Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

10 de setembro de 2014

Peter Banks - Discografia.

Primeiro membro a sair do Yes, ainda em 1970, o guitarrista Peter Banks tentou buscar vida própria, mas nunca conseguiu escapar da sombra de ser "o cara demitido para a entrada de Steve Howe". Com uma técnica admirável, e uma forte influência do jazz, Peter nasceu no dia 15 de julho de 1947, e com quatro anos, passou a ter aula de violão. Facilmente, o pequeno Peter adaptou-se ao instrumento, e logo no início da adolescência, já tocava banjo e guitarra com muita naturalidade. 

Não demorou para passar a frequentar diversas bandas na região do norte de Londres, onde posteriormente viria conhecer o baixista Chris Squire, integrando o The Syn, que posteriormente evoluiu para Mabel Greer's Toy Shop e finalmente, Yes. 

A personalidade forte, bem como a presença de palco marcante, eram características de Banks, e seus longos improvisos nos shows fugiam da ideia que o Yes começava a construir, que estava mais voltada ao progressivo. Com o Yes, Banks registrou dois discos: Yes (1969) e Time and a Word (1970), deixando para trás solos clássicos como "I See You", "Survival" (Yes) e "Everydays" e "Astral Traveller" (Time and a Word), caracterizados pelo uso da variação do volume e de muita influência de escalas de jazz. 

Esse excesso de improvisações, assim como divergências no uso de uma orquestra para a gravação de Time and a Word, o que Banks era contra, fez com que o guitarrista saísse do Yes (que inclusive, teve o nome sugerido pelo guitarrista), mas sua capacidade de criar música não poderia ficar estagnada em apenas dois discos. Depois de uma breve passagem pelo Blodwyn Pig, e de ter participado como músico convidado no clássico álbum Nice to Meet Miss Christine (1970) de Chris Harwood, Banks formou o ótimo grupo Flash. 

Tendo além de Banks, o tecladista Tony Kaye (que também havia saído do Yes), e também de Collin Carter (voz), Ray Bennett (baixo) e Mike Hough (bateria), o Flash gravou três belos discos: Flash (1972), In the Can (1972) e Out of Our Hands (1973), apresentando belas canções, com uma sonoridade marcante, onde a guitarra de Banks sem dúvida era o principal destaque. Porém, o grupo acabou no final de 1973, principalmente pelo difícil relacionamento de Banks com os demais membros do grupo. 

Essa dificuldade de relacionar-se afetava a mente genial do guitarrista, que, pressentindo o fim do Flash, decidiu lançar um álbum solo. Para isso, cercou-se de convidados como Phil Collins (bateria, Genesis), Steve Hackett (guitarra, Genesis), John Wetton (baixo, King Crimson, Uriah Heep, Wishbone Ash, ...) e principalmente Jan Akkerman (guitarra, Focus), para gravar um disco instrumental rico em harmonias, composições e principalmente, maravilhas prog. 

Two Sides of Peter Banks chegou às lojas pouco depois do lançamento de Out of Our Hands, e chamou a atenção pela distinta proporcionalidade dos lados do vinil. O lado A apresenta quatro canções trabalhadas para serem uma única canção, em uma espécie de suíte, onde o final de cada canção é o início da primeira, enquanto o lado B é dedicado a três improvisos. Com a participação de Jan Akkerman na escrita da maioria das canções, esse LP é um tratado sobre jazz-rock e improvisos, construídos detalhadamente. 

Entre tantas participações mais que especiais, é justamente a única canção que Banks gravou sozinho a que mais chama a atenção. Dividida em duas partes, "The White Horse Vale" abre com o belo dedilhado de violão, em um estilo barroco, próximo ao flamenco, na primeira parte da canção, chamada  "On the Hill", com Banks tocando o violão em acordes lentos, trazendo a guitarra, fazendo variações do volume. O wah-wah passa a ser usado pelo guitarrista, ao mesmo tempo que sola no violão. A medida que o ritmo de um violão base aumenta, as notas do solo tornam-se cada vez mais velozes, assim como as batidas no violão, de onde surge um moog, também tocado por Banks, para acompanhar a bela levada de violão. 

O guitarrista passa a solar na guitarra, e assim, violão e guitarra passam a duelar, um após o solo do outro, e o moog ganha destaque, entrando na segunda parte da canção, "Lord of the Dragon", onde Banks faz algumas notas com variações de volume e harmônicas. Depois, uma sequência de acordes jazzísticos na guitarra, como que testando o instrumento, ora com a variação de volume, ora com harmônicos, traz uma incrível sequência de escalas somente com a variação de volume, de onde Banks passa a solar, ao mesmo tempo que também faz a psicodélica base para seu solo. 

