Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

10 de abril de 2011

Eric Burdon & War - Discografia.

Banda formada por Eric Burdon após o fim dos Animals. Já estabelecido como uma das figuras centrais da cena britânica dos anos 60, Burdon – segundo Brian Jones o melhor vocalista de blues nascido na Inglaterra – decidiu mudar de vida. No fim da década deixou o Reino Unido, e na Califórnia começou um projeto com músicos que tocavam juntos há alguns anos e formavam uma big band de funk. A parceria foi consolidada em 1969, e a então nomeada Eric Burdon & WAR teria uma curta, mas explosiva carreira deixando um legado que tornaria-se marcante para o blues e referência para o funk que dominou boa parte da década seguinte. Radicado na Califórnia até hoje, Eric Burdon falou para a Speculum sobre o início da banda, a desastrosa reunião em 2008 e a última vez que viu o amigo Jimi Hendrix. 

Oito anos antes do lançamento de Declares War, ainda em sua cidade natal, Newcastle, Burdon conheceu o tecladista Alan Price e juntos formaram os Animals. Em 1964 mudaram-se pra Londres e chegaram no momento em que os Beatles conquistavam os Estados Unidos, a tempo de fazerem parte da onda de bandas inglesas que dominaram o mercado americano na lendária British Invasion. Poucos meses depois lançaram a música que se tornaria um dos maiores hits da década, uma versão para o clássico folk “House of the Rising Sun”, que os catapultou ao primeiro lugar nas paradas de singles inglesa, americana e de vários outros lugares do mundo. No fim de 1966 tinha início a segunda encarnação dos Animals, e sob o nome de Eric Burdon and The Animals, lançaram Eric is Here. Como toda a geração, tiveram uma fase psicodélica e gravaram mais três discos nesse período, sendo Love Is, de 1968, o último lançado antes do fim da banda. Burdon, então, mudou-se para Los Angeles, e teria início um dos períodos mais criativos de sua carreira. 

Recém chegado à Califórnia, Eric ainda não tinha uma banda e fazia apenas jams com o gaitista dinamarquês Lee Oskar. Foi quando Jerry Goldstein, produtor e amigo de Burdon, teve a idéia que culminou na formação do WAR. Foi tudo muito direto, segundo Eric: “Jerry veio até mim com a idéia de me colocar com uma black band, e me disse que deveríamos começar a procurar por músicos”. Pouco depois foram ao clube Rag Doll , onde tocava a banda Nightshift. “Terminamos nesse clube e vimos o Nightshift. A banda era muito grande para se fazer uma turnê, e tivemos que diminuir o tamanho, o que não foi nada agradável pois é difícil dizer a alguém que não há espaço para ele e que não é mais bem-vindo, mas por fim acabamos com 7 membros. Adicionei Lee Oskar na gaita, Papa D ficou na percussão e mantivemos Charles Miller no sax tenor”, contou Eric. 

Houve um choque inicial entre Eric Burdon e os músicos do Nightshift, e a química da música que produziram surgiu exatamente da tentativa das duas partes em fazer prevalecer o seu estilo. Apesar de se tratar basicamente de música negra americana, Burdon e o gaitista Lee Oskar tinham uma formação inteiramente baseada no blues, enquanto os outros músicos tocavam funk.

Sobre o conflito musical, Eric disse: “Como compositor e estando com uma black band, eu queria experimentar com o blues. Para minha surpresa, eles odiavam blues, consideravam desprezível. Levei um longo tempo para fazer Lonnie Jordan colocar os dedos no teclado e tocar um blues. No fim o convenci e terminamos com uma música realmente linda chamada “Mother Earth” que eu havia aprendido com Memphis Slim em Paris alguns anos antes. Foi difícil levá-los às raízes do blues (…) eles queriam entrar na música mais funkeada”. “Ensaiamos por um ano, e eu ia de LA para Long Beach, que era uma perigosa área de gangs naquela época, mas não tive muitos problemas. Após longos ensaios, fizemos uma turnê pelos clubes mais sujos do Alasca a Avalon e por fim entramos em estúdio”, contou Eric. Após três dias de gravação, terminaram Eric Burdon Declares War, lançado em abril de 1970. Com muitos improvisos e longas faixas, o álbum conseguiu capturar a atmosfera dos shows ao vivo, e em pouco tempo chegou a disco de ouro. Após o lançamento, iniciaram uma extensa turnê pelos Estados Unidos e Europa. Com um bom repertório de músicas próprias e entrosados após os inúmeros shows do ano anterior, eles causaram impacto nessa segunda turnê, levando um crítico da revista inglesa NME a declarar: “[WAR] é a melhor banda ao vivo que eu jamais vi tocar”. 

