Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

19 de janeiro de 2015

The Cramps - Discografia.

Essa é uma das bandas mais insanas (se não for a mais) do planeta. Liderados por um cantor que parece ter saído diretamente do hospício e por uma guitarrista que parece noiva do Conde Drácula e que é o cérebro do grupo, os Cramps são uns dos grupos mais anárquicos, divertidos e básicos do mundo. Sua mistura de rockabilly, com história de terror e um visual kitsch, fazem deles os inventores do pshychobilly. Ficou curioso em conhecer essa banda? Pois descobrirá que detrás de seu visual de mulher fatal, com saias curtas, biquínis e saltos altíssimos, Poison é uma baita guitarrista e que Lux, nunca, em hipótese alguma, deveria ter permissão para subir em um palco sem estar com uma camisa -de -força. Essa combinação única rendeu aos Cramps uma idolatria e uma personalidade única. E nunca mexa com Poison, ou a garota de biquíni pode puxar uma metralhadora e aí você terá que correr mais do que Lux em cima de um palco... 

Lux Interior e Poison Ivy formam o núcleo de um grupo que mistura de forma absolutamente brilhante o rockabilly dos anos 50, humor, psicodelia, sexo, filmes B de terror, performances alucinantes e um visual absolutamente kitsch.

Se a receita te deixou com água na boca, espere até ver as peripécias pela qual a banda já passou: desde um ex-integrante que fugiu com a van e todos os equipamentos do grupo no meio de uma turnê, deixando os demais sem eira na beira; a forma inusitada com que Kid Congo Powers entrou para o grupo; o convite de Sofia Coppola para que Lux fizesse uns gritos de terror na versão que seu pai, Francis Ford, fez para Dracula; até a monstruosa coleção de discos de 78 e 45 rotações da lendária Sun Records, que confessam possuir todo o acervo, com exceção de uma meia dúzia de compactos.

Mas você descobrirá também que atrás de uma postura maluca, escondem-se duas pessoas que de bobos nada têm. Vamos então aos fatos... Há mais de 30 anos atrás, em 1972, Erick Purkisher (nascido no dia 21 de outubro de 1946, em Stoh, Ohio) viu uma gata pedindo carona em uma estrada da Califórnia. Parou sua moto, ofereceu uma carona. A gata em questão era Kristy Wallace (nasceu no dia 20 de fevereiro de 1953, em Sacramento, Califórnia) e de cara apaixonaram-se. Os dois estavam indo para uma mesma escola estudar Arte e Xamanismo (nem me perguntem onde era o curso, pois não faço a menor idéia...)

Desde cedo resolveram adotar nomes diferentes ao de batismo: Erick tornou-se Vip Vop e Kristy, Poison Ivy Rorschach, nome tirado de um sonho (Rorschach é também o nome do famoso teste do borrão de tinta). Durante dois anos perambularam por Sacramento fazendo coisas totalmente ilegais e mundanas até começarem a ser perseguidos pela polícia local. Resolveram então deixar a cidade e mudar para a pequena Akron, em Ohio. Um dia, Erick (ou Vip Vop) viu um anúncio de carro com os dizeres "lux interior" e resolveu adotar esse nome. Nascia a dupla de insanos Lux Interior e Poison Ivy.

Foi nessa época em que viviam em Sacramento que realizaram uma viagem que mudaria a vida do casal. Os dois ouviram um boato que se fossem até Memphis poderiam comprar discos da famosa gravadora Sun Records a granel e por uma ninharia. Lux e Ivy montaram então em sua perua Chevey 61 e foram até a cidade, mais precisamente até uma loja chamada Selective Hits, que ficava em um armazém da antiga gravadora. Lotaram a perua com raridades em 78 e 45 rpm. Para se ter uma idéia, compactos raros e numerados do antigo e esquecido cantor Billy Lee Riley custava a ninharia de 18 centavos. 

A paixão pelo gênero aumentou ainda mais em Akron, onde, segundo Lux, muitas pessoas chegavam com discos dos anos 50 para vender em sebos. Uma das maiores preciosidades do casal é um compacto dos Teen Kings, banda de Roy Orbison, antes de fazer sucesso como cantor, gravando pela mesma Sun. Foi essa paixão que os estimulou a formarem um grupo. Seguindo totalmente a linha oposta de outros grupos, a loira Ivy assumiu a guitarra, pegando os poucos acordes que tinha aprendido com o irmão e os desenvolvendo ouvindo os discos que tinham. 

Lux resolveu ser cantor, após assistir uma apresentação de Marc Bolan. Ao perceberem que em Akron dificilmente conseguiriam arranjar pessoas interessadas em montar uma banda, mudaram para a única cidade, na visão deles, que qualquer pessoa iria se quisesse sucesso: Nova York. Vale citar que Akron foi a terra de duas figuras fundamentais da cena punk e new wave: os insanos Devo e Chrissie Hynde, dos Pretenders. Resolveram então se intitular Cramps, nome tirado quando Poison viu uma capa de disco dos Kinks. Em fevereiro de 1976, Lux encontrou um sujeito estranho de quem gostou e ficou amigo: Brian Gregory. Gregory havia chegado de Detroit para tentar a sorte como artista gráfico. Os três se reuniram no dia em que Ivy completava 23 anos e resolveram montar um grupo. 

