Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

2 de março de 2014

Marco Antônio Araújo - Discografia.

Ele era um dos maiores músicos instrumentais quando teve a vida ceifada por um aneurisma cerebral, com apenas 36 anos. Uma perda imensa, não apenas para o rock progressivo brasileiro, mas para uma legião de fãs que aprendeu a amar as belas composições desse mineiro, que atravessava o melhor momento de sua carreira. Marco Antonio Araújo é um nome hoje pouco lembrado, mas quem conhece sua obra não se esquece jamais. 

Poucos comentam a obra e vida de Marco Antonio Araújo, um dos maiores representantes da música mineira dos anos 80 e que ganhou o epíteto de Egberto Gismonti da década de 80. 

Marco Antonio Araújo era um tesouro local e, justamente quando começava a ter seu nome conhecido nacionalmente, veio a falecer no dia 6 de janeiro de 1986, vítima de um aneurisma cerebral, após ficar cinco dias internado na UTI do Prontocor, em Belo Horizonte. 

Um fim trágico para um músico que havia dedicado o último disco ao filho recém-nascido, Lucas. 

Marco Antonio Araújo nasceu na capital mineiro, no dia 28 de agosto de 1949. Como todo adolescente nos anos 60 se apaixonou pelos Beatles e pelos Rolling Stones e resolveu, em 1968, ingressar no grupo Vox Populi, que contava com Tavito e Fredera, que depois formariam o Som Imaginário. Ficou um ano no grupo, que lançou um compacto, Pai-Son (parceria com Zé Rodrix), pela gravadora Bemol. 

Marco já estava absolutamente apaixonado pela música e resolveu abandonar o curso de economia e o emprego em um banco para se dedicar a ela. Em 1970, resolve morar em Londres, onde ficaria dois anos "tietando" (expressão do próprio músico) grupos como Led Zeppelin, Deep Purple, Pink Floyd, Rolling Stones etc. Cansado de correr atrás dos grupos, viu que deveria voltar ao Brasil e começar a carreira de músico. 

Assim, retorna ao Brasil e vai morar no Rio de Janeiro, onde foi estudar composição com Esther Sciar e aprendeu violão clássico e violoncelo com Eugen Ranewsky e Jacques Morelenbaum, na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro. 

Começa a compor trilhas sonoras para cinema, teatro e balé, entre eles a peça Rudá, de José Wilker e Cantares, um balé apresentado pelo grupo CORPO. 

Marco acaba se apaixonando e casando com uma das bailarinas, Déa Marcia De Souza. 

Marco mostrou-se um músico brilhante e volta para BH, em 1977, e passa a integrar a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, onde ficaria até o fim da vida. 

Marco faz pequenos shows no ano seguinte, onde era acompanhado pelo grupo Mantra. As composições instrumentais mesclavam o rock progressivo com a mais pura tradição mineira de quadrilhas, modinhas e serestas. 

Entre 1978 e 1979 apresentou os shows Fantasia e Devaneios, tendo a companhia de Carlos Bosticco (flauta), Hannah Goodwin, no violoncelo, seu irmão Alexandre Araújo na guitarra, Gregory Olson, no contrabaixo, Benoir Clerk, na trompa e Sergio Matos, na percussão. 

Aos poucos vai formando um grupo de músicos que o acompanharia: Alexandre Araújo (guitarra), Ivan Correia (baixo), Mario Castelo (bateria), Eduardo Delgado (flauta), Antonio Viola (violoncelo), Max Magalhães (piano) e Lincoln Cheib (bateria). 

Em 1980 edita, de forma independente, o primeiro LP, Influências, que recebe grandes elogios da crítica especializada e é divulgado com 74 shows.
O disco ganha boa receptividade fora de Minas Gerais e Marco monta uma produtora independente, Strawberry Fields, a canção dos Beatles que o fez amar o quarteto. 

Mais maduro, Marco lança outro disco, em 1982, o belo Quando a sorte te solta um cisne na noite e viaja pelo interior de Minas Gerais, através do projeto Acorde Minas, em parceria com a Rede Globo Minas, a Coordenadoria de Cultura do Estado e de sua produtora, Strawberry Fields. 

O disco é novamente elogiado pela crítica, mas Marco sentia que precisava expandir seu público e atingir outros estados, especialmente Rio e São Paulo.
O novo trabalho mostrava Marco cada vez mais maduro no violão Ovation e a banda mais coesa. 

Incansável, Marco não parava de trabalhar nem um segundo e resolve inovar no terceiro LP, Entre um silêncio e Outro, de 1983. 

Para isso, convidou o violoncelista Jacques Morelenbaum, o flautista Paulo Guimarães e o violoncelista Márcio Mallard e formaram um grupo de câmara que gravou apenas duas "Fantasias Nº 2" e "Fantasias Nº 3". Ao ser editado em CD, trazia ainda as faixas "Abertura I", "Abertura II" e "Cantares II". 

