procura para parabenizá-lo pelo seu disco. Na conversa com o velho amigo, Bowie pergunta a Frampton se ele pode reservar um tempo para gravar e fazer parte de sua banda. Frampton sabe o significado deste convite e tem seguidamente agradecido publicamente a David Bowie por esta tremenda e necessária oportunidade. Assim, em final de 1987, Bowie lança o disco Never Let Me Down com Frampton como seu guitarrista, passando o proximo ano participando do Glass Spider Tour.

Frampton neste período está feliz, de volta a sua posição preferida, a de guitarrista principal, se apresentando novamente para um grande publico. E pela primeira vez em muito tempo, passa a ser reconhecido pela critica como um guitarrista talentoso.

Depois deste trabalho, em 1990, Frampton e Steve Marriot se juntam novamente e começam a trabalhar em um material que deixa os dois artistas bastante empolgados. Infelizmente antes das gravações serem encerradas, em Abril de 1991, Steve Marriot morre durante um incêndio em sua residência. O material continua inédito até o momento. Frampton novamente entra em uma fase de depressão que culmina com a separação e divorcio de Barbara, sua segunda mulher.

Em 1992, Frampton acaba por montar uma banda nova e leva o grupo para a estrada. Durante a excursão, reencontra com uma velha amiga, Tina Elfers, com quem cassaria em janeiro de 1996, e com quem teria outra filha, Mia. Lança esporadicamente alguns Lp's, entre eles o "Frampton Comes Alive II" que passou quase despercebido e agora o mais recente, "Live in Detroit" tirado do seu show ao vivo no Pine Knob Music Theatre em Detroit, 17 de Julho, 1999. A banda nova é na verdade um conglomerado de velhos amigos.

Bob Mayo nos teclados, Chad Cromwell na bateria, e John Regan no baixo, todos tendo tocado com Frampton em algum ponto de sua já extensa carreira.

Com a virada do milênio, a fábrica de guitarras Gibson, lançou o modelo Frampton de guitarras, com ajuda e especificações vindas do próprio Peter Frampton. O modelo não foi ainda produzido em série e trata-se de um item para colecionador. Seu valor no mercado está no momento calculado em $6 mil dólares.

Peter é hoje pai de quatro crianças, e aparentemente aprendeu a dizer não quando precisa, colocando seus filhos em primeiro lugar na sua vida, antes mesmo de sua carreira. Continua gravando e ocasionalmente levando uma banda para a estrada, mas seu repertório está claramente mais para baladas do que um rock visceral. Mas ele será sempre lembrado como o primeiro guitarrista a vender mais de 13 milhões de cópias de seu álbum em um ano e, no processo, mudado a indústria fonográfica. Texto: Márcio Ribeiro (Whiplash). 

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

Como Baixar.

Álbuns.

The Herd - Paradise (1967)
01. From The Underworld
02. Paradise Lost
03. I Can Fly
04. Goodbye Groovy
05. Mixed Up Minds
06. Impressions Of Oliver
07. Sweet Willian
08. Sad
09. Something Strange
10. Understand Me
11. Our Fairy Tale
12. Miss Jones
13. Fare The Well
14. Sunshine Cottage
15. Come On, Believe Me
16. Diary Of a Narcissist
17. I Don’t Want Our Loving To Die
18. She Loves Me, She Loves Me Not
19. On Your Own
20. On My Way Home 


Wind of Change (1972)
01. Fig Tree Bay
02. Wind of Change
03. Lady Lieright
04. Jumpin’ Jack Flash
05. It’s a Plain Shame
06. Oh for Another Day
07. All I Wanna Be
08. Lodger
09. Hard
10. Alright 


Frampton’s Camel (1973)
01. I Got My Eyes On You
02. All Night Long
03. Lines On My Face
04. Which Way the Wind Blows
05. I Believe (When I Fall In Love With You It Will Be Forever) 
06. White Sugar
07. Don’t Fade Away
08. Just The Time Of Year
09. Do You Feel Like We Do 


Something’s Happening (1974)
01. Doobie Wah
02. Golden Goose
03. Underhand
04. I Wanna Go to the Sun
05. Baby (Something’s Happening) 
06. Waterfall
07. Magic Moon (Da Da Da Da Da!) 
08. Sail Away 


Frampton (1975)
01. Day’s Dawning
02. Show Me the Way
03. ne More Time
04. The Crying Clown
05. Fanfare
06. Nowhere’s Too Far (For My Baby) 
07. Nassau
08. Baby, I Love Your Way
09. Apple of Your Eye
10. Penny for Your Thoughts
11. (I’ll Give You) Money 


