Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

20 de outubro de 2014

Ministry - Discografia.

Ministry é uma banda de metal industrial fundada pelo vocalista Al Jourgensen em 1981. Originalmente era um grupo new wave voltado para o synthpop mas que mudou seu estilo para o metal industrial no final dos anos oitenta, e que teve seu sucesso comercial no início dos anos noventa com o álbum “psalm 69: the way to succeed and the way to suck eggs” (1992) ao mesmo tempo que excursionava como uma das atrações do festival Lollapalooza.

Depois de 27 anos de atividades, Jourgensen decidiu acabar com a banda em 2008, afirmando que jamais haveria uma reunião. Mas em 2011 uma reunião foi anunciada quando o Ministry confirmou que apresentaria o primeiro dos seus shows em quatro anosno festival Wacken Open Air, em agosto de 2012, daí lançou, então, um novo álbum, “relapse”, em 23 de março de 2012, ao qual se seguiu uma turnê mundial. Em seguida à morte de seu guitarrista de longa data, Mike Scaccia, o Ministry lançou seu último álbum, “from beer to eternity”, em setembro de 2013

Os Primeiros Anos e “With Sympathy” (1981-1984)

Al Jourgensen fundou o Ministry em Chicago, Illinois, em março de 1981. A sua banda anterior ao Ministry foi a Special Affect da qual faziam parte Groovie Mann (do My Life With Thrill Kill Kult), o baterista Harry Rushakoff (do Concrete Blonde) e o baixista Marty Sorenson. Depois veio a Silly Carmichaels, com Bem Krug, Tom Krug e Tom Wall (todos do The Imports).

A formação original do Ministry consistia de Jourgensen (vocais e guitarra), Stephen George (bateria), Robert Roberts (teclados) e John Davis (teclados). Apesar de algumas mudanças de pessoal, a imagem da banda começava a ficar centralizada sobre as figuras de Jourgensen e George. O som original do Ministry era, em sua essência, um synthpop típico da new wave, bem mais melódico e estiloso do que a música agressiva pela qual a banda ficaria conhecida. O Ministry lançou quatro singles de doze polegadas pela Wax Trax! Records entre 1981 e 1984 (presentes na antologia Twelve Inch Singles 1981-1984, que apresentava a faixa “everyday is halloween”).

Seu primeiro disco, “with sympathy”, foi editado pela Arista Records em 1983 e atingiu a 90ª posição na Billboard 200. O LP foi inicialmente bem recebido pelos fãs de college rádios e acabou sendo uma constante nas várias coleções de álbuns de new wave na época. Músicas do LP eram tocadas ao vivo como atração de abertura dos shows do Police durante a temporada norte-americana da “Synchronicity Tour”, o que fez com que a banda fosse bem recebida pelo público freqüentador de grandes shows de arena. Jourgensen, mesmo assim, mostrava-se desapontado com algumas das gravações do Ministry durante aqueles primeiros anos. De acordo com ele, depois de assinar o contrato de gravação, todo o controle artístico do Ministry foi passado a compositores e produtores. Algumas das melhores canções desse período estão compiladas no CD “early trax” (Rykodisc, 2004).

Twitch (1985-1986)

Lá pelo meio dos anos oitenta, Jourgensen e George já estavam cada um na sua, e, assim, lá foi Jourgensen assinar contrato com a Sire Records. “Twitch”, de 1986, era quase um LP solo dele, já que ele tocou todos os instrumentos, que, mesmo com boa vendagem, fazia com que o Ministry permanecesse na condição de “underground”. A música era eletrônica, dançante, mas não era pop: o som estava mais cru e agressivo do que qualquer outra coisa que o Ministry tivesse gravado anteriormente. Segundo Jourgensen, “ ‘twitch’ era algo que eu estava fazendo antes que ‘with sympathy’ aparecesse. Algumas de suas faixas tinham quatro ou cinco anos, mas a gravadora nem quis saber delas, então...” Muito do novo som foi criado a partir do uso de samplers e da influência do produtor Adrian Sherwood.

The Land Of Rape And Honey (1987-1988)

Depois de “twitch”, Jourgensen fez a mudança mais significativa na história do Ministry quando caiu de amores novamente pela guitarra. Ele também trouxe de Seattle, da banda The Blackouts, Paul Barker, que seria o único a receber créditos como membro da banda além de Jourgensen. Com a adição do baterista dos Blackouts, William Rieflin, o Ministry gravou “the land of rape and honey”, em 1988. O LP representou a continuação de seu sucesso dentro da cena underground. No disco foram utilizados sintetizadores, teclados, loops de gravação, programações de bateria eletrônica ao estilo de britadeiras, diálogos retirados de filmes, processamento eletrônico fora do comum, e, em algumas partes, guitarras e baixos altamente distorcidos.