Foi no braço europeu da turnê, que uma das jam sessions mais lendárias da história aconteceu. Eric e WAR tocavam em Londres, quando Jimi Hendrix, amigo muito próximo de Burdon desde quando chegara à Inglaterra em 1966, apareceu para uma jam. Aquela seria a última apresentação ao vivo de Hendrix. “Estávamos tocando no Ronnie Scott`s, e era a primeira vez que uma banda que não tocava Jazz se apresentava lá. Uma noite, Jimi apareceu e disse que queria fazer uma jam. Ele subiu ao palco e começamos um longo improviso tocando “Tobacco Road”. Foi quando eu vi uma grande e poderosa batalha onde Hendrix estava obviamente tentando liderar a banda e o guitarrista do WAR, Howard Scott, não queria permitir, e aquilo se transformou em um duelo de guitarras. Foi uma coisa maravilhosa ver Howard Scott tocar o melhor que ele jamais havia tocado porque estava lá, lado a lado com o grande Jimi Hendrix. Foi uma grande noite”, disse Eric. Menos de 72 horas depois, Hendrix faleceu. 

“Infelizmente, quando Jimi foi embora eu senti que não o veria novamente. Ele disse adeus no camarim e foi em direção ao público, para os braços das groupies e fãs que o esperavam. De fato, depois daquela noite nunca mais o vi. Mais do que isso, não posso dizer mais nada porque passei minha vida tentando esquecer”. 

Em dezembro de 1970, Burdon e WAR lançaram o álbum duplo The Black Man`s Burdon, com longas jams e improvisos em torno de temas, além de uma versão de 13 minutos para “Paint it Black” dos Rolling Stones. As divergências musicais, num primeiro momento fundamentais para criarem a obra que criaram, finalmente pesaram negativamente, e Eric deixou o grupo no meio da turnê Européia. Sem Burdon, a banda cumpriu os shows já agendados e entrou em estúdio para gravar seu primeiro álbum solo, intitulado WAR e lançado em 1971. “Acabamos nos separando e seguindo caminhos diferentes. Foi no fim uma ótima experiência ouvir as músicas deles tocando nas rádios”, disse Burdon. Ao longo da década, WAR conquistou grande sucesso de público e respeito da crítica, tornando-se umas das bandas mais importantes dos anos 70 e vendendo mais de 50 milhões de discos. 

Em 2008, Eric Burdon e WAR (que contava apenas com o tecladista Lonnie Jordan da formação original) reuniram-se para um show único em Londres, após 37 anos desde a última vez que haviam tocado juntos. “Sempre houve rumores sobre a reunião com WAR, até que apareceu a oportunidade de irmos pra Inglaterra e tocarmos no Royal Albert Hall”, disse Eric. “Eu decidi dar uma chance, mas percebi que não era a mesma banda e a atitude deles havia mudado. Eles tinham bons músicos. Gostei do baixista, do guitarrista e dos percussionistas, e o saxofonista era excelente, mas no geral eles se tornaram uma “show band”. Eu definitivamente não gostei do show, e na verdade, eu estava rodeado por memórias ruins sobre a morte de Hendrix porque estávamos na mesma vizinhança onde ele morreu. Eu terminei quase tendo um colapso nervoso quando voltei para os Estados Unidos, e ninguém entendeu o que havia acontecido. Isso mostra que não haverá mais reuniões do WAR. Eu aprendi o suficiente para nunca dizer nunca, mas estou certo de que é algo que aconteceu no passado, e é lá que deve permanecer”. Em 2008, os dois álbuns foram relançados e, apesar da desastrosa reunião, Eric Burdon Declares War e The Black-Man’s Burdon tornaram-se clássicos e estão aí para serem ouvidos. Texto: Bruno Falabella. 

