Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

22 de agosto de 2015

Killing Floor - Discografia.

 
Killing Floor foi formada em 1968, sendo parte ativa da efusão blues/rock britânica do final dos anos 1960, que também lançou bandas como Led Zeppelin e Free. Ao longo dos próximos quatro anos, a banda construiu uma forte reputação na cena Club e Universitária do Reino Unido, se apresentando em grandes festivais na Europa e apoiando a lenda texana do blues, Freddie King, em duas turnês britânicas. Lançaram dois discos em 69 e 70, ambos reeditados muitas vezes, ainda com sucesso de vendas em todo o mundo. Em 2003 a banda original foi reformada para produzir um novo álbum "Zero Tolerance" e se apresentar em shows selecionados em toda a Europa. Killing Floor lançou seu quarto álbum "Rock'n'Roll Gone Mad" no início de 2012 e apareceu no Sweden Rock Festival em junho. A formação original da banda com seus quatro membros originais continua ativa e sempre planejando novas aparições em festivais.

Tudo começou em 1968, quando o cantor Bill Thorndycraft e o guitarrista Mick Clarke reuniram-se com uma banda de blues no sul de Londres para tocar em um show, algo que não foi muito satisfatório. Os dois decidiram formar outra banda com o nome sugerido por Bill. Assim surgia a Killing Floor. Bill já havia conhecido o baterista Bazz Smith enquanto passeava pela Alemanha, e após alguns anúncios na revista "Melody Maker" conseguiram fechar com o baixista Stuart (Mac) McDonald e o tecladista Lou Martin.

A banda ensaiou exaustivamente em vários pubs no sul de Londres e em estúdios, aprendendo um repertório padrão de blues de Chicago, mas adicionando suas próprias influências de rock. Sua primeira apresentação ao vivo foi em Londres, no clube "Middle Earth" com a banda Captain Beefheart, e logo depois já estavam tocando em todos os clubes de blues da época, incluindo aparições no Marquee Club de Londres com as bandas Nice e Yes. Locais favoritos incluíam The Blues Loft em High Wycombe, onde eles literalmente destruíram a casa... a batida de pés da multidão durante um show acabou por derrubar o teto na sala abaixo!

O primeiro álbum foi lançado em 1969 pelo selo Spark, uma subsidiária do grupo editorial Southern Music e licenciado nos EUA pela Sire Records. Recebeu boas críticas e bom nível de execução nas rádios, com a banda apresentando-se em programas de rádio nacionais como John Peel, Johnny Walker, Alexis Korner e outros.

Em maio de 1969, foi-lhes oferecida a oportunidade de ser a banda suporte da lenda texana do blues, Freddie King, em sua próxima turnê pelo Reino Unido. A formação excursionou por três semanas, incluindo concertos com Howlin' Wolf e Otis Spann. Outra turnê com Freddie seguiu-se algumas semanas mais tarde e outra somente foi cancelada por falta do pagamento antecipado acordado. Também apoiaram Arthur "Big Boy" Crudup, o escritor de alguns dos primeiros sucessos de Elvis Presley.

No final de 1969, a frustração com o negócio da música era demais e a banda se separou, com vários membros encontrando novos projetos a seguirem. Mas depois de um tempo, o quarteto original veio a tona novamente. O estilo blues, que era até o momento o “in” para as bandas, estava agora ficando fora de moda, e era difícil para Killing Floor encontrar trabalho no Reino Unido. A resposta foi ir para o exterior, em frequentes viagens à Alemanha e Suíça. Em março de 1970, a banda se apresentou no Festival de Páscoa de Hamburgo com as bandas The Nice, Black Sabbath e muitos outros, e no verão, passaram umas relaxantes seis semanas trabalhando no sul da França.

Em seu retorno da França, a banda voltou para Pye Studios em Londres para gravar seu segundo álbum, "Out Of Uranus", lançado pelo selo "Penny Farthing" de Larry Page. Houve também um single lançado, "Call For The Politicians", que recebeu divulgação pesada pela BBC Radio 1 e também vendeu bem na Alemanha. A banda apareceu no programa "Disco 2" na BBC Television, que foi o precursor do famoso "The Old Grey Whistle Test".

Nos anos seguintes os membros originais do Killing Floor seguiram caminhos diferentes. Bill Thorndycraft se aposentou do negócio musical e seguiu uma carreira de sucesso em serviços sociais. Mick Clarke trabalhou em várias bandas como Daddy Longlegs e Salt, antes de iniciar sua carreira solo na década de oitenta, com lançamentos de álbuns e turnês regulares. Stuart McDonald trabalhou com Paul Rodgers em sua nova banda, Peace, e em seguida, passou a trabalhar com Mick em suas bandas e depois se mudou para a sua terra natal, em Gales. Lou Martin, juntamente com Rod Death se juntou a Rory Gallagher Band e percorreu o mundo ao longo dos 70s, gravando vários álbuns clássicos. Ele passou a excursionar com Chuck Berry e mais tarde se juntou a banda escocesa Blues ‘N’ Trouble, bem como aparecendo em vários dos álbuns de Mick. Bazz Smith trabalhou em uma variedade de bandas na Europa e América, tocando rock, jazz e reggae.

