Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

30 de março de 2013

Magna Carta - 7 Álbuns.

‘Magna Carta’ é uma banda britânica, de Yorkshire, Londres, e foi fundada em 1969. É uma das bandas mais antigas e, indiscutivelmente, uma das maiores bandas acústicas no mundo, que sobreviveu por surpreendentes 40 anos. Teve uma série de mudanças de pessoal, mas o fator comum sempre foi Chris Simpson. Depois da faculdade, ele trabalhou em uma estranha variedade de tarefas, desde engenheiro de tráfego a assistente de necrotério. À noite ele tocava guitarra em vários locais e com uma orquestra apresentava-se nas casas de ricos e famosos, grandes hotéis de Londres e até para a Família Real. Compositor, poeta, violonista e vocalista, ele tem sido amplamente responsável pela sonoridade única da banda, e teve sucesso em reunir músicos de alta qualidade ao seu redor. 

Chris Simpson fundou a banda com o guitarrista Lyell Tranter e Glen Stuart, um extraordinário vocalista. ‘Magna Carta’ fez parte da primeira onda do rock progressista que surgiu no fim da década de 60 na Inglaterra, mas sem realmente entrar totalmente no reino progressivo. O estilo, no Reino Unido, recebeu influências da música clássica e do jazz fusion, em contraste com o rock americano, historicamente, influenciado pelo rhythm and blues e música country. E Bob Dylan tinha desembarcado na Grã-Bretanha com Joan Baez, tocando as mudanças que estavam por vir para moldar uma geração inteira. O primeiro show profissional da banda foi em ‘Cambridge Folk Festival’. Um ano depois a banda lançou o primeiro de seus 30 álbuns, dos quais seis foram de ouro e três de prata. A música de ‘Magna Carta’ é em grande parte inspirada e influenciada pela conhecida dupla norte-americana de folk rock dos anos 60, Simon & Garfunkel. Uma música acústica suave, por vezes com um toque tradicional e boas harmonias. 

Além de Simon & Garfunkel as influências vieram de grupos similares como, ‘Fairport Convention’, a primeira banda inglesa de electric folk; Kevin Ayers guitarrista britânico da cena de Canterbury e influente na música psicodélica; ‘Moody Blues’ originalmente uma banda britânica de rhythm and blues e posteriormente conhecida através da música psicodélica; ‘Amazing Blondel’ banda acústica de folk progressivo; ‘Caravan’ banda britânica de rock progressivo; e o músico, cantor e compositor britânico Al Stewart. ‘Carta Magna’ se apresentou em diversos países, atravessando desertos e mares, passou por cidades e bairros onde a sua música foi ouvida. E as canções falam por si e vêm do coração, pois não há outra maneira. Eles foram toda a história da música popular contemporânea o que é uma conquista estupenda apesar do desprezo de alguns, como o de Bob Dylan, que ao ser perguntado sobre o que achava de ‘Carta Magna’ respondeu: Magna who? 

Entre 1969 e 1975, ‘Magna Carta’ fez alguns álbuns maravilhosos, como os belos ‘Seasons’ e ‘Lord Of The Ages’, destaques absolutos. Também o álbum ao vivo ‘In Concert’, gravado em 1971 em Amsterdam não é para ser desconsiderado. O primeiro álbum, auto-intitulado, lançado em 1969, com Danny Thompson no baixo revela um grande trabalho, com algumas composições muito bonitas, belas harmonias e guitarras sensíveis. Um álbum totalmente imerso em poesia. O trio lançou ‘Seasons’ em 1970 antes de Lyell Tranter retornar para a Austrália. O álbum também conhecido como ‘Music for the Millions’ é um clássico absoluto e Chris Simpson é um compositor incrível. Mistério e sentimentos emanam de suas músicas. E Glenn Stuart tem uma voz mágica. Instrumentalmente Chris Simpson e Lyell Tranter na guitarra acústica e elétrica, respectivamente, são apoiados por uma série de músicos de qualidade, incluindo Rick Wakeman nos teclados. A canção ‘Seasons’ dura mais de 22 minutos, utilizando poesia através das quatro estações do ano. O restante do álbum é dedicado a diferentes estilos de folk contemporâneo e a música ‘Airport Song’ foi um sucesso mundial. 