Senha dos Arquivos: muro


Álbuns.

The Black -Man's Burdon (1970)
CD 1.

01. Black on Black in Black (Medley) 
A. Paint It Black I
B. Laurel and Hardy
C. Pintelo Negro II
D. P.C. 3
E. Black Bird
F. Paint It Black III
 
02. Spirit
03. Beautiful New Born Child
04. Nights in White Satin
05. The Bird and the Squirrel
06. Nuts, Seeds and Life
07. Out of Nowhere
08. Nights in White Satin

CD 2.

01. Sun / Moon
02. Pretty Colors
03. Gun
04. Jimbo
05. Bare Back Ride
06. Home Cookin'
07. They Can't Take Away Our Music

Eric Burdon Declares War (1970)
01. The Vision Of Rassan
A. Dedication
B. Roll On Kirk
 

02. Tobacco Road
A. Tobacco Road
B.. I Have A Dream
C. Tobacco Road
 

03. Spill the Wine
04. Blues For Memphis Slim
A. Birth
B. Mother Earth
C. Mr. Charlie
D. Danish Pastry
E. Mother Earth
 

05. You're No Stranger 

Link.

Eric Burdon & War, Featuring Jimi Hendrix - Ronnie Scott's Club, London (1970)
 
CD 1.

01. Gun
02. Paint It Black medley
03. Spill The Wine
04. Mystery Train
 

CD 2.

01. Gun
02. Paint It Black medley
03. Blues For Memphis Slim incl. Mother Earth (With Jimi Hendrix)
04. Tobacco Road (With Jimi Hendrix)


Love is All Around (1976)
01. Love Is All Around
02. Tobacco Road
03. Home Dream
04. Magic Mountain
05. A Day In The Life
06. Paint In Black Medley
A. Black on Black in Black
B. Paint in Black
C. Laurel & Hardy
D. Black Bird
 

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

Eric Burdon - Discografia.

War - Discografia. 

E-mail de contato para links quebrados ou outros problemas: murodoclassicrock@gmail.com

Antes de comentar leia as regras que estão próximas do formulário, comentários desrespeitando as mesmas, não serão publicados e nem atendidos.

12 comentários :

  1. Muito bom, bem organizado...

    ResponderExcluir
  2. Josè Alves Teixeira (Tex)23/08/2011 09:36

    Banda Fantástica, a união do Blues Man com o Soul Man, deu essas pérolas dos anos 70. Valeu Alex vou começar a Baixar. José Alves Teixeira (Tex) Garanhuns - PE

    ResponderExcluir
  3. Another superb post from your speciality site!
    You're an saint brother!
    Thank you very much!

    ResponderExcluir
  4. gracias Muro, es un placer redescubrir la música de tu mano.
    Fernando Hojaderoble.

    ResponderExcluir
  5. gracias,,
    agradeço pelo seu esforço e dedicação ..

    ResponderExcluir
  6. Obrigado, por compartilhar essas 3 perolas,do grande Eric...,
    Muito soul...

    ResponderExcluir
  7. Sensacional!!!

    ResponderExcluir
  8. Alex, vc é o LSD dos caretas...rsss Cada dia que escuto algo diferente destas perolas que vc garimpa e altruistamente compartilha, viajo para fora deste mundo sem sensibilidade. Este Eric Burdon é o caral.. na viagem do Rock.
    Emerson Gomes...se preparando para passar o feriado de 31 de maio em Baldim-MG no encontro do Rock Mineiro - Camping Rock - Muita Rock Progressivo das 16 ás 4 da matina.

    ResponderExcluir
  9. Maravilhoso!!!! Parabéns e obrigado, muito.

    ResponderExcluir
  10. Génial !!!!
    Philippe

    ResponderExcluir
  11. Não tem como ser mais foda que esse Blog! Não conhecia ainda e tô encantado.
    Parabéns pelo baita trabalho!

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.