Enquanto isso, seus dois álbuns foram relançados em vários selos, incluindo Repertoire, See For Miles e Akarma, aumentando o culto à banda ao redor do mundo. O primeiro álbum “Killing Floor” é considerado um clássico do blues britânico dos anos 60 e agora atinge preços elevados em cópias originais em vinil. O segundo álbum “Out Of Urano” se tornou conhecido como um grande exemplo de "psico-blues". Ambos continuam sendo reeditados até hoje, em selos da Alemanha ao Japão.

No início de 2002, Mick foi abordado por Franco Ratti da Appaloosa Records, de Milão, para gravar um novo álbum do Killing Floor. Ao aproximar-se dos outros membros da banda, Mick descobriu que havia um entusiasmo real para fazer um novo registro e sessões de composição e ensaio começaram a ser idealizadas. No entanto, parecia completamente impossível encontrar o baterista Bazz Smith, apesar de procuras exaustivas, e, eventualmente, Chris Sharley foi recrutado para seu lugar. Posteriormente, Bazz foi encontrado e muito bem, vivendo em Neuchâtel, Suíça. Pegou um avião e ainda chegou a tempo de participar em duas faixas do novo álbum.

Sessões de gravação começaram no estúdio "The Moat”, no sul de Londres em setembro de 2002 e o álbum foi concluído e mixado durante 2003. Intitulado “Zero Tolerance”, o álbum foi lançado mundialmente em janeiro de 2004, recebendo excelentes críticas e ampla divulgação radiofônica e é hoje amplamente disponível através de distribuidores na Europa e América. Em 2006, a banda se apresentou com seus novos shows após 34 anos, na Alemanha, Bélgica, Itália e Suécia, com o sua formação original, acrescida de Dave Lennox (Blodwyn Pig / Ginger Baker) nos teclados.

Em 2012, Lou Martin, o tecladista "dedos quentes" da banda que tinha tido grande sucesso mundial com Rory Gallagher, faleceu depois de um período doente, fazendo muita falta para a banda e a todos que o conheciam por seu talento excepcional e personalidade extremamente agradável. O baterista Rod Death também faleceu, em 2014, outra perda muito sentida.

Também em 2012, a banda lançou seu quarto álbum “Rock And Roll Gone Mad”, com a formação original Bill, Mick, Mac e Bazz, se apresentando no Sweden Rock Festival em junho, juntamente com bandas como Motorhead e Blue Oyster Cult. A história do Killing Floor continua viva. Texto: Francisco Eduardo. 

Integrantes.

Atuais.

Chris Sharley (Bateria)
Stuart "Mac" McDonald (Baixo)
Bazz Smith (Bateria)
Lou Martin (Teclados)
Michael "Mick" Clarke (Guitarra)
Bill Thorndycraft (Vocais, Harpa)   
 

Ex-integrantes.

Stan Dekker (Baixo)   
Tony Fernandez (Bateria)
Mick Hawksworth (Baixo)
Rod De'Ath (Bateria)
Ray Owen (Vocais)

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro


Bitrate: 320Kbps.

Álbuns.

Killing Floor (1969)
 
01. Woman You Need Love
02. Nobody By My Side
03. Come Home Baby
04. Bedtime Blues
05. Sunday Morning
06. Try To Understand
07. My Mind Can Ride Easy
08. Wet
09. Keep On Walking
10. Forget It
11. Lou's Blues
12. People Change Your Mind


Out Of Uranus (1971)
 
01. Out Of Uranus
02. Soon There Will Be Everything
03. Acid Bean
04. Baz Smith / Where Nobody Ever Goes
05. Sun Keeps Shining
06. Mick Clarke; Bill Thorndycraft / Call For The Politicians
07. Fido Castrol
08. Lost Alone
09. Baz Smith / Son Of Wet
10. Milkman


Zero Tolerance (2004)
 
01. Burnout
02. Prozac Blues
03. Calm Down
04. Sperm Bandit
05. The Big Issue
06. Strange Love
07. Zero Tolerance
08. Run On
09. Iron Ewe
10. What Is It About You?
11. Road Of Diamonds
12. The Radnor Rumble
13. Fred McDowell
14. Bring It On Home


Rock 'n' Roll Gone Mad (2012)
 
01. Rack My Brain
02. Trouble In My Life
03. One Cigarette (Toxic Nipple)
04. Xenophobic Blues
05. Afghan Coat
06. Rock 'n' Roll Gone Mad
07. Cardiac Arrest
08. Dissatisfied
09. Auntie Peggy's Handbag
10. Cold Water
11. Tell You What Happened
12. Same Booze Different Bottle
 

Link.

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

E-mail de contato para links quebrados ou outros problemas: murodoclassicrock@gmail.com

Antes de comentar leia as regras que estão próximas do formulário, comentários desrespeitando as mesmas, não serão publicados e nem atendidos.

4 comentários :

  1. wilson fiordeliz30/08/15 23:34

    Guitarra e gaita nervosa ...blues excelente !!!



    ResponderExcluir
  2. é das raras bandas que vc para para pensar como é bom a simplicidade do som cru sem muitos canais e maestria na fusão rock com blues, e nós nos dias de hoje vivendo com um monte de enlatado comercial que é necessario peneirar para achar algo.... parabens alex.. que o rock antigo nunca morra.

    ResponderExcluir
  3. Tenho o vinil "Out Of Uranus" comprado em 72, mas nunca consegui o primeiro álbum (1969); foi do baril encontá-lo aqui! Obrigado.
    JL - ovar- portugal

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.