Frampton Comes Alive (1976)
01. Intro/Something’s Happening
02. Doobie Wah
03. Lines on My Face
04. Show Me the Way
05. It’s a Plain Shame
06. Wind of Change
07. Just the Time of Year
08. Penny for Your Thoughts
09. All I Want to Be (Is By Your Side) 
10. Baby, I Love Your Way
11. I Want to Go to the Sun
12. Nowhere’s Too Far (For My Baby) 
13. (I’ll Give You) Money
14. Do You Feel Like We Do
15. Shine On
16. White Sugar
17. Jumpin’ Jack Flash
18. Day’s Dawning/Closing 


I’m in You (1977)
01. I’m in You
02. (Putting My) Heart on the Line
03. St. Thomas (Don’t You Know How I Feel) 
04. Won’t You Be My Friend
05. You Don’t Have to Worry
06. Tried to Love
07. Rocky’s Hot Club
08. (I’m a) Road Runner
09. Signed, Sealed, Delivered I’m Yours 


Where I Should Be (1979)
01. I Can’t Stand It No More
02. Got My Feet Back on the Ground
03. Where I Should Be (Monkey’s Song)
04. Everything I Need
05. May I Baby
06. You Don’t Know Like I Know
07. She Don’t Reply
08. We’ve Just Begun
09. Take Me by the Hand
10. It’s a Sad Affair 


Rise Up (1980)
01. You Kill Me
02. I Don’t Wanna Let You Go
03. Rise Up
04. Breaking All The Rules
05. Wasting The Night Away
06. idland Maniac
07. I Can’t Stand It (Live) 
08. I’m in You (Live) 


Breaking All the Rules (1981)
01. Dig What I Say
02. I Don’t Wanna Let You Go
03. Rise Up
04. Wasting the Night Away
05. Going to L.A.
06. You Kill Me
07. Friday on My Mind
08. Lost a Part of You
09. Breaking All the Rules
10. Somebody Been Sleeping
11. Night Town
12. Los Años Locos (Crazy Years) 


The Art of Control (1982)
01. I Read the News
02. Sleepwalk
03. Save Me
04. Back to Eden
05. An Eye for an Eye
06. Don’t Think About Me
07. Heart in the Fire
08. Here Comes Caroline
09. Barbara’s Vacation 


Premonition (1986)
01. Stop
02. Hiding from a Heartache
03. You Know So Well
04. Premonition
05. Lying
06. Moving a Mountain
07. All Eyes on You
08. Into View
09. Call of the Wild 


When All the Pieces Fit (1989)
01. More Ways Than One
02. Holding on to You
03. My Heart Goes Out to You
04. Hold Tight
05. People All over the World
06. Back to the Start
07. Mind over Matter
08. Now and Again
09. Hard Earned Love (Peter Frampton, Jon Dworkow)
10. This Time Around 


Peter Frampton (1994)
01. Day In The Sun
02. You Can Be Sure
03. It All Comes Down To You
04. You
05. Can’t Take That Away
06. Young Island
07. Off The Hook
08. Waiting For Your love
09. So Hard To Believe
10. Out of The Blue
11. Shelter Through The Night
12. Changing All The Time 


Frampton Comes Alive II (1995)
CD 1.

01. Day in the Sun
02. Lying
03. For Now
04. Most of All
05. You
06. Waiting for Your Love
07. I’m in You
08. Talk to Me
09. Hang on to a Dream (Peter Frampton, Tim Hardin) 
10. Can’t Take That Away
11. More Ways Than One
12. Almost Said Goodbye
13. Off the Hook

CD 2.

01. Show Me the Way
02. Baby, I Love Your Way
03. Line on My Face
04. Do You Feel Like We Do (Peter Frampton, Ric Wills) 


Live in Detroit (2000)
CD 1.

01. Introduction
02. Something’s Happening
03. Lying
04. Lines On My Face
05. Show Me The Way
06. All I Wanna Be (Is By Your Side)
07. If You Say Goodbye
08. Oh For Another Day
09. I’ll Give You Money

CD 2.

01. Nassau
02. Baby, I Love Your Way
03. Can’t Take That Away
04. Do You Feel Like We Do
05. Off The Hook
06. You Had To Be There
07. I Don’t Need No Doctor
08. Gemini 


Now (2003)
01. Verge of a Thing
02. Flying Without Wings
03. Love Stands Alone
04. Not Forgotten
05. Hour of Need
06. Mia Rose
07. I’m Back
08. I Need Ground
09. While My Guitar Gently Weeps (Peter Frampton, George Harrison)
10. Greens
11. Above It All
12. No Going Back
13. Cleveland
14. How Long Is Forever 


Fingerprints (2006)
01. Boot It Up
02. Ida y Vuelta (Out and Back)
03. Black Hole Sun
04. Float
05. My Cup of Tea
06. Shewango Way
07. Blooze
08. Cornerstones
09. Grab a Chicken
10. Double Nickels
11. Smoky
12. Blowin’ Smoke
13. Oh When…
14. Souvenirs de Nos Peres (Memories of Our Fathers) 


Soundstage (2007)
CD 1.