A capa trazia uma tela do artista Carlos Scliar - "Vinil Encerado Sobre Tela", feita especialmente para Marco e inspirada em sua música. Dentro do disco, um bela capa dupla colorida, havia um texto do próprio Marco falando de sua obra.
No mesmo ano, nasce seu primeiro filho, Lucas, no dia 2 de agosto. Inspirado pela paternidade, Marco parte para gravar um novo disco, para muitos sua obra-prima: Lucas. 

Um disco maduro e que mostrava um homem mais esperançoso e preocupado com o futuro. 

No ano seguinte, é editado uma coletânea, Animal Racional, e Marco chegava ao auge da carreira, com shows pelo Brasil inteiro, ao lado do grupo Mantra. 

Marco havia regressado a Belo Horizonte, onde iria receber, no dia 7 de janeiro de 1986, um prêmio da Revista Veja como o melhor músico instrumentista do país. 

Subitamente, sofreu uma hemorragia cerebral e entrou em coma profundo, vindo a falecer, no dia 6, véspera da premiação. Marco tinha uma viagem agendada para Nova York na semana seguinte. 

A perda devastadora jamais foi completamente absorvida e entre os dias 7 e 9 de agosto foi realizado o show Lembranças, para celebrar o 37º aniversário de Marco. Participaram dele Alexandre Araújo, Ivan Correia, Lincoln Cheib, Mauro Rodrigues, Antonio Viola, José Marcosa, Max Magalhães, além de convidados como André Geraissati, Egberto Gismonti, Toninho Horta, entre outros. 

Aquele mineiro de técnica refinada e que amava tanto a música pop bem como a mineira e a clássica deixou um legado jamais esquecido pelos fãs e por quem acabaria descobrindo sua obra apenas após sua morte. Texto: Mofo.

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro


Álbuns.

Influências (1980)
 
01. Panorâmica
02. Influências
03. Bailado
04. Abertura N.2
05. Cantares
06. Folk Song
07. Entr Act I & II
08. Floydiana II


Quando a Sorte te Solta um Cisne na Noite (1982)
 
01. Floydiana
02. Alegria
03. Quando a Sorte te Solta um Cisne na Noite
04. Pop Music
05. Adágio
06. Ilustrações
07. Cavaleiro
08. Sonata para Cello e Violão


Entre um Silêncio e Outro (1983)
 
01. Abertura I
02. Abertura II
03. Cantares II
04. Fantasia N° 2:  Romance
05. Fantasia N° 3: Folhas Mortas

Lucas (1984)
 
01. Lembranças
02. Caipira
03. Lucas
04. Para Jimmy Page
05. Brincadeira
06. Cavaleiro
07. 3rd Gymnopédie


Tour Instrumental: Ao Vivo no MASP (1985)
 
CD 1.

01. Grave
02. Folk Song
03. Influências
04. Floydiana II
05. Cedral Corumbá
06. Panorâmica

CD 2.

01. Para Jimmy Page
02. Caipira
03. Lembranças
04. Lucas
05. Abertura N° 2
06. Valsa Floydiana


Animal Racional (Coletânea 1985)
 
01. Floydiana
02. Bailado
03. Folk Song
04. Influências
05. Quando a Sorte Te Solta Um Cisne na Noite
06. Abertura Nº 2


Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

E-mail de contato para links quebrados ou outros problemas: murodoclassicrock@gmail.com

Antes de comentar leia as regras que estão próximas do formulário, comentários desrespeitando as mesmas, não serão publicados e nem atendidos.

23 comentários :

  1. MUITO BOM , ALEX. QUEM GOSTA DE ÓTIMA MÚSICA TEM QUE CURTIR

    ResponderExcluir
  2. Ouvindo o primeiro disco, simplesmente fantástico!!! Quantas outras obras e artistas continuariam ignoradas pelo público ávido por qualidade, se não fosse você? Obrigado!

    ResponderExcluir
  3. Marimbondo03/03/14 19:37

    Muitíssimo obrigado por esta magnifica discografia. Sou fã da música dessa cara.Pena ele ter ido tão cedo. Estava sempre olhando se vc já havia postado ela aqui. Valeu mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Sensacional Alex, tenho todos os vinis. Obrigado pela divulgação.

    ResponderExcluir
  5. Marcelo Ferrugem04/03/14 13:37

    Fantástico, simplesmente fantástico. Se não fosse o Muro provavelmente não conheceria este músico e seu trabalho. Vejo várias entrevistas de cantores e bandas e nunca ouvi nenhuma citar o nome dessa fera como influência do seu trabalho. Uma pena, um cara com tamanho talento não ser valorizado como deveria. Gente larga um pouquinho de rádio que vocês vão conhecer um outro lado do rock que pouca gente conhece.

    ResponderExcluir
  6. BERTHÔ (José Berto)04/03/14 19:07

    EXCELENTE MÚSICO SEM DÚVIDA..ALGUMAS PASSAGENS DO ÁLBUM LUCAS ME LEMBRARAM "O TERÇO" (outra banda que gosto muito)
    SOMENTE NESTE PAÍS PRA UM ARTISTA DE TANTA CAPACIDADE MUSICAL FICAR LONGE DA MÍDIA....O MURO GANHOU UM OSCAR POR ESSA POSTAGEM....VALEU ALEX ! VOCÊ É O CARA !

