Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

15 de dezembro de 2014

Parish Hall (1970)

Em nome da guitarra, do baixo e de uma bateria santa, amém! 

Não há como negar: o power trio é a santíssima trindade do rock pesado. Depois que o Experience e o Cream revelaram o verbo, a humanidade foi abençoada pelo divino poder dos decibéis. Hendrix e Clapton, no lugar mais alto do panteão dos deuses da guitarra, ergueram verdadeiras catedrais sonoras para o deleite dos beatos. Mais humilde e menos virtuoso, o guitarrista Gary Wagner, como o próprio nome da sua banda indica, ergueu no máximo uma modesta paróquia. Mas vale ajoelhar e agradecer ao céu pelo som do único e maravilhoso disco do Parish Hall. 

Não é fácil obter informações sobre essa banda e as únicas que existem, tiradas, a maioria, do relançamento do disco em CD, são repetidas feito ladainha por um número cada vez maior de fiéis: 

“Parish Hall was a power trio from the California Bay Area. The band consisted of Gary Wagner (guitar, piano, vocals), John Haden (bass), and Steve Adams (drums). Specializing in a hard rock/blues rock sound, their album was originally released near the end of 1970 on a small local California record label. Reminiscent of the sound of another popular trio of the day, the Jimi Hendrix Experience, Parish Hall had begun to gain the recognition of some European collectors by the late 1990s, and original shave fetched high prices in collector’s markets. All songs on this album are originals written by Wagner and hold up well when compared to other hard rock acts. (by Keith Pettipas)” 

O que posso acrescentar é que Gary Wagner, na época em que o disco saiu, em 1970, pelo obscuro selo Fantasy, tinha 25 anos e apesar de ser um rapaz calmo e reticente, era um dos músicos mais intensos da cidade de Stockton, no interior da Califórnia. Ele havia passado o último ano criando um som que, em sua cabeça, deveria ser “a música de sete ou oito anos atrás atualizada… música simples, sem distorções”. 

Gary esteve envolvido com música desde os 12 anos, quando começou a estudar saxofone e a tocar numa banda marcial. Lá pelos 18 anos ele já estava saturado das lições de música e resolveu começar a tocar suas próprias ideias, o som que tinha na mente. Abandonou o sax e adotou a guitarra e o órgão, passando a se inspirar nos blues que ouvia de seus novos ídolos Howlin Wolf, T-Bone Walker, Muddy Waters e B. B. King. Gary alegava ter um bloqueio mental contra o uso de qualquer tipo de distorção porque acreditava na pureza do blues e também porque sentia que apenas uma ou duas pessoas (Hendrix e Jeff Beck) sabiam dominar as técnicas necessárias para isso. Seu estilo vocal, ainda em sua própria definição, foi influenciado por Ray Charles e seus seguidores, como Joe Cocker e Steve Winwood. 

As fortes convicções de Gary fizeram com que ele entrasse e saísse de várias bandas da região de Stockton. Mas foi quando tocou na banda The Chosen Few que ele teve seu primeiro vislumbre do estrelato, justamente quando Sly Stone produziu um single da banda. Problemas financeiros com a gravadora, no entanto, frustraram o lançamento do single e desanimaram tanto Gary Wagner que ele decidiu repensar sua vida e se dedicar a recuperar carros antigos. Chegou a ter em sua coleção 16 carros, entre eles um RollsRoyce 1932 e dois Packards. Foi dessa coleção que surgiu a inspiração para duas músicas: “Dynaflow” e “Silver Ghost”. 

O Parish Hall marcou a volta de Gary Wagner à música, compondo uma espécie de dez mandamentos do hard/blues (5 do lado A e 5 do lado B) que todo coroinha do rock deveria repetir em sua primeira comunhão. Texto: Marco Gaspari. 

 

Integrantes.

Gary Wagner (Vocais, Guitarra, Piano)
Steve Adams (Bateria)
John Haden (Baixo)

 
01. My Eyes Are Getting Heavy (5:16)
02. Dynaflow (3:06)
03. Ain't Feelin' Too Bad (2:50)
04. Silver Ghost (2:53)
05. Skid Row Runner (3:19)
06. Lucanna (2:32)
07. We're Gonna Burn Together (2:37)
08. Somebody Got the Blues (3:02)
09. How Can You Win? (2:53)
10. Take Me with You When You Go (2:55)
 


(320Kbps)


Senha/Password: muro

E-mail de contato para links quebrados ou outros problemas: murodoclassicrock@gmail.com

Antes de comentar leia as regras que estão próximas do formulário, comentários desrespeitando as mesmas, não serão publicados e nem atendidos.

4 comentários :

  1. Luis Rogério16/12/14 10:01

    ...que bela resenha bicho!!! Falou em "power trio" e "Hard Rock/Blues Rock" eu tô dentro!!!...hehehe...\o/

    Com uma resenha dessas podem baixar sem arrependimento!!! :D

    ResponderExcluir
  2. BERTHÔ (José Berto)16/12/14 13:18

    BANDASSA.....RARIDADE OBSCURA QUE TODO ROQUEIRO DEVERIA OUVIR E APRECIAR SEM MODERAÇÃO !
    RECOMENDO OUVIR BEM ALTO..TIPO INCOMODANDO O VIZINHO rsrsrs...VALEU ALEX POR + 1 MOMENTO !

    ResponderExcluir
  3. Baixando agora mesmo! rs
    Feliz natal Alex, com muita saúde e paz!

    Marcio

    ResponderExcluir
  4. hard com pegada blues. Muito bom

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.