Davey Johnstone, futuro guitarrista de Elton John, entrou para substituir Lyell Tranter, na gravação de ‘Songs from Wasties Orchard’ em 1971, com verdadeiras jóias musicais. Para qualquer pessoa familiarizada com os dois primeiros álbuns, o estilo do grupo se mantém intacto, uma magnífica coleção de baladas folk cantadas delicadamente o que resultou em constantes comparações com Simon & Garfunkel. ‘Songs from Wasties Orchard’ é um daqueles discos raros e foi proclamado como o auge da banda. Ele inclui o single ‘Time For The Leaving’ com Rick Wakeman mais uma vez no piano. ‘In Concert’, lançado em 1972, foi a primeira gravação ao vivo, gravado em Amsterdam. A música ‘Sea and Sand’ é assombrosamente bela com a cítara como o principal instrumento. Em ‘Time For The Leaving’ o guitarrista Davey Johnson tem um dos solos mais inspirados no final da canção. O disco termina com um épico magnífico, ‘Ring of Stones’. Davey Johnstone, infelizmente, parte para tocar com Elton John. Chris Simpson e Glen Stuart então se unem a Stan Gordon, lançando o conceituado ‘Lord Of The Ages’ em 1973, um álbum fabuloso, com nenhum ponto fraco. Cada música é pura magia. Os arranjos vocais são sempre perfeitos. Graham Smith foi também adicionado ao line-up, mas logo depois ele e Stan Gordon deixaram a banda. 

Segue-se um período de grandes mudanças e Glen Stuart não se sente confortável com a nova direção. Entra Tommy Hoy, ex-Natural Acoustic Band, antes de Glen Stuart sair e abrir uma loja de animais em Richmond, Surrey. Nigel Smith se juntou a eles para a gravação de ‘Took a long Time’ em 1976. A banda sempre teve um fascínio pelo folk americano e country music, mesmo em discos anteriores, mas neste está com um som muito mais convincente do país norte-americano, que nos leva a pensar em James Taylor e outros grupos e artistas que trabalharam nesse período. Apesar do álbum incluir o impressionante baterista Pick Withers, as músicas demonstram uma falta gritante de inspiração. Em relação aos outros, é de fato um álbum medíocre.

Pick Withers permanece por pouco tempo, preferindo aderir ao Dire Straits.
Em 1977, outro ex-membro da ‘Natural Acoustic Band’, Robin Thyne se juntou à banda. E ‘Prisoners on the Line’ é lançado em 1978. Um dos trabalhos mais bem realizados do grupo depois de ‘Lord Of The Ages’. ‘Wild Horses’, composta inicialmente por Mick Jagger e Keith Richards, tem um excelente trabalho de baixo de Roy Babbington. ‘No Truth in the Rumour’ de 1979, é um álbum bastante comum, e o grupo inclui apenas um membro original, Chris Simpson na guitarra e vocais, e a nova formação é composta por Doug Morter na guitarra, Tom McConville no violino, Jeff Bannister nos teclados, Terry Stanyon e Frank Rocotti na bateria, Lee Abbott e Alan Schmidt no baixo. ‘Midnight Blue’, lançado em 1982, é um esforço concentrado do grupo a se mover em uma direção mais comercial. 

Em 1988, ‘One To One’, é o primeiro álbum que inclui a cantora Linda Taylor, e os demais são: Gynn Jones, Paul Burgess e Will Jackson. Pouco depois, a gravadora fecha e o álbum cai no esquecimento. Gynn Jones deixou a banda no mesmo ano. Em 1990, Chris Simpson e Linda Taylor se casaram. A essência de ‘Magna Carta’, nos últimos 20 anos é Chris e Linda que se juntaram a Matt Barnhoorn, um violinista holandês. Álbuns de estúdio se tornaram raros e gravações ao vivo acontecem, em toda a Europa. Em 2006, Chris e Linda Simpson anunciaram que o casamento acabou e a banda decidiu que iria se separar principalmente pela deterioração da relação dos Simpsons. Em 2009, Chris e Linda, juntamente com Matt Barnhoorn se apresentam no último concerto no Koninklijk Teatro Carré em Amsterdã. A eles se juntaram alguns ex-membros. Texto: Pintando Música. 

Integrantes.

Atuais.

Matthijs Barnhoorn: Violão, Mandoline, Chant.
Linda Simpson: Vocais, Guitarra.
Chris Simpson: Vocais, Guitarra.

Ex-Integrantes.

