Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

4 de setembro de 2013

Mudhoney - Discografia.

Mudhoney é uma banda de rock alternativo (relacionada ao rótulo grunge, apesar de o próprio vocalista, Mark Arm ter afirmado serem uma banda de Punk Rock) formada em Seattle em 1988. É "co-irmã" do Pearl Jam, já que dois de seus integrantes, Mark Arm e Steve Turner, foram companheiros de Jeff Ament e Stone Gossard no Green River, considerada por muitos como a primeira banda de grunge, criada em 1984. 

Apesar de ser reconhecida como uma das fundadoras do primeiro grande movimento do rock nos anos 1990, a banda é muito menos bem sucedida comercialmente do que o Pearl Jam e o Nirvana, já que a escolha dos integrantes do Mudhoney sempre foi se afastar dos holofotes e das tendências dominantes. 

Entre 22 de Novembro e 4 de Dezembro de 2005, a banda fez uma turnê pela América do Sul abrindo os concertos de sua 'irmã' mais famosa, para plateias de vinte a quarenta mil pessoas em Santiago, Buenos Aires, Porto Alegre, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Salvador.

Biografia.

O Mudhoney é uma das mais importantes bandas da cena de Seattle, apesar de não ser uma das mais conhecidas em termos de mainstream. A história do Mudhoney envolve várias outras bandas e projetos antes do início efetivo do grupo. 

A história do Mudhoney começa muito antes da banda ser estabelecida. No início da década de 1980 quando Mark Arm formou sua primeira banda, o Mr. Epp and the Calculations. Era uma banda "fantasma" que não compunha canções ou tocava instrumentos, era uma bagunça generalizada e barulhenta. Muitas vezes, eram feitos posters de concertos que nem chegavam a acontecer. Essa banda era formada por Mark, Joe Smitty, Tom Wolf e Darren Morey. Eles gravaram uma fita demo que consistia basicamente na narrativa de uma história com Tom e Joe tocando guitarra, Mark na bateria e participaram de um programa de rádio onde foram apresentados como "Mr. Epp a pior banda do mundo". A banda também chegou a tocar um concerto de verdade, onde abriu para o Malfunkshun (banda de Andrew Wood). Ao mesmo tempo, Mark também tocava no The Limp Richards que tinha ainda menos material que o Mr. Epp. 

Enquanto isso, o guitarrista Steve Turner tocava com Stone Gossard (futuramente do Pearl Jam) na banda Ducky Boys. Logo que a banda acabou, Steve foi convidado por Alex Shumway para tocar no Spluii Numa que tocava um som pop/punk na tentativa de se tornar popular. O que era exatamente o oposto das protensões do Mr. Epp. Logo Steve saiu da banda e foi finalmente convidado por Mark para tocar no Mr. Epp e Limp Richards que, no entanto, acabou logo após a entrada de Steve. 

Após o fim dessas bandas, Mark, Steve e Alex decidiram formar outra banda. O primeiro passo foi recrutar o baixista Jeff Ament que na época tocava numa banda chamada Deranged Diction. Ele nunca foi um grande fã do Mr. Epp mas já havia trabalhado com Steve e foi convencido a entrar na nova banda, o Green River. Mark queria se concentrar nos vocais, então ele largou a guitarra, que ficou com Steve e Stone Gossard. Eles tocaram vários concertos incluindo um concerto de abertura para o Dead Kennedys. Em seguida Steve largou a banda por causa das diferenças entre ele e ambições musicais de Stone e Jeff. Ele foi substituído por Bruce Fairweather (que tocava com Jeff no Deranged Diction). 

O Green River teve relativo sucesso, lançando alguns álbuns e fazendo turnês por todo os EUA. Mas ainda assim, a banda se separou, principalmente porque parte da banda queria assinar contrato com uma grande gravadora enquanto que o resto queria continuar em gravadoras independentes. Steve, após sua saída do Green River, esteve envovido em uma banda chamada The Thrown Ups, e com o fim do Green River, Mark entrou para essa banda. Stone, Jeff e Bruce, se juntaram ao vocalista Andrew Wood e formavam o Lords of the Wasteland, mais tarde conhecido como Mother Love Bone. 