Três dias depois resolveram fazer um ensaio e, para surpresa de Poison, Brian surgiu com uma guitarra Flying V. Poison e Lux não tiveram coragem de dizer para Brian que eles queriam um baixista, já que Gregory havia gastado toda sua grana com o instrumento. Como eles nunca quiseram formar uma banda que tivesse mais do que quatro pessoas, resolveram que não teriam um baixista. 

Faltava agora apenas um baterista. Brian resolveu logo o problema, sugerindo que sua irmã Pam assumisse o posto. Em junho, Pam veio de Detroit e logo foi apelidada de Pam Balam. Os quatro passaram a ensaiar diariamente em um porão de uma loja de discos e o repertório era, basicamente, canções dos anos 50, junto com algumas composições de Lux e Ivy, entre elas, “TV Set”, “I Was a Teenage Werewolg” e “Don’t Eat Stuff Off the Sidewalk”. Mas essa formação jamais fez sequer uma apresentação e no mês de agosto, Pam retornou para Detroit. 

Em setembro outra garota resolveu ser a baterista, Miriam Linna. Passaram mais dois meses ensaiando e montando toda a concepção sonora e estética dos Cramps e no dia 1º de novembro, debutaram no palco, abrindo para o Suicide, no CBGB. O show foi marcado pela inexperiência do grupo, que teve a má idéia de tocar todas as cordas de suas guitarras antes de entrarem em cena. O resultado foi que tocaram totalmente fora do tom e desafinados. Mesmo assim, a platéia formada por punks, adorou o grupo e conseguiram permissão de Hilly Kristal, dono do clube, para tocarem lá regularmente. 

Começaram então a fazer shows por toda a cidade, vários deles abrindo para os Dead Boys e Ramones. O repertório era formado por canções de Roy Orbison, Link Wray e músicas próprias. Em junho de 1977 resolveram gravar algumas canções com o produtor Richard Robinson, mas o resultado ficou aquém do esperado. No mês seguinte, os Cramps foram a atração principal de um festival no próprio CBGB. Nessa época Linna deixou o grupo, indo tocar em várias bandas como The Zantees e The A-Bones. 

Entra em seu lugar outra figura igualmente estranha, Nicholas Stephanoff, de Cleveland e que era chamado de Nick Knox. Nick já havia sido baterista do The Electric Eels, grupo que teve em sua formação algumas figuras do Pere Ubu. Nessa mesma época o grupo ganha um fã de respeito e que queria produzir a banda: Alex Chilton. Após uma reunião, resolveram que todos iriam para Memphis - lar do rock and roll e de Chilton - para trabalharem em novas canções. 

Trabalharam no estúdio Ardent e em outubro já tinham várias músicas, entre elas, uma cover de “Domino” (Roy Orbison), "The Way I Walk" (Jack Scott), "Surfin’ Bird" (Trashmen), "Lonesome Town" (Ricky Nelson), "Rockin’ Bones" (Ronnie Dawson) e material próprio - "Human Fly", "Twist and Shout" e "The Mad Daddy" (uma homenagem de Lux a um DJ de Ohio, Pete Myers. E já que estavam em Memphis, gravaram no estúdios Sam C Philips, uma cover de Sonny Burgess, "Red Headed Woman", tendo a participação de Jimmy Dickinson. 

Em dezembro, a banda viaja com Chilton para Londres, onde iriam remixar algumas faixas. Chilton havia feito um contato com a gravadora Ork, que acabou não assinando com o grupo. O jeito foi montarem um selo próprio (Vengeance) e lançaram o compacto "Surfin' Bird"/ "The Way I Walk", em abril de 1978, e que acabou vendendo 6 mil cópias. Foi com esse compacto que os Cramps adotaram um logotipo, inspirado nas histórias Tales from the Crypt. 

Em maio, fizeram um filme de três minutos, de baixíssimo orçamento, inspirado na canção "Human Fly" e embarcaram para a primeira turnê na costa oeste norte-americana. Abriram shows para as Runaways, de Joan Jett, no Whisky A Go-Go. Mas talvez o momento maior tenha sido o show em uma instituição psiquiátrica no hospital Napa State. 

Em novembro lançam o segundo single, "Human Fly"/ "Domino" e no começo de 1979 entraram em estúdio com Chris Spedding (que havia produzido a primeira demo dos Sex Pistols) para comporem novas canções e mostrarem para as grandes companhias. Nessas sessões gravaram cinco músicas: "Weekend on Mars", "Twist and Shout", "Teenage Werewolf", Rockin' Bones" e "Mad Daddy". Acabaram convidados para abrirem um show do Clash, em Nova York, e conseguem um contrato com a gravadora I.R.S., de propriedade de Miles Copeland III, irmão de Stewart Copeland, baterista do Police. 