    ResponderExcluir
  7. Alex e amigos do bom e velho Rock e musica de verdade, Sou seguidor assíduo e fanático deste blog. Sou fã incondicional deste Altruísta Alex King Sala, pois somente um grande ser pode nos brindar com tantas pérolas como estas que anos após anos temos o privilégio de curtir. Mas, agora ele passou do limite. Marco Antonio Araújo. Som comentários, pois o texto fala um pouco. Tive o prazer de velo no Palácio das Artes em BH e no mesmo local em sua homenagem póstuma. Fantástico!!! Só um acréscimo: a Senhorita VEJA só o reverenciou depois dos americanos pelo New York Time tê-lo feito primeiro.

    ResponderExcluir
  8. Músico maravilhoso. Ele conseguia passar seus sentimentos em todas as suas composições, e os músicos que trabalharam com ele capitaram estes sentimentos. Parabéns pelo seu esforço em divulgar grandes e desconhecidos artistas. " Recomodadíssimo"

    ResponderExcluir
  9. Valeu Muro !!! Não conhecia , entrou para o hall dos meus sons favoritos.

    ResponderExcluir
  10. Alex voce e fantastico o reconhecimento e tudo

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia e nem nunca tinha ouvido falar em Marco Antônio Araújo! E olha que curto muito o Rock Progressivo! Que grande descoberta essa! Sensancional a música desse cara! Como um cara desse pode passar despercebido pela música brasileira? Poucos conhecem! Parabéns Alex pela Postagem! Muito Obrigado! Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco Aurélio - Muriaé MG19/08/14 12:28

      Rayfran, há muita coisa boa que infelizmente não chegam aos nossos ouvidos, devido à ganância dos nossos meios de comunicação que só visam o lado financeiro, sorte a nossa que existe a internet e pessoas como o Alex, que disponibilizam tempo e paciência pra divulgar esse tipo de arte. Deixo uma dica pra você, se não conhece, procure ouvir a banda Cálix, que também irá se surpreender.

      Excluir
  12. Aplausos. Resenha impecável. Este artista foi um incansável lutador e alcançou reconhecimento num tempo em que a internet praticamente não existia. Foi na estrada mesmo, se apresentando e batalhando por patrocínios, num país que não valoriza a cultura. Tive a sorte de conhecer o trabalho deste artista, pouco antes de sua partida. Conservo e escuto estes álbuns com muita frequência e sempre com a mesma admiração.
    Abraços a todos

    ResponderExcluir
  13. Complementando e se for permitido, segue o link para uma resenha publicada no Som Mutante, cujo dono e grande amigo, faleceu no dia 14/05. Sou um colaborador também deste Blog, que vai continuar presente através de postagens dos amigos responsáveis por diversos Blogs parceiros, incluindo o Aponcho Rock, Ondas da Net e Valvulado Som, que gentilmente me mandou a dica desta sua bela postagem. Segue o link para a citada resenha, com certeza à altura desta:
    http://sommutante.blogspot.com.br/2013/01/marco-antonio-araujo-influencias-e-ao.html
    Abraços a todos

    ResponderExcluir
  14. Maravilhoso o trabalho deste mineiro. Conhecia apenas dois discos, o Animal Racional e Lucas, que tenho em VINIL. Parabéns por este presente.

    ResponderExcluir
  15. Marco Aurélio - Muriaé MG19/08/14 12:22

    Já sou fã do "Muro" há algum tempo e, procurando por trabalhos do Marco Antonio Araújo, vim encontrar aqui, pra minha grata surpresa. E deixo uma dica para quem gostou do trabalho do Marco, ouçam a banda Cálix, também de Minas Gerais, principalmente o 2º álbum (A roda) rock progressivo de altíssima qualidade. Se me permitem, segue o link do álbum no youtube: https://www.youtube.com/watch?v=IP8XnIu3z50
    Valeu alex

    ResponderExcluir
  16. Estou surpreso e satisfeito com a boa música que ouvi.Quão pouco conhecemos,e como há muito a descobrir.Realmente,quando a sorte nos solta um cisne na noite não podemos deixar de ouvir.Obrigado Alex.

    ResponderExcluir
  17. Eu já tive a oportunidade de avaliar várias bandas e músicos que constam em seu site. O material é brilhante. Parabéns por publicar o trabalho deste excelente músico que, de longa data, eu conhecia, mas já havia me esquecido. Feliz quem tem o seu blog para relembrar a boa música!

    ResponderExcluir
  18. parabéns,so mesmo o MURO para nos brindar com raridades.

    ResponderExcluir
  19. Acabei de ouvir Entre um Silêncio e Outro. Lindo é um termo vazio e banal para descrever essa música.
    Incrível que um compositor desse nível nasceu,viveu e criou entre nós e é pouco lembrado.

    ResponderExcluir
  20. Sensacional. Quero agradecer ao MURO por tudo que proporcionou.
    Muito obrigado mesmo.

    ResponderExcluir
  21. É muito show!!!!! Valeu!!!!

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.