Os outros futuros integrantes do Mudhoney também estavam envolvidos em projetos, Matt Lukin cresceu nas proximidades de Seattle, era amigo de Kurt Cobain e tocava no Melvins. Dan tocava no Bundle of Hiss e por muito pouco tempo chegou a tocar com os Melvins antes de ser convidado por Mark para entrar no Mudhoney. 

No dia 1 de janeiro de 1988, Dan, Mark, Matt e Steve se reuniram para formar o Mudhoney. Eles tiraram o nome da banda a partir de um filme do cineasta Russ Meyer. A primera gravação foi com o produtor Jack Endino e no mesmo ano seria lançado o primeiro compacto a banda pela gravadora SubPop, a canção era "Touch Me I'm Sick" que praticamente definiu o som de Seattle e hoje é considerada pelos críticos como a primeira canção Grunge. 

O próximo lançamento foi o EP Superfuzz Bigmuff, também pela SubPop. O álbum foi nomeado a partir do pedal de distorção para guitarra favorito da banda. Eles lançaram também um compacto dividido com o Sonic Youth, o que garantiu a banda uma certa popularidade no underground. A banda saiu em turnê ao lado do Sonic Youth e voltou para o estúdio novamente com Jack Endino para gravar um novo álbum, o primeiro da banda, intitulado apenas Mudhoney. Ao mesmo tempo foi lançado mais um compacto da canção "This Gift", além de uma versão do Mr. Epp "Baby Help Me Forget" como lado B. 

O Mudhoney tocou com bandas como Nirvana e Tad no festival Ultra Lame Fest da SubPop e saiu em turnê pela Austrália. Quanto retornaram, Dan chegou a tocar com o Nirvana por um único concerto. Kurt Cobain e Krist Novoselic queriam Dan na banda, mas não queriam o fim do Mudhoney e então acabaram optando por Dave Grohl. Dan também chegou a tocar no Screaming Trees por um curto período de tempo. Novamente reunido, o Mudhoney começou as gravações do segundo álbum da banda, Every Good Boy Deserves Fudge no lendário estúdio Egg, com Conrad Uno (proprietário da gravadora Popllama records). 

Em março de 1992, em meio a explosão da cena de Seattle, o Mudhoney também acabou optando por assinar contrato com uma grande gravadora, a escolhida foi a Reprise Records. O álbum Piece of Cake foi lançado e não foi bem recebido pela crítica que considerou que o som mais sujo da banda foi perdido quando eles assinaram com a Reprise. No fim do ano o filme Singles foi lançado, e em sua trilha sonora, foi incluída uma canção do Mudhoney, 'Overblown'. Com a trilha sonora, o Mudhoney ganhou alguma popularidade e saiu em turnê, que chegou a ter o Nirvana como banda de abertura em um concerto. Assim que a turnê foi finalizada, o Mudhoney estava de volta ao estúdio, desta vez com produção de Kurt Block da banda Fastbacks. O álbum foi intitulado Five Dollar Mock Cooter Stew e foi uma tentativa de recapturar a energia dos lançamentos anteriores. 

Já em 1994, a banda novamente saiu em turnê, desta vez abrindo para o Pearl Jam. Em um dos concertos, Mark e Steve tocaram algumas canções com o Pearl Jam e Alex chegou a participar, reunindo o Green River. Após essa turnê eles retornaram para o estúdio para gravar My Brother The Cow com Jack Endino. O álbum foi lançado no fim do ano juntamente com uma coleção de vídeos musicais intitulada #1 Video in America This Week. Outra extensiva turnê seguiu o lançamento do álbum, tocando mais alguns concertos com Pearl Jam e fazendo concertospor toda a América do Norte e Japão. Eles tiveram uma participação do filme Black Sheep (a banda aparece tocando "Poisoned Water"), com Chris Farley e David Spade. Todos esses projetos fizeram de 1995 um ano ocupadíssimo para o Mudhoney, que a pedido de Steve, deu um tempo, parando com as turnês e tocando apenas alguns concertos ocasionais em Seattle. 