Foi nessa época que a banda cunhou um termo no qual seriam considerados os maiores expoentes: pshychobilly. Lux explica como surgiu esse nome: "enquanto muitas bandas caíam de boca no punk, nós mergulhamos de cabeça no rock and roll dos anos 50 - que era o rockabilly - e misturamos com os grupos punks de garagem dos anos 60, de rock instrumental, psicodelismo, soul music, tudo com muita velocidade. Essa mistura rendeu o termo pshychobilly." Copeland tinha adorado a postura demente em palco, com Lux destruindo vários microfones e Poison Ivy, sempre de saia e salto alto tocando sua guitarra Gretsch. 

Aliás, Poison disse que nunca sofreu preconceito por parte dos homens pelo fato de ser guitarrsta: “às vezes um idiota tenta mexer comigo quando entro em uma loja de instrumentos me chamando de gatona. Quando me reconhecem, dizem que tenho uma pegada pesada como a de um homem, tentando me elogiar”, explica Ivy. Em junho parte em uma turnê com o próprio Police e lançam o EP Gravest Hits, com cinco músicas: "Human Fly", "The Way I Walk", "Domino", "Surfin' Bird" e Lonesome Town". 

No mês seguinte voam para Memphis para gravarem o primeiro LP do grupo, Songs The Lord Taught Us, com produção de Alex Chilton. O disco foi lançado apenas em maio de 1980 e fez um certo furor na parada independente inglesa. Enquanto Chilton trabalhava nas canções, o grupo saiu em mais uma seqüência de shows pela América e Europa. 

Em abril, se encontram com Lindsay Hutton, que sonhava em montar o "The Legion of Cramped fan club", ao lado de um amigo apaixonado pela banda. O nome do rapaz? Morrissey. O fã clube encerraria as atividades em agosto de 1983, a pedidos de Lux e Ivy. E foi nessa excursão que algo insólito aconteceu: após um show em Berkeley, Brian Gregory, pegou a van com todo os equipamentos da banda, guiou a noite inteira e nunca mais apareceu. 

Os integrantes pensaram que Brian havia morrido, mas souberam, anos depois, que o mesmo havia montado um grupo chamado Beast e que estava vivendo na Flórida, trabalhando em sex shops, fazendo tatuagens e traficando. Brian acabaria morrendo no dia 10 de janeiro de 2001, em Anaheim, na Califórnia, mas nunca teve o perdão de Lux e Ivy. "Quando ele fugiu com nossa van e todo o nosso equipamento, nos deixou em uma situação tremendamente complicada. O pior que nunca mais nos procurou para se explicar, por isso nunca mais quisemos saber dele", disse Ivy. Sem Brian, convocaram às pressas Julien Griensatch, que deixou o grupo em setembro, mas participando ainda do filme Urgh! A Music War, um festival realizado por Copeland com várias bandas importantes (Echo and the Bunnymen, XTC entre outros) e que se encerrava com um show do Police. Ainda nesse mês sai um outro single "Drug train", ainda com a participação de Brian. Lux e Ivy resolvem deixar Nova York e mudar para Hollywood. Com a saída de Julien, o grupo precisava de mais um integrante e conseguiram um fã maluco que tocava em uma banda chamada The Gun Club: Kid Congo Powers. Kid foi notado após jogar um tijolo em uma janela da casa de Lux e Ivy como forma de chamar a atenção. 

Em dezembro a banda viaja para Londres e realiza um show no Lyceum e finaliza as gravações do segundo disco Pshychedelic Jungle. Sem Chilton, a produção fica por conta do próprio grupo, fato que se repetiria nos demais discos. O álbum é lançado em abril de 1981 e o grupo volta para a Europa em maio para uma série de shows. Em novembro, o grupo é convidado pela televisão ABC para um especial de Halloween, ao lado de Maila Nurmi, que viveu nos anos 50 a personagem Vampira, e que tinha participado do filme Plan 9 From Outer Space, de Ed Wood. Em janeiro de 1982, o grupo processa a I.R.S., exigindo mais de US$ 1,1 milhão. O processo se arrastou por dois anos e durante esse período a banda ficou proibida de lançar qualquer disco. A solução era excursionar e foi o que a banda fez incessantemente. No outono daquele ano, Nick precisou fazer uma cirurgia no olho de emergência e foi temporariamente substituído por Terry Graham, do Gun Club. A cirurgia acabaria deixando Knox vesgo. 