Ao lançamento seguiu-se uma turnê em 1988, além dos singles e vídeos “stigmata” e “flashback”. “Stigmata”também foi usada em uma cena chave do filme “hardware”, de 1990, um filmaço dirigido por Richard Stanley, ainda que a banda que apareça interpretando a música seja o Gwar.

The Mind Is A Terrible Thing To Taste (1989-1990)

O disco seguinte, “the mind is a terrible thing to taste”, foi promovido por uma turnê entre 1989 e 1990. Devido ao grau de complexidade da bateria apresentado nas faixas, um segundo baterista, Martin Atkins, foi utilizado, e, com ele, outros músicos integravam uma formação de dez componentes, da qual faziam parte Chris Connelly (teclados e vocais), Nivek Ogre (teclados e vocais), Joe Kelly (vocais e vocais de apoio) e os guitarristas Mike Scaccia, Terry Roberts, e William Tucker , com Jourgensen, Barker e Rieflin aparecendo como demais membros do grupo. A turnê foi documentada em “in case you didn’t feel like showing up”. Um single, “burning inside” – para o qual foi feito um vídeo -, foi lançado junto com o álbum.

Pelo final dos anos oitenta, Jourgensen e Barker expandiram suas idéias para além do Ministry através de uma série de projetos paralelos e colaborações. Muitos deles levavam a assinatura sonora do Ministry e o crédito de produção dado a dupla “Hypo Luxa/Hermes Pan” (Estes projetos paralelos foram responsáveis pelo atraso no lançamento do álbum seguinte). Muitos destes lançamentos foram do alter ego do Ministry, o Revolting Cocks, ou RevCo, já que, essencialmente, apresentava os mesmos integrantes acrescidos dos músicos belgas Richard 23 (do Front 242) e Luc van Acker. Jorgensen e Barker também formaram o Lard com o vocalista do Dead Kennedys, Jello Biafra; o Acid Horse, com o Cabaret Voltaire; o 1000 Homo Djs, que apresentava Trent Reznor, do Nine Inch Nails, fazendo os vocais em uma versão de “supernaut”, do Blak Sabbath; o PTP, com Chris Connelly; e o Minor Threat, com Ian MacKaye, do Minir Threat e do Fugazi.

Barker lançou seu próprio material como Lead Into Gold, e Jourgensen produziu e tocou guitarra em “rabies”, do Skinny Puppy. Atkins e Rieflin também formaram a banda Pigface, que apresentava Barker em algumas faixas. Parte desses projetos foi mais tarde compilada no CD “side trax” (Rykodisc, 2004), e a discografia do RevCo foi remasterizada e reeditada.

Psalm 69 (1991-1993)

O estouro do Ministry se deu em 1991, com “Jesus built my hot rod” (co-escrito por Gibby Haynes, do Butthole Surfers, e Michael Balch, do Frontline Assembly). O video foi um sucesso, fazendo com que a banda fosse escalada para a segunda edição do Lollapalooza e acabasse roubando o show. Como indicava o single, o som do disco seguinte, “psalm 69: the way to succeed and the way to suck eggs”, de 1992, foi o disco mais voltado para o metal que o Ministry já havia gravado, quase todo focado nos sintetizadores de Jourgensen e nas guitarras dos novos membros Mike Scaccia e Louis Svitek.

“ΚΕΦΑΛΗΘΞ”, impresso na capa do disco, é uma concatenação para a palavra grega equivalente a “chefe” ou “líder”, e o número equivalente a 69. O título foi tirado de “livro das mentiras”, de Aleister Crowley (Chapter 69, "The Way to Succeed—and the Way to Suck Eggs!"). “Psalm 69” se tornou o maior sucesso do Ministry,incluindo, além de “jjesus built my hot rod”, os singles “n.w.o.” (um protesto contra a Guerra do Golfo e um ataque direto ao então presidente George Bush) e “Just one fix” (uma colaboração com o poeta/novelista William S. Burroughs). O single “n.w.o.” foi usado em 1992 no filme “cool world”, que combinava atores com desenho animado. Mais tarde, a mesma música foi usada no videogame Need for Speed – The Run.

Filth Pig (1994-1996)

Em 1994 o Ministry se apresentou no concerto de caridade da Bridge School Benefit, tocandoi versaoes de Bob Dylan, Tem Years After, e Grateful Dead, e aprsentando uma nova cançao, “paisley”, que estava prevista para constar do álbum seguinte. Em 1995, o Ministry foi uma das atrações principais do festival itinerante Big Day Out, realizado na Austrália e na Nova Zelândia. Mesmo com seu crescente sucesso, a banda sofria com prisões e problemas com drogas, o que fez com que não lançasse seu álbum seguinte, “filth pig”, até 1996. Nele, o Ministry abriu Mao dos sintetizadores e dos samples e fez a sua música composta quase que inteiramente de guitarras ultra barulhentas, baixo pesadíssimo e bateria de verdade.