Lee Abbot: Baixo, Emil Zjhbz: Vocais, Robin Ellis: Vocais, Roy Babbington: Bateria, Les Cyrcle: Baixo, B.J. Cole: Guitarra, Tony Carr: Bateria, Paul Burgess: Bateria, Stan Gordon: Vocais, Guitarra, Gerry Conway: Bateria, Tommy Hoy: Vocais, Guitarra, John Mealing: Teclas, Tony Visconti: Baixo, Davey Johnstone: Vocais, Guitarra, Danny Thompson: Baixo, Lyell Tranter: Guitarra, Jonathon Barratt: Baixo, Doug Morter: Guitarra, Nippy, Noya: Percussão, Eddie Jackson: Baixo, Will Jackson: Guitarra, Teclas, Rick Wakeman: Teclas, Eddie Conarr: Percussão, Tony White: Teclas, Vic Emerson: Teclas, Glenn Stuart: Vocais, Lee Burgess: Bateria.

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro


Álbuns.

Magna Carta (1969)
 
01. Times Of Change
02. Daughter Daughter
03. Old John Parker
04. I Am No More
05. Ballad Of Francis Alabadalejo
06. Spinning Wheels Of TIme
07. Romeo Jack
08. Mid Winter
09. Shades Of Grey
10. Emily Thru' The Window Pane
11. Sea And Sand (The Isle Of Pabay)
12. Seven O'Clock Hymn


Seasons (1970)
 
01. Seasons
A. Prologue
B. Winter Song
C. Spring Poem
D. Spring Song
E. Summer Poem
F. Summer Song
G. Autumn Song
H. Epilogue
I. Winter Song (Reprise)

02. Goin' My Way (Road Song)
03. Elizabethan
04. Give Me No Goodbye
05. Ring Of Stones
06. Scarecrow
07. Airport Song


Songs From Wasties Orchard (1971)
 
01. The Bridge At Knaresborough Town
02. White Snow Dove
03. Parliament Hill
04. Wayfaring
05. Down Along Up
06. Country Jam
07. Time For The Leaving
08. Beyond The Isle Of Skye
09. Sponge
10. Sunday On The River
11. Good Morning Sun
12. Home Groan

Lord Of The Ages (1973)
 
01. Wish It Was
02. Two Old Friends
03. Lord Of The Ages
04. Isn't It Funny (And Not A Little Bit Strange)
05. Song Of The Evening
06. Father John
07. That Was Yesterday
08. Falkland Grene


Took A Long Time (1976)
 
01. Putting It Back Together
02. Took A Long Time
03. Oh My Dear Rose
04. Sun Ain't Gonna Rise
05. Lady Take Me Down
06. Wild Bird
07. Princess
08. Painted Eyes
09. Tomorrow's A Long Time
10. Books About Us


Prisoners On The Line (1978)
 
01. Overture
02. Soliloquy 1
03. Wild Horses
04. Ain't No Turning Back
05. Faces Of London
06. When You Fall
07. Soliloquy 2
08. Forever
09. In Tomorrow
10. Song For John
11. Rainy Day Companion
12. Nothing So Bad (It Can't Get Better)
13. Idle Wind
14. C'est La Vie (That's Life)


No Truth In The Rumour (1979)
 
01. No Truth In The Rumour
02. Written In The Wind
03. MacKenzie
04. Strangers In The Land Of Ulysses
05. Workin' On The Road Again
06. Power To The Song
07. All Our Yesterdays
08. Call Me
09. Big Umbrella
10. World In The Palm Of My Hand


Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

E-mail de contato para links quebrados ou outros problemas: murodoclassicrock@gmail.com

Antes de comentar leia as regras que estão próximas do formulário, comentários desrespeitando as mesmas, não serão publicados e nem atendidos.

8 comentários :

  1. Vlw muito esse post Alex!...tinha apenas 3 deles, mas o restante peguei por aqui...todos ótimos, claro; Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Luís Real03/04/13 11:10

    Excelente banda. Música de qualidade.
    Obrigado Alex por mais esta postagem.

    ResponderExcluir
  3. Destes faltavam-me 2 albuns. Obrigado pelo link. Saudações

    ResponderExcluir
  4. Thanks for this lovely collection!

    ResponderExcluir
  5. Thanks for this lovely collection. Rare gems!

    ResponderExcluir
  6. Origado, Alex Me faltaban dos l.p. Desde España abraços

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo grande trabalho realizado, mais uma banda muito boa que conheci através desse Muro incrível.

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.