A guitarra vai dando ritmo ao solo, despejando wah-wah, e agora, a guitarra é o centro das atenções, com um belo solo, chegando a uma linda sessão de harmônicos. A guitarra repleta de efeitos de Banks é exatamente o início da violenta "Knights", outra que merece o título de Maravilha do Mundo Prog, principalmente por suas intrincadas peças, que unem-se para formar uma excelente mini-suíte, mas que em uma primeira audição, é incomparável ao que Banks faz sozinho em "The White Horse Vale". 

Depois de Two Sides of Peter Banks, o guitarrista ingressou no Zox & The Radar Boys, ao lado de Phil Collins, Mike Piggott (violino), Ronnie Caryl (guitarra) e John Howitt (baixo), fazendo um som muito próximo ao jazz rock. Depois, ao lado da esposa Sydney Foxx, e de muitos membros convidados formou o Empire, com quem gravou três álbuns: Mark I (1974), somente com músicos ingleses; Mark II (1977) e Mark III (1978), estes somente com músicos americanos. 

O músico ainda participou como convidado em diversos álbuns, vindo a lançar outro trabalho solo somente em 1993, através de Instinct, o qual também possui apenas canções instrumentais. Em 1995, Banks regravou "Astral Traveller" para o álbum Tales From Yesterday, o qual é um tributo ao Yes. Foi ligado ao Yes, que o nome de Banks ganhou destaque em 1997, quando ele foi o responsável pelo lançamento do CD duplo Something's Coming: The BBC Recordings 1969 - 1970, onde estão contidas apresentações do Yes no início de carreira, ao vivo na BBC, algo que os fãs mais novos não tiveram o prazer de conhecer até aquele ano. 

Banks lançou ainda, em 1998, o ótimo Psychosync, outro álbum ao vivo, porém do Flash, trazendo uma apresentação do grupo no King Biscuit Flower Hour em 1973. Seguiram-se ainda diversas colaborações e mais dois álbuns solo: Reduction (1999) e Can I Play You Something? (2000). 

Atualmente, Banks vive na Inglaterra, muito ligado ao Yes, participando de festivais dos fãs em homenagem ao grupo, e também tocando como convidado no Yes Tribute Band Fragile, da Inglaterra. Em 2000 e 2002, participou dos álbuns Jabberwocky (2000) e Hound of the Baskervilles (2002), ambos do projeto Wakeman / Nolan, o qual conta com o filho de Rick Wakeman, Oliver Wakeman, e com o tecladista Clive Nolan, além de participar do grupo Harmony in Diversity, com quem gravou o EP Trying, em 2006. Texto: Mairon Machado. 

Integrantes Empire.

Peter Banks (Guitarra, Teclados e Vocais, 1973-1979)   
Sydney Foxx (Vocais de Fundo, 1973-1979)
Jakob Magnusson (Teclados e Vocais, 1973)
John Giblin (Baixo e Vocais, 1973)
Preston Ross-Heyman (Bateria, 1973)
Jeffrey Fayman (Bateria e Percussão, 1974)
Chad Peery (Baixo, 1974)
Mark Murdock (Bateria, 1979)
Paul Delph (Teclados, 1979)
Brad Stephenson (Baixo, 1979)

Integrantes Adicionais.

Phil Collins (Bateria e Backing Vocals, 1973)
Sam Gopal (Tabla, 1973)

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro


Bitrate: 320Kbps.

Álbuns.

Two Sides of Peter Banks (1973)
 
01. Visions Of The King (1:23)
02. The White House Vale (7:13)
A. On The Hill
B. Lord Of The Dragon

03. Knights (6:14)
A. The Falcon
B. The Bear

04. Battles (1:38)
05. Knights (Reprise) (2:11)
06. Last Eclipse (2:25)
07. Beyond The Loneliest Sea (3:06)
08. Stop That! (13:47)
09. Get Out Of My Fridge (3:20)


Empire - Mark I (1973)
 
01. Out of Our Hands (5:40)
02. More Than Words (7:40)
03. Someone Who Cares (7:01)
04. For a Lifetime (2:44)
05. Hear My Voice on the Radio (3:30)
06. Shooting Star (13:00)
Part 1 - From the Top
Part 2 - Common Ground
Part 3 - Iceland on the Rocks
Part 4 - Shooting Star

07. Sky at Night (9:36)


Empire - Mark II (1974)
 