As músicas, em sua maioria, foram tocadas em tempos mais lentos do que aquelas mais rápidas, que faziam parte dos três primeiros discos, passando, assim, a impressão de se ouvir um quase disco de doom metal. “Filth pig” teve o suporte dos singles/vídeos “reload”, “the fall”, “lay lady lay” (uma incomum e inesperada cover da canção embebida em country de Bob Dylan) e “brick Windows”, além de uma turnê em 1996 (As apresentações ao vivo foram mais tarde compiladas para o álbum e DVD “sphicntour”, de 2002). O álbum foi considerado por Jourgensen como uma resposta às expectativas dos fãs a respeito do rumo que o som da banda estava tomando.

Dark Side Of The Spoon (1998-2000)

O último disco de estúdio do Ministry para a Warner, “dark side of the spoon”, foi dedicado a William Tucker (que havia cometido suicídio no início daquele ano). Nele, a banda tentou diversificar o seu som na adição de alguns sons melódicos e sintetizados ao seu conhecido som eletro-metal, junto com alguma influência do jazz, mas o álbum não foi bem recebido. A faixa “bad blood”, contudo, apareceu na trilha sonora de “matrix” e foi indicada para um prêmio Grammy em 2000.

No verão do mesmo ano, o Ministry foi convidado para participar do Ozzfest, onde seria uma das atrações principais, preenchendo a vaga do Judas Priest cuja reunião não havia dado em nada. No entanto, a banda acabaria saindo da lista de atrações por conta de mudança de empresário, e acabou substituída pelo Soulfly.

Hiato e Animositisomina (2001-2003)

Depois que o Ministry encerrou a parceria de longa data com a Warner, a gravadora editou a coletânea “greatest fits”, em 2001, que apresentou uma nova canção (“what about us?”). A banda acabaria fazendo uma performance da música em uma participação no filme de Steven Spielberg “AI – inteligência artificial”. Durante os anos 2000-2002, disputas com a Warner resultaram nos cancelamento dos álbuns “psalm 69 live”, “sphinctour” e “clittourUS” pela Ipecac Records. “Sphinctour” acabou lançado pela Sanctuary Records’.

Por volta de 2001, Jourgensen quase perdeu seu braço depois de ser picado por uma aranha venenosa, mas depois de se recusar a permanecer no hospital, o que ele acabou perdendo foi seu dedão. Para ele, imaginar que poderia perder a vida fez com que ele abandonasse o vício em heroína e voltasse a se concentrar na música novamente. Jourgensen e Barker, junto com Max Brody, que havia se juntado como saxofonista na turnê de 1999, desenvolveram músicas para um novo disco durante 2001 e 2002, com a banda editando “animositisomina” pela Sanctuary Records em 2003. O som era puro heavy metal recheado de efeitos nos vocais, sua ferocidade comparável a de “psalm 69” (embora apresentasse uma versão quase pop de “the light pours out of me”). “Animositisomina”não foi bem nas vendas e os singles “animosity” e “piss” foram cancelados antes mesmo de serem lançados.

Barker deixou o Ministry em 2003. Ele disse que o que o motivo foi a morte de seu pai durante uma turnê da banda pela Europa no verão daquele ano, além de declarar,no início de 2004, que a sua família seria a partir de então sua prioridade. Jourgensen continuaria com o Ministry, com Mike Scaccia e outros músicos.

Houses Of The Molé e Rio Grande Blood (2004-2006)

No disco seguinte, Jourgensen divulgou a faixa “no W”, um ataque contra o então presidente americano, George W. Bush; uma versão alternativa da faixa faz parte da coletânea “rock against bush, vol. 1”. O disco seguinte, “houses of the molé”, continha as letras mais politicamente explícitas que Jourgensen jamais escrevera, em faixas nas quais o Ministry destilava o som metálico-industrial tocado de maneira mais crua do que nunca, fazendo o álbum soar como o mais metal do que qualquer outro gravado pela banda. Em 2006 foi lançado “rio grande blood”, lançado pela gravadora de Jourgensen, a 13th Planet Records. Com Tommy Victor, do Prong, e Paul Raven, do Killing Joke, o disco apresentou um thrash metal bem mais pesado do que o apresentado pelo Slayer, por exemplo. O single “lieslieslies” foi indicado para o Grammy de Melhor Performance Metal. O single, junto a outro retirado do mesmo álbum, “the great satan” esteve disponível para download como parte integrante do videogame Rock Band 2, em 2008. Em julho de 2007 a banda lançou “rio grande dub”, um ábum de remixes das faixas de “rio grande blood”.