Steve se envolveu em projetos paralelos como o Monkeywrench (com Tom Price do Gas Huffer) e o Fall Outs. Ele também iniciou uma gravadora independente chamada Super Electro, onde ele lançou álbuns para bandas como Flop. Dan esteve envolvido como baterista de algumas bandas da área de Seattle como o Fastbacks, Mark Lanegan, The Deadcoats e J.D. Gilmore. Mark tocou com Steve no Monkeywrench e no Bloodloss. 

Na segunda metade de 1998, a banda fez alguns concertos, mais uma vez abrindo para o Pearl Jam e iniciou trabalhos na divulgação do álbum Tomorrow Hit Today. A banda fez mais algumas pequenas turnês pelos Estados Unidos e também Japão e Austrália. O álbum recebeu excelentes críticas nos Estados Unidos, mas a banda jamais conseguiu recuperar o prestígio de público e crítica do tempo da SubPop. Após o final da turnê, a banda decidiu dar mais um tempo. Logo em seguida o contrato com a Reprise foi rompido e o baixista Matt decidiu deixar a banda. A banda pensa em terminar, mas com a bênção de Matt, eles continuam. 

Em janeiro de 2000 a SubPop lançou a coletânea March to Fuzz, um CD duplo com as principais canções da banda e raridades, totalizando cinquenta canções. Logo depois a banda volta para a SubPop e toca no Brasil, em 2001. 

Em 2002, novo disco: Since We've Become Translucent, muito bem recebido pelos fãs e pela crítica. Quem toca baixo no lugar de Lukin é Guy Maddison, ex-Lubricated Goat. Wayne Kramer, ex-MC5, toca baixo na canção "Inside Job", gravada ainda em 2000. 

Depois disso, a banda passa algum tempo fazendo concertos e participando de projetos paralelos - Mark Arm, por exemplo, vem ao Brasil com o MC5 para se apresentar no Campari Rock de 2005. No final deste mesmo ano, volta com sua banda original para abrir os históricos concertos do Pearl Jam em Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo. 

Novo disco, somente em 2006: Under a Billion Suns, saudado pelo público como um dos mais pesados da banda. Outro fator que chama a atenção são as letras de Mark Arm, que trazem pela primeira vez certo teor social, passando pelas inevitáveis críticas a política guerrilheira de George W. Bush. Texto: Wikipédia. 

Integrantes.

Formação Atual.

Mark Arm (Vocal e Guitarra)
Steve Turner (Guitarra)
Guy Maddison (Baixo)
Dan Peters (Bateria)

Ex-Integrante.

Matt Lukin (Baixo)

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro


Álbuns.

Mudhoney (1989)
 
01. This Gift
02. Flat out Fucked
03. Get Into Yours
04. You Got It
05. Magnolia Caboose
06. Come to Mind
07. Here Comes Sickness
08. Running Loaded
09. The Farther I Go
10. By Her Own Hand
11. When Tomorrow Hits
12. Dead Love


Superfuzz Bigmuff, Plus: Early Singles (1990)
 
01. Touch Me, I'm Sick
02. Sweet Young Thing Ain't Sweet No More
03. Hate The Police / Burn It Clean
04. You Got It
05. Halloween
06. No One Has
07. If I Think
08. In 'N' Out Of Grace
09. Need
10. Chain That Door
11. Mudride


Every Good Boy Deserves Fudge (1991)
 