01. Still Out of Our Hands (8:29)
02. Destiny (3:40)
03. Sky at Night (8:43)
04. Do What You Want (8:34)
05. Everything Changes (12:48)


Empire - Mark III (1979)
 
01. Ain't That Peculiar (4:30)
02. Destiny (6:16)
03. Faraway (5:54)
04. Goodbye (4:35)
05. Dancing Man (4:55)
06. Foundation (9:31)


Instinct (1993)
 
01. No Place Like Home (1:40)
02. All Points South (6:36)
03. Fogbound (2:16)
04. Sticky Wicket (6:56)
05. Shortcomings (8:11)
06. Code Blue (4:48)
07. Angles (5:40)
08. Anima Mundi (1:16)
09. Swamp Report (6:21)
10. Instinctive Behaviour (0:44)
11. Dominating Factor (5:28)
12. Never The Same (6:00)


Self-Contained (1995)
 
01. Radio Foreplay (0:55)
02. Endless Journey (1:47)
03. More Foreplay (1:09)
04. Massive Trouser Clearance (7:27)
05. Lost Days (2:34)
06. Away Days (2:41)
07. Two Sides (1:14)
08. Self-Contained (2:21)
09. Clues (7:55)
10. The Three Realms (5:17)
11. Tell Me When (7:37)
12. Funkin' Profundity (6:15)
13. It's All Greek To Me: The Great Dionysia (5:44)
14.
It's All Greek To Me: Erotokritos (1:50)
15.
It's All Greek To Me: Less Talk (1:32)
16.
It's All Greek To Me: Oriental Bent (5:11)
17.
It's All Greek To Me: In An Idyll Momentum (1:29)
18.
It's All Greek To Me: Unnatural History (1:18)
19.
It's All Greek To Me: Greekspeak (2:08)
20.
It's All Greek To Me: The Great Stifado (4:53)
21. Thinking Of You (4:11)


Reduction (1997)
 
01. Diminuendo In Bloom (1:40)
02. Tone Down (6:56)
03. The Age Of Distortion (4:29)
04. Fade To Blue (2:48)
05. Fathat (3:49)
06. As Night Falls... (2:32)
07. Consolation In Isolation (4:24)
08. Dirty Little Secret (3:59)
09. As Ever (2:09)
10. Pirate's Pleasure (4:20)
11. Rosa Nova (9:10)


Can I Play You Something? The Pre-Yes Years Recordings From 1964 to 1968 (1999)
 
01. Can I Play You Something? (0:15)
02. Bang-Crash (0:21)
03. Peter Gunn (By Peter Banks Band Live 1980) (5:24)
04. Hippie Loop (Banks Solo) (0:56)
05. 14 Hour Technicolor Dream (By Syn 1967) (2:55)
06. You Better Move On (By The Devil's Disciples Ca.1965) (2:46)
07. Beyond And Before (Demo By Mabel Greer's Toyshop 1968) (3:43)
08. Beyond And Before (What Bass? Mix Of Mabel Greer's Toyshop 1968) (3:57)
09. Lima Loop (Banks Solo) (0:16)
10. Grounded (Syn) (2:19)
11. For Your Love (The Devil's Disciples) (2:46)
12. Flowerman (Demo By Syn) (2:38)
13. Flowerman (Syn) (2:32)
14. Yesterdays (Banks Solo) (0:53)
15. Electric Funeral (Demo By Mabel Greer's Toyshop) (3:19)
16. Electric Funeral (Radio Run Mix Of Mabel Greer's Toyshop) (4:29)
17. Cinnamon Touch (Banks Solo) (1:30)
18. Get Yourself Together (Demo By Mabel Greer's Toyshop) (3:34)
19. Created By Clive (Syn) (2:28)
20. Images Of You And Me (Radio Fun Mix Of Mabel Greer's Toyshop) (4:09)
21. I Saw You (Bang-Crash) (8:18)
22. No Time (2:27)


Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

Yes - Discografia.



E-mail de contato para links quebrados ou outros problemas: murodoclassicrock@gmail.com

Antes de comentar leia as regras que estão próximas do formulário, comentários desrespeitando as mesmas, não serão publicados e nem atendidos.

3 comentários :

  1. Peter Banks morreu a 7 de Março de 2013.
    RIP

    ResponderExcluir
  2. O primeiro disco, Two Sides of Peter Banks, ele é acompanhado na guitarra pelo grande guitarrista holandês, ex-Focus, Jan Akkerman e é um disco muito bom.

    ResponderExcluir
  3. GRANDE GUITARRISTA !

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.