The Last Sucker, Cover Up e Undercover (2007-2010)

O “último” álbum do Ministry, “the last sucker”, foi lançado em 18 de setembro de 2007.

Em 4 de junho de 2007, Jourgensen processou Paul Barker e a Spurburn Music na Corte de Los Angeles. O caso foi encerrado em 24 de outubro de 2008.

Paul Raven morreu em 20 de outubro de 2007. Ele, aparentemente, sofreu um ataque cardíaco ao chegar na Europa para participar da gravação de um disco da banda industrial francesa Treponem Pal, próximo a fronteira com a Suíça.

Al Jourgensen remixou e co-produziu “bitter”, do Spyder Baby, que foi lançado pela Blind Prophecy Records no início de 2008.

Uma faixa, de nome “keys to the city”, tema dos Chicago Blackhawks, foi lançada em 5 de maio de 2008. Junto com ele foram lançados dois álbuns de covers/remixes, “cover up” (1º de abril de 2008), e “undercover” (7 de dezembro de 2010). Todos estes lançamentos foram creditados ao Ministry & Co-Conspirators, já que apresentavam as parcerias entre Jourgensen e outros músicos.

A turnê de despedida do Ministry, a “C-U-LaTour”, iniciou a sua parte norte-americana em 26 de maio de 2008, com o Meshuggah se apresentando como convidado especial, e o Hemlock como banda de abertura. O último show nos Estados Unidos aconteceu em Chicago, em 12 de maio de 2008. A última data da turnê de despedida foi no Tripod, Dublin, Irlanda, em 18 de julho de 2008. Durante a apresentação, Jourgensen afirmou, repetidamente, que aquele era o ultimo show do Ministry. Graças à grande demanda por ingressos um show extra foi agendado no Tripod, em 19 de julho de 2008. A banda tocou para uma casa cheia. O número de encerramento do show de despedida do Ministry foi uma versão de “what a wonderful world”.

“Adios...puta madres”, um álbum ao vivo com materia tirado da turnê de despedida do Ministry, foi lançado em cd e DVD em 2009.

Três músicas do grupo fizeram parte da trilha sonora do filme vencedor do Oscar “guerra ao terror” (the hurt locker).

Um documentário chamado “fix: the ministry movie” esteve para ser lançado em 2010, mas a data acabou sendo adiada para 2011. O filme estreou no Chicago International Music &movies Festival. Jourgensen processou o diretor, Doug Freel,por não ter cumprido a sua parte do contrato, que dava a Jourgensen a aprovação sobre o resultado final além de “milhares de dólares”. O processo foi arquivado em julho de 2011, e em 21 de julho o filme foi exibido em sessão privada no Music Box Theater, em Los Angeles.

Reunião, Relapse e From Beer To Eternity (2011-Presente)

Em 7 de agosto de 2011, foi anunciado que o Ministry estava se reunindo para tocar no WhackenOpen Air Festival, na Alemanha, entre 2 e 4 de agosto de 2012. A formação incluía Jourgensen nos vocais, Mike Scaccia e Tommy Victor nas guitarras, Aaron Rossi na bateria, John Bechdel nos teclados e Tony Campos no baixo.

Jougensen, em entrevista a “metal hammer”, em agosto de 2011, declarou que estava trabalhando em um novo álbum chamado “relapse”, e que, ele esperava, fosse lançado no Natal. A respeito do som do novo material, ele comentou: “ Nós já temos cinco músicas prontinhas. Eu as escutei nas ultimas semanas, mas não estava no clima. Eu as achava uma piada. Ia deixar todas elas pra lá, mas (Mikey) estava pirando. Era tipo ‘ei, cara, qualé, elas não são sobre o Bush, então... está tudo acabado’. Sem úlceras, Bush já era, então agora é hora de coisa nova. Eu acho que esse vai ser o disco mais rápido e pesado que a gente fez, e tudo porque o que nós fizemos foi uma terapia anti-terapia contra a música country, e aí tiramos uns dias de folga e mandamos ver mais rápido do que nunca, mas rápido do que Mikey jamais foi. Ele tinha participado da turnê com o Rigor Mortis e disse que era fácil a comparação com o Ministry, e então, ele vai ser brutal e vai deixar muita gente doidona.”

O Ministru anunciou em seu site que a banda enrou no estúdio em 1º de setembro de 2011, com o engenheiro Sammy D'Ambruoso, para dar início às gravações de seu novo álbum.Durante o terceiro episódio da série transmitida pela web, que mostrava os bastidores das gravações do álbum “relapse”, foi anunciada a data de lançamento para 3 de março de 2012.