Em fevereiro de 1983, o grupo realizou dois shows no Peppermint Lounge, nos dias 25 e 26, que acabariam sendo usados como um novo disco ao vivo. Enquanto isso, a I.R.S. lança uma coletânea da banda ...Off The Bone. No segundo semestre, Kid Congo volta para o Gun Club, e o grupo lança o mini-LP Smell of Female, pela Enigma, na América, e pela Big Beat, no Reino Unido, em novembro, após um acordo extra-judicial com a I.R.S. que nunca ficou bem explicado. No futuro, Congo tocaria em várias bandas e entre elas, com os Bad Seeds de Nick Cave. A saída de Congo também marcaria de alguma forma o final da formação com dois guitarristas e nenhum baixista. O primeiro chamado para substituí-lo foi um primo de Knox, Ike, entrando depois Click Mort. 

Em 1984, o grupo participou da trilha sonora do filme The Return of The Living Dead. Nick, Ivy e Lux entregaram "Surfin' Dead", em três dias e nessa faixa o baixo ficou por conta de Lux, o primeiro instrumento que tocou na vida. Também participaram de um especial para o programa The Tube e também fizeram um show em Nova York com o lendário Screamin' Jay Hawkins. Nesse ano sai a coletânea Bad Music for Bad People, uma compilação de aproximadamente 31 minutos, com 11 faixas, aproveitando lados B e raridades dos tempos da I.R.S. Uma curiosidade é a faixa "New Kind of Kick", que foi regravada pelos escoceses do Jesus and Mary Chain. Vale um destaque especial para a capa do disco. O grupo passou todo o ano de 1984 procurando um novo integrante, mas não conseguiu encontrar e, em 1985, lançam um novo single "Can You Pussy Do The Dog?", com Ivy tocando guitarra e baixo. A canção alcançou a primeira posição na parada independente da Inglaterra. 

Em fevereiro de 1986 lançam um novo disco, A Date With Elvis, que só teria uma edição americana em 1990. O disco alcançou novamente a primeira posição na parada independente e ficou por lá durante sete meses. Além de "Can You Pussy Do The Dog?", outro hit era "What's Inside a Girl?". A banda parte em shows para promover o disco com Fur, no baixo, que faz sua estréia no grupo no dia 7 de março em uma transmissão da BBC Radio One.
O grupo ainda encontrou tempo para participar da estréia do filme "The Return of The Living Dead" e se apresentam novamente do programa The Tube, tocando "What's Inside a Girl" e "Hot Pearl Snatch". 

Em abril, "What's Inside a Girl" vira single, tendo, no lado B, duas canções, "Andy Starr's Give Me a Woman" e "The Man-Eaters' Get Off The Road". Essa última foi igualmente lançada como lado B de “Kizmiaz”, novo single do grupo e que saiu em junho. No encarte do disco dedicam o trabalho ao cantor Ricky Nelson, um dos maiores ídolos adolescentes dos anos 50 e de quem tinham gravado "Lonesome Town", em Gravest Hits. Rick, que havia se tornado cantor para impressionar uma namorada sua apaixonada por Elvis Presley, acabou se tornando um enorme sucesso e morreu no dia 31 de dezembro de 1985, aos 45 anos. Ivy considerava Nelson o mais bonito de todos os cantores dos anos 50. "Ele era maravilhoso e dono de uma voz linda. Ficou muito marcado como um ídolo teen, mas eu era simplesmente apaixonada por ele." 

Após o final da turnê européia Fur foi demitida por ter exigido uma montanha de dinheiro para permanecer no grupo. O futuro de Fur seria bizarro. Faria participações em dois programas da série Alfred Hitchcock Presents, dedicado às histórias de terror (e que chegou a passar aqui no Brasil) e virou uma cantora de folk com o nome Fur Dixon. Lux reclamava das dores de cabeça que era conseguir um quarto membro fixo para os Cramps. "Uns nos roubam, outros desistem rápido e agora vem a Fur, que estava jogado às moscas e se divertindo com a gente, fazer exigências absurdas. Ela não é uma grande baixista para pedir tanto. Isso tudo me deixa muito puto." Mas a saída da baixista acabou causando atraso nos shows que os Cramps iria realizar na Austrália e Nova Zelândia. Mas a sorte sorriu para a banda e conheceram Candy Del Mar, que topou entrar no grupo. Com ela gravaram outro disco ao vivo, Rockinnreelininaucklandnewzealandxxx, gravado no dia 30 de agosto, em Auckland, na Nova Zelândia e que foi lançado no mês seguinte, ficando em quarto lugar na parada independente inglesa. 