01. Generation Genocide
02. Let It Slide
03. Good Enough
04. Something So Clear
05, Thorn
06. Into The Drink
07. Broken Hands
08. Who You Drivin' Now?
09.  Move Out
10. Shoot The Moon
11. Fuzz Gun '91
12. Pokin' Around
13. Don' T Fade 4
14. Check-Out Time


Piece of Cake (Live 1992)
 
01. Intro
02. No End In Sight
03. Make It Now
04. When In Rome
05. Interlude (1)
06. Suck You Dry
07. Blinding Sun
08. Thirteenth Floor Opening
09. Youth Body Expression Explosion
10. I'm Spun
11. Interlude (2)
12. Take Me There
13. Living Wreck
14. Let Me Let You Down
15. Interlude (3)
16. Ritzville
17. Acetone


My Brother The Cow (1995)
 
01. Judgment, Rage, Retribution And Thyme
02. Generation Spokesmodel
03. What Moves The Heart?
04. Today, Is A Good Day
05. Into Yer Shtik
06. In My Finest Suit
07. F.D.K. (Fearless Doctor Killers)
80. Orange Ball-Peen Hammer
09. Crankcase Blues
10. Execution Style
11. Dissolve
12. 1995


Tomorrow Hit Today (1998)
 
01. A Thousand Forms of Mind
02. I Have to Laugh
03. Oblivion
04. Try to Be Kind
05. Poisoned Water
06. Real Low Vibe
07. This Is the Life
08. Night of the Hunted
09. Move with the Wind
10. Ghost
11. I Will Fight No More Forever
12. Beneath the Valley of the Underdog


Since We've Become Translucent (2002)
 
01. Baby, Can You Dig the Light?   
02. The Straight Life
03. Where the Flavor Is
04. In the Winner's Circle
05. Our Time Is Now
06. Dyin' for It
07. Inside Job
08. Take It Like a Man
09. Crooked and Wide
10. Sonic Infusion


Under a Billion Suns (2006)
 
01. Where Is The Future
02. It Is Us
03. I Saw The Light
04. Endless Yesterday
05. Empty Shells
06. Hard On For War
07. A Brief Celebration Of Indifference
08. Let's Drop In
09. On The Move
10. In Search Of
11. Blindspots


The Lucky Ones (2008)
 
01. I'm Now
02. Inside Out Over You
03. The Lucky Ones
04. Next Time
05. And the Shimmering Light
06. The Open Mind
07. What's This Thing?
08. Running Out
09. Tales of Terror
10. We Are Rising
11. New Meaning


Vanishing Point (2013)
 
01. Slipping Away
02. I Like It Small
03. What to Do With the Neutral
04. Chardonnay
05. The Final Course
06. In This Rubber Tomb
07. I Don't Remember You
08. The Only Son of the Widow from Nain
09. Sing This Song of Joy
10. Douchebags on Parade


Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

E-mail de contato para links quebrados ou outros problemas: murodoclassicrock@gmail.com

Antes de comentar leia as regras que estão próximas do formulário, comentários desrespeitando as mesmas, não serão publicados e nem atendidos.

6 comentários :

  1. Wooow! Valeu Alex, era disso que eu precisava!! Grungeera das boas! HAHA

    ResponderExcluir
  2. Alex vc sempre me obriga a te agradecer... MUITO OBRIGADA!!!
    Mudhoney é muito bom,essencial pra quem começa ouvir grunge e quer sair do chavao Nirvana-Pearl Jam-Alice in Chains (q sao mto bons por sinal

    No entanto, acho que o disco novo exige um pouco mais pra ser aceito de coração...

    ResponderExcluir
  3. Alex mto bom trabalho!!! adoro o grunge, e vc trouxe maravilhas como o mother love bone e agora o mudhoney!!! saúde e paz!!!

    ResponderExcluir
  4. vlw cara, obrigado mesmo \o

    ResponderExcluir
  5. Obrigado mesmo fica na paz!!!

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.