Em 23 de dezembro de 2011, o Ministry lançou “99 percenters”, o primeiro single de “relapse”, e o disponibilizou em sua página no Facebook dois dias depois. Em 22 de fevereiro de 2012, o Ministry lançou um segundo single, “double tap”, que foi incluído na edição de abril de 2012 da revista Metal Hammer. “Relapse” foi lançado em 23 de março de 2012.

Em 23 de dezembro de 2012, o guitarrista Mike Scaccia morreu de ataque cardíaco em pleno palco enquanto tocava com a sua outra banda, a Rigor Mortis.

Em uma entrevista para a Noisey, em março de 2013, Jourgensen anunciou que o Ministry iria parar novamente, explicando que ele não teria mais como prosseguir sem Scaccia. “Mikey foi o melhor amigo do mundo, e não há Ministry sem ele”, afirmou. “Mas eu sei que a música que nós gravamos juntos durante as últimas semanas de sua vida tinham de ser lançadas, em sua honra, Então, depois de seu funeral, eu me tranquei no estúdio e transformei as canções no que de melhor o Ministry havia gravado e que ficaria por último a ser ouvido em qualquer disco que já tivéssemos lançado. Eu não posso fazer isso sem o Mikey e nem quero, então, sim, este é o último álbum do Ministry” . O álbum, intitulado “from beer to eternity”, foi lançado em 6 de setembro de 2013. Jourgensen afirmou que tinha planos para fazer uma turnê de “from beer to eternity”, mas que não tinha mais a intenção de gravar mais discos. Texto: Alexandre Mourão. 

Integrantes.

Atuais.

Al Jourgensen (Vocais, Todos Instrumentos, 1981-2008, 2011-At)
John Bechdel (Teclados, 2006-2008, 2011-At)
Sin Quirin (Guitarras, Baixo, 2007-2008, 2011-At)
Aaron Rossi (Bateria, 2007-2008, 2011-At)
Casey Orr (Baixo, Teclados, 2011-At)


Ex-Integrantes.

John Davis (Teclados, 1981-1982)
Stephen George (Bateria, 1981-1985)
Robert Roberts (Teclados, 1981-1984)
Marty Sorenson (Baixo, 1981-1982)
Shay Jones (Vocais, 1982-1983)
Brad Hallen (Baixo, 1983-1985)
John Soroka (Teclados, Programação, 1984-1986)
Paul Barker (Baixo, Teclados, Programação, Vocais, 1986-2003)
Bill Rieflin (Bateria, Teclados, Programação, Guitarra, 1986-1995)
Chris Connelly (Vocais, Teclados, Compositora, 1987-1993)
Nivek Ogre (Vocais, Guitarra, Teclados, 1988-1990)
Mike Scaccia (Guitarras, Baixo, 1989-1995, 2003-2006, 2011-2012)
Michael Balch (Teclados, Programação, 1991-1992)
Louis Svitek (Guitarra, 1992-1999, 2003)
Duane Buford (Teclados, 1995-1999)
Zlatko Hukic (Guitarra Eletrônica, 1995-1999)
Rey Washam (Bateria, Percussão, Programação, 1995-1999, 2003)
Max Brody (Bateria, Percussão, Programação, Saxofone, 1999-2004)
Mark Baker (Bateria, 2004-2005)
John Monte (Baixo, 2004)
Paul Raven (Baixo, Teclados, Guitarra, Bateria, 2005-2007)
Tommy Victor (Guitarras, Baixo, 2005-2008, 2011-2012)
Tony Campos (Baixo, 2007-2008, 2011-2012)


Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

Como Baixar.

Bitrate: 320Kbps.

Álbuns.

With Sympathy (1983)
 
01. Effigy (I'm Not An) (3:51)
02. Revenge (3:48)
03. I Wanted To Tell Her (5:29)
04. Work For Love (4:44)
05. Here We Go (3:21)
06. What He Say (4:04)
07. Say You're Sorry (4:18)
08. Should Have Known Better (4:31)
09. She's Got A Cause (3:33)


Link.

Twelve Inch Singles, 1981-1984 (Coletânea 1985)
 
01. Everyday Is Halloween (6:26)
02. The Nature Of Love (6:58)
03. All Day (5:53)
04. Cold Life (5:12)
05. Halloween (Remix) (10:31)
06. Nature Of Love (Cruelty Mix B) (6:52)
07. All Day (Remix B) (6:38)
08. Cold Life Dub (6:24)


Link.