O grupo passou boa parte de 1988 descansando e, apenas em outubro, entraram em estúdio com a intenção de gravar um disco que pudesse chamar a atenção de um grande selo. Um intervalo para fazerem quatro shows comemorativos ao Halloween, a festa favorita de Lux. No início de 1989, o diretor John Waters, especialistas em filmes cults e B, convida o grupo para participarem de seu novo filme, Cry-Baby. A banda grava "King of The Drapes", "Teenage Rage" e "High School Hellcats", ao vivo, em um gravador de dois canais. No entanto, as canções foram recusadas por pelos produtores. Porem, acabaram conseguindo um contrato com a Engima, que agora pertencia a EMI. Em janeiro lançam um single excepcional e que ficou na 35ª posição da parada inglesa (não era mais a independente) e que teve um vídeo divertidíssimo veiculado maciçamente na MTV. O nome da música era "Bikini Girls With Machine Guns". No mês seguinte sai o novo disco, Stay Sick!, com uma bela foto de Ivy na capa e Candy del Mar fixada como baixista. A banda é também destaque na capa da coletânea The Last Temptation of Elvis, feita pelo semanário inglês New Musical Express. O Cramps participa de três grandes festivais, na Dinamarca, Finlândia e Reino Unido, além de mais 42 apresentações na América. Ao final da gigantesca turnê, o grupo perde Candy del Mar e Nick Knox, que deixam os Cramps. 

Knox estava cansado da vida de viagens e de ser apenas um coadjuvante do casal Lux e Ivy, e volta para Nova York. Os dois foram substituídos por Slim Chance (ex-Mad Daddys) e Jim Sclavunos (ex-Teenage Jesus and The Jerks e que depois tocaria, assim como Kid Congo, com Nick Cave and the Bad Seeds). Com os dois, lançam outro disco, Look Mom No Head!. O disco tinha como maior destaque a participação de um grande fã da banda na faixa "Miniskirt Blues": Iggy Pop. Mas a maior surpresa viria a seguir: Sofia Coppola, filha do famoso diretor Francis Ford Coppola, convida Lux para fazer alguns overdubs de gritos no novo filme do pai, Dracula. O grupo perde Sclavunos, entrando rapidamente Nickey Alexander (Weirdos) em seu lugar, que logo dá lugar a Harry Drumdini. Seria com Slim e Drumdini que gravariam os dois próximos discos. 

Em 1993, participam do programa "Beavis and Butt-Head", com o vídeo de "Bikini Girls". A banda consegue um contrato com a Warner e lançam em 1994, Flamejob. A gravadora queria que o grupo conseguisse vendas expressivas como as de Stay Sick!, com mais de 200 mil cópias, fato que surpreendeu, inclusive, a banda. 

Em 1995, o grupo sai para outra série interminável de shows, passando pela América do Sul (alguém poderia me dizer se vieram ao Brasil? eu não me lembro!), Europa e Japão. Em uma de outras bizarrices fizeram uma ponta no seriado Beverly Hills 90201, que passou nos trópicos com o ridículo título de Barrados no Baile (ok, o seriado era igualmente idiota...) Dispensados pela Warner, migram para a Epitaph e lançam em 1997 Big Beat from Badsville (que milagrosamente saiu aqui no Brasil, e que cansei de vender quando trabalhava na Sweet Jane, por 12 reais!) e outra tour. A Epitaph é conhecida como um selo de "speed punk". O acordo surgiu de uma maneira inusitada. Lux explica: "eles ligaram para a Medicine Records, o selo da Warner pelo qual gravamos Flamejob e perguntaram o motivo do disco não ter saído em vinil. A Medicine disse que o vinil era algo sem valor, pré-histórico e então a Epitaph pediu autorização para lançá-lo nesse formato. Eles nos chamaram para conferirmos a qualidade das prensagens e ficamos maravilhados com o trabalho. Por isso, quando saímos da Warner assinamos com eles." 

Lux afirma que o fato de serem um selo de bandas punk não o incomoda: "eu não estou muito familiarizado com esse rótulo de 'punk music'. Tenho idéias diferentes do que é ser punk, do período em que começamos e tínhamos essa veia punk. Hoje o gênero está mais rápido, alto e duro, mas eu não vejo problema nisso, pelo contrário, porque estão dando emprego para novos grupos e pessoas que gostam do gênero e querem divulgá-lo. Para mim, o nome punk é tão vasto! Isso me lembra quando fomos chamados pais do psychobilly. E até hoje considero William Burroughs (escritor beat, autor do livro Naked Lunch) o maior punk do planeta!" O grupo começou novamente um entra-e-sai infernal e ficaram em um hiato grande de lançamento até Fiends of Dope Island sair em 2003, com Choper Franklin no baixo. 

Infelizmente, o Cramps se encerrou após a morte de Lux Interior, em 4 de fevereiro de 2009, aos 62 anos, por problemas coronários, que já o acompanhavam há alguns anos. Sem o carismático cantor e marido amado, Poison Ivy não viu razões para continuar com o grupo, afinal, quem poderia substituí-lo? Nem Iggy Pop. Um final triste para uma grande banda, que deixou influências enormes. Basta dizer que o jovem e ainda desconhecido Morrissey disse, após um show da banda, em Manchester, que a "vinda dos Cramps foi a coisa mais importante na cidade nos últimos 10 anos!" Texto: Mofo. Site Oficial. 

Integrantes.

Última Formação.