01. Off The Hook
02. Lying
03. Lines On My Face
04. Show Me The Wayfloat (Not Aired) 
05. All I Want To Be Is By Your Side
06. Wind Of Change
07. I Need Ground
08. Black Hole Sun
09. Money (Ill Give You) 

CD 2.

01. Can’t Take That Away
02. Nassaubaby I Love Your Way
03. Do You Feel Like We Do
04. I Don’t Need No Doctor
05. While My Guitar Gently Weeps 


Thank You Mr.Churchill (2010)
01. Thank You Mr.Churchill
02. Solution
03. Road To The Sun
04. I'm Due A You
05. Vaudeville Nanna And The Banjolele
06. Asleep At The Wheel
07. Suite Liberte
08. Restraint
09. I Want It Back
10. Invisible Man
11. Black Ice 


Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro


Deixe o seu comentário, isso valoriza e incentiva a continuidade do trabalho.

Todo comentário aparece após a aprovação.

Perguntas, pedidos, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail:

alex.classicrock@yahoo.com.br

Quem insistir em escrever nos comentários ou no meu Facebook, o mesmo será ignorado e o problema não será corrigido.

Links alheios não serão permitidos.

Criticas com palavras de baixo calão também não serão permitidas, se você não gosta de uma banda existem outras pessoas que gostam.

Quem não quiser comentar como anônimo pode utilizar a opção NOME/URL, não é necessário colocar URL, somente o nome.

15 comentários:

  1. O cara já tá meio que vovô e ainda continua tocando demais acompanho desde os anos 70,ah e o blog é fantástico,genial,legal e da hora mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Peter é um guitarrista du cacete e prova que não era apenas um artista preocupado com o sucesso, prova é a sua longevidade e fazendo shows e discos muito bacanas ainda...parabéns pelo blog, se me permite, abrirei um link direto do meu pro seu! Abçs

    ResponderExcluir
  3. Realmente um grande guitarrista e também criador de inesquecíveis canções pop,caso alguns não saibam,frampton tocou em alguns shows ao vivo de Bowie.

    ResponderExcluir
  4. ALEX NÃO BAIXEI NADA, PASSEI APENAS PARA MATAR A SAUDADE DESSE BLOGAÇO, QUA NÃO MINHA OPNIÃO É O MELHOR DO BRASIL DISPARADO, NÃO TÔ AQUI JOGANDO CONFETES POR AQUI JÁ PASSOU MEU CARNAVAL, TÔ ESCREVENDO PORQUÊ TENHO OBRIGAÇÃO DE RECONHECER ESSE LINDO TRABALHO CRIADO POR VOCÊ MEU BROTHER ALEX. O BOM DISSO TUDO É QUE É BRAZUCA, É NOSSO PÔRRA. ESSE BLOG É:.........* P H Ô D A S T I C O *

    ResponderExcluir
  5. Cara falar o que diante de tantas maravilha do rock que este blog tem. feliz sempre por este trabalho Show.

    ResponderExcluir
  6. Show, trabalho maravilhoso.

    ResponderExcluir
  7. Como sempre, parabéns pelo seu excelente trabalho.
    Abraços.
    Petrô
    Presidente Renascidos MotoClube

    ResponderExcluir
  8. Top!
    Thank you very much Muro.
    You're the one brother!

    ResponderExcluir
  9. Que descoberta incrível! Meu amigo me falou do Blog.........mas nunca imaginei que pudesse ser tão completo. Parabéns e obrigada por enriquecer nossos ouvidos. Jussara

    ResponderExcluir
  10. UM ARTISTA COMPLETO. UM GUITARRISTA GENIAL. BAIXEI VARIOS DISCOS DESTE FENOMENAL PETER FRAMPTON! OBRIGADO MAIS UMA VEZ AO NOSSO HEROI ALEX SALA POR ESTA MARAVILHOSA DISCOGRAFIA!

    ResponderExcluir
  11. Muito obrigado por nos proporcionar muita música de qualidade!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Conhecia só o básico do Peter Frampton por coletâneas, mas comecei ontem a noite por curiosidade a baixar os albums e estou impressionado com a qualidade musical de suas canções. E esse album de 2003 hein, que album fantástico e que nunca tocou nas rádios brazucas, afinal por aqui só toca as mesmas músicas lá da metade dos anos 70.

    ResponderExcluir
  13. Muuuito bom seu trabalho,cds que não consegui baixar em nenhum outro lugar eu consegui baixar aqui,muito obrigado,continue fazendo esse trabalho excelente!!!

    ResponderExcluir
  14. Valeu Alex pela correção do Link... Vida longa ao Muro!
    Um ótimo 2014!

    Milton

    ResponderExcluir