Twitch (1986)
 
01. Just Like You (5:00)
02. We Believe (5:56)
03. All Day Remix (6:02)
04. The Angel (6:06)
05. Over The Shoulder (5:11)
06. My Possession (5:02)
07. Where You At Now?
Crash And Burn
Twitch (Version II)
(12:13)
08. Over The Shoulder (12'' Version) (6:46)
09. Isle Of Man (Version II) (4:30)


Link.

The Land of Rape and Honey (1988)
 
01. Stigmata (5:45)
02. The Missing (2:55)
03. Deity (3:24)
04. Golden Dawn (5:42)
05. Destruction (3:30)
06. Hizbollah (3:59)
07. The Land Of Rape And Honey (5:12)
08. You Know What You Are (4:45)
09. I Prefer (2:16)
10. Flashback (4:49)
11. Abortive (4:23)


Link.

The Mind Is a Terrible Thing to Taste (1989)
 
01. Thieves (5:02)
02. Burning Inside (5:20)
03. Never Believe (4:59)
04. Cannibal Song (6:10)
05. Breathe (5:40)
06. So What (8:13)
07. Test (6:04)
08. Faith Collapsing (4:01)
09. Dream Song (4:48)


Link.

In Case You Didn't Feel Like Showing Up (Live 1990)
 
01. The Missing (3:35)
02. Deity (3:38)
03. So What (11:30)
04. Burning Inside (6:23)
05. Thieves (5:09)
06. Stigmata (9:30)


Link.

Psalm 69 (1992)
 
CD 1.

01. N.W.O (5:29)
02. Just One Fix (5:11)
03. TV II (3:04)
04. Hero (4:12)
05. Jesus Built My Hotrod (4:51)
06. Scarecrow (8:21)
07. Psalm 69 (5:29)
08. Corrosion (4:55)
09. Grace (3:06)


CD 2: Just Another Fix 1995, Bonus Live CD from Australian Edition.
 
01. Scarecrow (8:21)
02. Just One Fix (4:36)
03. Hero (3:13)
04. Psalm 69 (5:02)
05. TV Song (2:23)
06. N.W.O. (6:56)


Link.

Singles Box (1993)
 
CD 1: Over The Shoulder / Stigmata.

01. Over The Shoulder (12" Version) (6:47)
02. Isle Of Man (Version II) (4:35)
03. Twitch (Version II) (2:00)
04. Stigmata (Remix) (6:59)
05. Tonight We Murder (6:03)


CD 2: Burning Inside / Jesus Built My Hotrod.

01. Burning Inside (12" Remix) (6:48)
02. Thieves (12" Remix) (5:34)
03. Smothered Hope (4:58)
04. Jesus Built My Hotrod (Redline/Whiteline Version) (8:13)


CD 3: N.W.O. / Just One Fix.

01. N.W.O. (Extended Dance Mix) (8:09)
02. Fucked (5:06)
03. Just One Fix (12" Edit) (8:12)
04. Quick Fix (Remix Of "Just One Fix") (4:11)


Link.

Filth Pig (1996)
 
01. Reload (2:24)
02. Filth Pig (6:19)
03. Lava (6:30)
04. Crumbs (4:14)
05. Useless (5:55)
06. Dead Guy (5:15)
07. Game Show (7:45)
08. The Fall (4:54)
09. Lay Lady Lay (5:44)
10. Brick Windows (5:23)


Link.

Dark Side of the Spoon (1999)
 
01. Supermanic Soul (3:13)
02. Whip And Chain (4:23)
03. Bad Blood (4:58)
04. Eureka Pile (6:23)
05. Step (4:07)
06. Nursing Home (7:02)
07. Kaif (5:26)
08. Vex And Silence (5:24)
09. 10/10 (3:54)


Link.

Greatest Fits (Coletânea 2001)
 
01. What About Us? (5:52)
02. Stigmata (5:44)
03. The Land Of Rape And Honey (5:11)
04. Thieves (5:01)
05. So What (Live) (10:33)
06. N.W.O. (5:30)
07. Just One Fix (5:11)
08. Jesus Built My Hotrod (4:51)
09. Reload 12" (3:37)
10. Lay Lady Lay (5:44)
11. Supermanic Soul (3:13)
12. Bad Blood (5:00)
13. Supernaut (7:09)


Link.

Sphinctour (Live 2002)
 
01. Psalm 69 (Live At Elysee Montmarte, Paris) (5:04)
02. Crumbs (Live At Congresscenter, Stuttgart) (3:54)
03. Reload (Live At Convention Center, Albuquerque) (2:33)
04. Filth Pig (Live At The Varsity Arena, Toronto) (6:30)
05. Just 1 Fix (Live At Aragon #2, Chicago) (4:41)
06. N.W.O. (Live At The Palladium #1, Los Angeles) (6:04)
07. Hero (Live At Gaswerk, Hamburg) (2:38)
08. Thieves (Live At Mercer Arena, Seattle) (5:14)
09. Scarecrow (Live At Jesolo Beach Festival, Venice) (7:56)
10. Lava (Live At Dour Festival, Brussels) (8:43)
11. The Fall (Live At Brixton Academy, London) (8:02)


Link.