Lux Interior (Vocais, 03/1976 > 02/2009)
Poison Ivy (Guitarra, Vocais, 03/1976 > 02/2009)
Harry Drumdini (Bateria, 02>06/1993, 08/2006 > 02/2009)
 

Ex-Integrantes. 

Bryan Gregory (Greg Beckerleg) (Guitarra, 04/1976 > 05/1980)
Pam Ballam (Pam Beckerleg) (Bateria, 04 > 05/1976)
Miriam Linna (Bateria, 10/1976 > 06/1977)
Nick Knox (Bateria, 06/1977 > 01/1991)
Julien Grindsnatch (Guitarra 07 > 09/1980)
Kid Congo Powers (Brian Tristan) (Guitarra, 12/1980 > 09/1983)
Mike Metoff (Ike Knox) (Guitarra, 10>11/1983 - 01 > 07/1984)
Click Mort (Guitarra, 12/1983)
Jim Sclavunos (Bateria, 1991)
Touch Hazard (Tim Maag Do The Mechanics) (Baixo, 1985)
Fur (Jennifer Dixon) (Baixo, 03 > 06/1986)
Candy Del Mar (Baixo, 07/1986 > 01/1991)
Slim Chance (Baixo, 03/1991 > 08/1998)
Nickey Alexander (Bateria, 06/1991 > 01/1993)
Doran Shelley (Baixo, 1998 > 1999)
Sugarpie Jones (Baixo, 2000)
"Jungle" Jim Chandler (Percussão, Turnê Européia 2004)
Bill "Buster" Bateman (Bateria, 06/2004 > 08/2006)
Scott "Chopper" Franklin (Baixo e Guitarra, 01/2002 > 09/2006)
Jen Hanrahan (Castanhola, 06 > 08/2000)
Sean Yseult (Shauna Reynolds) (Baixo, 10 > 11/2006)
 

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro


Bitrate: 320Kbps.

Álbuns.

Songs The Lord Taught Us (1980)
 
01. TV Set (3:13)
02. Rock On The Moon (1:47)
03. Garbageman (3:40)
04. I Was A Teenage Werewolf (3:07)
05. Sunglasses After Dark (3:47)
06. The Mad Daddy (3:47)
07. Mystery Plane (2:45)
08. Zombie Dance (1:55)
09. What's Behind The Mask (2:06)
10. Strychnine (2:25)
11. I'm Cramped (2:37)
12. Tear It Up (2:33)
13. Fever (4:16)
 
Bonus Tracks.
14. I Was A Teenage Werewolf (With False Start) (4:50)
15. Mystery Plane (Original Mix) (2:39)
16. Twist and Shout (2:31)
17. I'm Cramped (Original Mix) (2:37)
18. The Mad Daddy (Original Mix) (3:17)
 


Psychedelic Jungle (1981)
 
01. Green Fuz (2:09)
02. Goo Goo Muck (3:06)
03. Rockin' Bones (2:49)
04. Voodoo Idol (3:39)
05. Primitive (3:32)
06. Caveman (3:51)
07. The Crusher (1:48)
08. Don't Eat Stuff Off The Sidewalk (2:04)
09. Can't Find My Mind (3:02)
10. Jungle Hop (2:07)
11. The Natives Are Restless (3:00)
12. Under The Wires (2:45)
13. Beautiful Garden (3:59)
14. Green Door (2:37)


Smell of Female (Live 1983)
 
01. Thee Most Exaulted Potentate of Love (3:03)
02. You Got Good Taste (3:27)
03. Call of the Wighat (4:01)
04. Faster Pussycat (2:33)
05. I Aint Nuthin But A Gorehound (3:16)
06. Psychotic Reaction (3:55)
07. Beautiful Gardens (3:08)
08. She Said (5:18)
09. Surfin Dead (4:12)


Off The Bone (Coletânea 1983)
 
01. Human Fly (2:14)
02. The way I Walk (2:40)
03. Domino (3:09)
04. Surfin' Bird (5:08)
05. Lonesome Town (3:02)
06. Garbageman (3:32)
07. Fever (4:19)
08. Drug Train (2:37)
09. Love Me (2:03)
10. I Can't Hardly Stand It (2:42)
11. Goo Goo Muck (3:06)
12. She Said (3:18)
13. The Crusher (1:49)
14. Save It (2:58)
15. New Kind of Kick (3:31)
16. Uranium Rock (2:30)
17. Good Taste (Live) (3:30)


Bad Music For Bad People (Coletânea 1984)
 
01. Garbageman (3:34)
02. New Kind of Kick (3:30)
03. Love Me (2:03)
04. I Can't Hardly Stand It (2:40)
05. She Said (3:16)
06. Goo Goo Muck (3:08)
07. Save It (2:57)
08. Human Fly (2:14)
09. Drug Train (2:37)
10. TV Set (3:14)
11. Uranium Rock (2:28)


A Date With Elvis (1986)
 
01. How Far Can Too Far Go? (4:11)
02. The Hot Pearl Snatch (3:19)
03. People Ain't No Good (3:46)
04. What's Inside A Girl? (3:21)
05. Can Your Pussy Do The Dog? (3:21)
06. Kizmiaz (3:02)
07. Cornfed Dames (5:27)
08. Chicken (1:40)
09. (Hot Pool Of) Womanneed (3:10)
10. Aloha From Hell (2:35)
11. It's Just That Song (2:36)


RockinNReelinInAucklandNewZealandXXX (Live 1986)
 
01. The Hot Pearl Snatch (3:22)
02. People Ain't No Good (3:18)
03. What's Inside a Girl? (3:07)
04. Cornfed Dames (4:50)
05. Sunglasses After Dark (4:11)
06. Heartbreak Hotel (3:35)
07. Chicken (1:38)
08. Do The Clam (2:44)
09. Aloha From Hell (2:42)
10. Can Your Pussy Do The Dog? (3:38)
11. Birdfeed (4:10)
12. Blue Moon Baby (2:43)
13. Georgia Lee Brown (3:21)
14. Lonesome Town (3:37)


Nazibilly Werwoelfen, 1979 (Bootleg 1988)
 
01. The Way I Walk (2:29)
02. Everybody's Moving (3:13)
03. Domino (3:58)
04. Rocket in My Pocket (3:24)
05. Human Fly (2:26)
06. Rockin' Bones (2:43)
07. Teenage Werewolf / Sunglasses After Dark (8:12)
 


Stay, Sick! (1989)
 
01. Bop Pills (2:25)
02. God Damn Rock & Roll (2:39)
03. Bikini Girls With Machine Guns (3:18)
04. All Women Are Bad (3:06)
05. Creature from the Black Leather Lagoon (3:13)
06. Shortnin' Bread (2:49)
07. Daisys up Your Butterfly (2:38)
08. Everything Goes (3:46)
09. Journey to the Center of a Girl (4:49)
10. Mama Oo Pow Pow (2:34)
11. Saddle Up a Buzz Buzz (2:43)
12. Muleskinner Blues (2:49)
13. Her Love Rubbed Off (2:59)
14. Her Love Rubbed Off (Live) (5:05)
15. Bikini Girls With Machine Guns (Live) (3:20)


Look Mom No Head (1991)
 
01. Dames, Booze, Chains And Boots (4:36)
02. Two Headed Sex Change (2:53)
03. Blow Up Your Mind (4:29)
04. Hardworkin' Man (4:03)
05. Miniskirt Blues (2:40)
06. Alligator Stomp (4:05)
07. I Wanna Get In Your Pants (4:19)
08. Bend Over, I'll Drive (4:06)
09. Don't Get Funny With Me (3:23)
10. Eyeball In My Martini (3:21)
11. Hipsville 29 B.C. (2:31)
12. The Strangeness In Me (3:16)
 


Flamejob (1994)
 
01. Mean Machine (3:57)
02. Ultra Twist (3:48)
03. Let's Get F*cked Up (3:55)
04. Nest Of The Cuckoo Bird (3:26)
05. I'm Customized (3:05)
06. Sado County Auto Show (2:59)
07. Naked Girl Falling Down The Stairs (2:45)
08. How Come You Do Me? (2:17)
09. Inside Out And Upside Down (With You) (2:28)
10. Trapped Love (2:00)
11. Swing The Big Eyed Rabbit (3:40)
12. Strange Love (2:49)
13. Blues Blues Blues (2:24)
14. Sinners (2:07)
15. Route 66 (Get Your Kicks On) (3:17)
 


Big Beat From Badsville (1997)
 
01. Cramp Stomp (3:25)
02. God Monster (4:07)
03. It Thing Hard-On (2:48)
04. Like A Bad Girl Should (3:05)
05. Sheena's In A Goth Gang (2:45)
06. Queen Of Pain (3:50)
07. Monkey With Your Tail (3:38)
08. Devil Behind That Bush (3:34)
09. Super Goo (2:28)
10. Hypno Sex Ray (2:26)
11. Burn She-Devil, Burn (2:24)
12. Wet Nightmare (3:36)
13. Badass Bug (2:26)
14. Haulass Hyena (2:49)


Fiends Of Dope Island (2003)
 
01. Big Black Witchcraft Rock (3:28)
02. Papa Satan Sang Louie (2:48)
03. Hang Up (2:45)
04. Fissure Of Rolando (3:53)
05. Dr. Fucker M.D. (Musical Deviant) (3:18)
06. Dopefiend Boogie (4:21)
07. Taboo (3:48)
08. Elvis Fucking Christ! (3:19)
09. She's Got Balls (2:59)
10. Oowee Baby (3:08)
11. Mojo Man From Mars (3:00)
12. Color Me Black (4:02)
13. Wrong Way Ticket (4:26)
 


How to Make a Monster (Coletânea 2004)
 
CD 1.