Animositisomina (2003)
 
01. Animosity (4:36)
02. Unsung (3:11)
03. Piss (5:10)
04. Lockbox (4:45)
05. Broken (4:52)
06. The Light Pours Out Of Me (4:36)
07. Shove (5:53)
08. Impossible (7:43)
09. Stolen (4:08)
10. Leper (9:05)


Link.

Houses of the Molé (2004)
 
01. No "W" (3:24)
02. Waiting (5:02)
03. Worthless (4:10)
04. Wrong (4:55)
05. Warp City (4:01)
06. WTV (4:25)
07. World (5:13)
08. WKYJ (5:14)
09. Worm (9:11)
10. Psalm 32 (5:41)
11. Walrus (2:46)


Link.

Early Trax (Coletânea 2004)
 
01. Every Day Is Halloween (6:32)
02. Halloween (Remix) (10:23)
03. All Day (5:50)
04. All Day (Remix) (6:34)
05. Nature Of Love (7:03)
06. Nature Of Love (Cruelty Mix) (6:44)
07. Nature Of Outakes (8:08)
08. He's Angry (Unreleased 1984) (3:54)
09. Move (Original Mix Unreleased 1984) (5:06)
10. I'm Falling (4:24)
11. I'm Falling (Alt. Mix Unreleased 1980) (4:04)
12. Overkill (Unreleased 1981) (4:33)


Link.

Side Trax (Coletânea 2004)
 
Pailhead.
01. Man Should Surrender (3:40)
02. Anthem (4:45)
03. Don't Stand In Line (3:47)
04. Ballad (3:52)
05. I Will Refuse (4:17)
06. No Bunny (4:59)

1000 Homo DJs.
07. Apathy (4:33)
08. Better Ways (5:22)
09. Supernaut (6:35)
10. Hey Asshole (8:06)

PTP.
11. Rubber Glove Seduction (5:23)
12. Favorite Things (4:28)
13. Show Me Your Spine (4:57)

Acid Horse.
14. No Name No Slogan (Hypo Luxa/Hermes Pan 12" Mix) (5:54)
15. No Name No Slogan (Cabaret Voltaire 12" Mix) (9:04)


Link.

Rantology (Coletânea 2005)
 
01. No W (Redux) (4:13)
02. The Great Satan (3:13)
03. Wrong (Update Mix) (5:20)
04. N.W.O. (Update Mix) (5:05)
05. Stigmata (Update Mix) (5:09)
06. Waiting (5:02)
07. Warp City (Alternate Mix) (4:01)
08. Jesus Built My Hotrod (Update Mix) (5:52)
09. Bad Blood (Alternate Mix) (5:25)
10. Animosity (4:35)
11. Unsung (Alternate Mix) (3:43)
12. Bloodlines (6:34)
13. Psalm 69 (Live In Paris) (5:03)
14. Thieves (Live In Seattle) (5:06)
15. The Fall (Live In London) (8:03)


Link.

Rio Grande Blood (2006)
 
01. Rio Grande Blood (4:24)
02. Senor Peligro (3:38)
03. Gangreen (6:00)
04. Fear (Is Big Business) (4:51)
05. Lieslieslies (5:16)
06. The Great Satan (3:09)
07. Yellow Cake (4:35)
08. Palestina (3:18)
09. Ass Clown (6:42)
10. Khyber Pass (7:31)
11. Untitled (0:04)
12. Untitled (0:06)
13. Untitled (1:45)


Link.

Rio Grande Dub (Coletânea 2007)
 
01. Rio Grande Blood (Rio Grande Dub Ya Mix) (4:12)
02. Senor Peligro (La Zona Peligrosa Mix) (4:08)
03. Gangreen (Kiss Me Goodnight Mix) (3:35)
04. Fear Is Big Business (Weapons Of Mass Deception Mix) (3:47)
05. Lieslieslies (Cognitive Dissonance Mix) (4:20)
06. The Great Satan (What Would Satan Do? Mix) (3:06)
07. Yellow Cake (Hexafluoride Mix) (4:23)
08. Palestina (72nd Virgin Mix) (5:24)
09. Ass Clown (Osama McDonald Mix) (3:32)
10. Khyber Pass (TX Bush Ranch Mix) (4:27)
11. Lieslieslies (Known Unknown Lies Mix) (3:55)


Link.