Summer 1976.
01. Quick Joey Small
02. Lux's Blues
03. Love Me
04. Domino
05. Sunglasses After Dark
06. Subwire Desire
07. TV Set
08. Sunglasses After Dark
 
Oct. 1976.
09. I Was a Teenage Werewolf
10. Can't Hardly Stand It
 
1981 Rehearsal. 
11. Sweet Woman Blues
12. Rumble Blues
13. Rumble Blues (False Start)
14. Rumble Blues
15. Rumble Blues
16. Lonesome Town
 
1982 A&M Studio.
17. Five Years Ahead of My Time
18. Call of the Wighat
19. Hanky Panky
 
1988 Rehearsal.
20. Journey to the Center of a Girl
21. Jackyard Backoff
22. Everything Goes
 
1988 Home Demo.
23. All Women Are Bad
24. Happy Birthday / Hanky Panky (Unlisted)

CD 2.

Live at Max's Kansas City 1/14/77.
01. Don't Eat Stuff off the Sidewalk
02. I Was a Teenage Werewolf
03. Sunglasses After Dark
04. Jungle Hop
05. Domino
06. Love Me
07. Strychnine
08. TV Set
09. I'm Cramped
 
Live at CBGB 1/13/78.
10. The Way I Walk
11. Love Me
12. Domino
13. Human Fly
14. I Was a Teenage Werewolf
15. Sunglasses After Dark
16. Can't Hardly Stand It
17. Uranium Rock
18. What's Behind the Mask
19. Baby Blue Rock
20. Subwire Desire
21. I'm Cramped
22. TV Set


Memphis Poseurs: The 1977 Demos (2010)
 
01. TV Set (3:21)
02. Domino (3:09)
03. Can't Hardly Stand It (2:43)
04. Lonesome Town (3:17)
05. I Was A Teenage Werewolf (2:41)
06. Sunglasses After Dark (4:06)
07. Human Fly (2:15)
08. Love Me (2:02)
09. Uranium Rock (2:29)
10. The Way I Walk (2:45)
11. Strychnine (2:27)
12. Surfin' Bird (5:13)
13. I'm Cramped (3:02)
 


File Under Sacred Music: Early Singles 1978-1981 (Coletânea 2011)
 
01. Surfin Bird (5:10)
02. The Way I Walk (2:42)
03. Human Fly (2:17)
04. Domino (3:11)
05. Lonesome Town (3:05)
06. Mystery Plane (2:42)
07. Fever (4:21)
08. Garbageman (3:37)
09. TV Set (3:16)
10. The Mad Daddy (3:17)
11. Drug Train (2:40)
12. Love Me (2:04)
13. I Can't Hardly Stand It (2:45)
14. Twist & Shout (2:34)
15. Uranium Rock (2:30)
16. Goo Goo Muck (3:09)
17. She Said (3:19)
18. The Crusher (1:51)
19. Save It (2:59)
20. New Kind Of Kick (3:33)
21. Rockin' Bones (2:51)
22. Voodoo Idol (3:39)


EP’S & Singles.

Gravest Hits (1979)
 
01. Human Fly (2:15)
02. The Way I Walk (2:43)
03. Domino (3:08)
04. Surfin' Bird (5:09)
05. Lonesome Town (3:15)

Can Your Pussy Do The Dog (1985)
 
01. Can Your Pussy Do The Dog (3:17)
02. Blue Moon Baby (2:37)
03. Georgia Lee Brown (3:19)
 

Bikini Girls with Machine Guns (1988)
 
01. Bikini Girls with Machine Guns (3:21)
02. Jackyard Backoff (3:18)
03. Her Love Rubbed Off (2:58)

Creature From The Black Leather Lagoon (1990)
 
01. Creature From The Black Leather Lagoon (3:10)
02. Jailhouse Rock (2:28)
03. Beat Out My Love (2:11)

Ultra Twist! (1994)
 
01. Ultra Twist! (Stick It in At the End Version) (2:58)
02. Ultra Twist! (Furry Cup Version) (3:10)
03. Ultra Twist! (Tongue 'n' Groove Version) (2:54)
04. Ultra Twist! (Full Furry Cup-LP Version) (3:48)
 


Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

E-mail de contato para links quebrados ou outros problemas: murodoclassicrock@gmail.com

Antes de comentar leia as regras que estão próximas do formulário, comentários desrespeitando as mesmas, não serão publicados e nem atendidos.

5 comentários :

  1. obrigado por colocar a disposição a melhor banda do mundo

    ResponderExcluir
  2. Beto Pedrosa20/01/15 17:47

    Obrigado por essas "Pérolas" do Rock 'n' Roll!

    ResponderExcluir
  3. sonzeira me faz recordar minha juventude por volta de 1986 nunca canso de ouvir

    ResponderExcluir
  4. Esse é o melhor blog do mundo!!
    Obrigado!

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.