The Last Sucker (2007)
 
01. Let's Go (4:53)
02. Watch Yourself (5:29)
03. Life is Good (4:15)
04. The Dick Song (5:50)
05. The Last Sucker (5:59)
06. No Glory (3:42)
07. Death & Destruction (3:31)
08. Roadhouse Blues (4:26)
09. Die in a Crash (4:03)
10. End of Days (Part 1) (3:22)
11. End of Days (Part 2) (10:25)


Link.

Cover Up (2008)
 
01. Under My Thumb (The Rolling Stones) (3:58)
02. Bang A Gong (T.Rex) (4:48)
03. Radar Love (Golden Earring) (5:21)
04. Space Truckin' (Deep Purple) (3:51)
05. Black Betty (Leadbelly) (3:21)
06. Mississippi Queen (Mountain) (3:14)
07. Just Got Paid (ZZ Top) (3:13)
08. Roadhouse Blues (The Doors) (4:27)
09. Supernaut (Black Sabbath) (7:08)
10. Lay Lady Lay (Bob Dylan) (5:44)
11. What A Wonderful World (Louis Armstrong) (7:01)


Link.

Adios... Puta Madres (Live 2009)
 
01. Let’s Go (5:08)
02. Watch Yourself (5:14)
03. Life is Good (4:20)
04. The Dick Song (5:43)
05. The Last Sucker (6:30)
06. No W (3:01)
07. Waiting (5:11)
08. Worthless (4:18)
09. Wrong (5:14)
10. Rio Grande Blood (4:34)
11. Senor Peligrio (3:50)
12. Lieslieslies (5:21)
13. Khyber Pass (8:46)


Link.

Relapse (2012)
 
01. Ghouldiggers (7:40)
02. Double Tap (4:06)
03. Freefall (4:35)
04. Kleptocracy (3:54)
05. United Forces (4:52)
06. 99 Percenters (3:53)
07. Relapse (5:49)
08. Weekend Warrior (5:42)
09. Git Up Get Out 'N Vote (3:56)
10. Bloodlust (5:36)


Link.

From Beer to Eternity (2013)
 
01. Hail To His Majesty (Peasants) (5:17)
02. Punch In The Face (5:00)
03. PermaWar (4:56)
04. Perfect Storm (4:56)
05. Fairly Unbalanced (4:15)
06. The Horror (3:33)
07. Side FX Include Mikey's Middle Finger (T.V.4) (5:14)
08. Lesson Unlearned (3:16)
09. Thanx But No Thanx (8:21)
10. Change Of Luck (7:16)
11. Enjoy The Quiet (2:39)
12. PermaWar (Remix) (7:24)
13. Thanks For The Dub (Remix) (4:53)


Link.

Enjoy the Quiet: Live at Wacken, 2012 (2013)
 
CD 1.

01. Ghouldiggers (7:39)
02. No ”W” (3:08)
03. Rio Grande Blood (3:59)
04. Lieslieslies (5:32)
05. 99 Percenters (4:02)
06. Life Is Good (4:25)
07. Waiting (5:16)
08. Relapse (6:07)
09. New World Order ”N.W.O” (5:54)
10. Just One Fix (4:26)
11. Thieves (7:12)


CD 2: Bunus, Live at Wacken 2006.

01. Fear Is Big Business (5:38)
02. Senor Peligro (3:44)
03. No ”W” (3:01)
04. Rio Grande Blood (4:20)
05. The Great Satan
06. Waiting (3:15)
07. Lieslieslies (5:05)
08. Worthless (5:22)
09. Wrong (4:26)
10. New World Order ”N.W.O” (5:39)
11. Just One Fix (4:26)
12. Thieves (4:56)
13. Khyber Pass (10:23)
14. Psalm 69 (9:13)


Link Pt.1 > Pt.2.

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

E-mail de contato para links quebrados ou outros problemas: murodoclassicrock@gmail.com

Antes de comentar leia as regras que estão próximas do formulário, comentários desrespeitando as mesmas, não serão publicados e nem atendidos.

5 comentários :

  1. Essa banda é top. Agora vou completar minha discografia. Valeu Alex!

    ResponderExcluir
  2. Dinho Castro29/10/14 22:41

    Mais uma grande discografia. Há tempos procurava por essa discografia. quando achava, eram sempre links quebrados. Obrigado Alex! Long live muro!

    ResponderExcluir
  3. Que acervo maravilhoso fantástico!!!
    Bato ponto aqui todos os dias e compartilhos essas preciosidades.
    Vlws MURO, vida LONGA, viva o ROCK!!!

    ResponderExcluir
  4. Grande banda, Ministry é simplesmente foda. All Jourgensem é um gênio do Industrial Hardcore.

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.