'/> Muro do Classic Rock: Roy Buchanan - Discografia.
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

26 de maio de 2011

Roy Buchanan - Discografia.

Se na história da música as memórias são usualmente feitas em nome do primor musical, talento ou músicos encrenqueiros há também o grupo dos injustiçados. Aqueles que foram famosos, mas nunca obtiveram reconhecimento à altura de seu potencial. Roy Buchanan está no hall da fama dos menos conhecidos. O que é curioso, pois a sua história tem todos os elementos de mitos da música. Ele criou e desenvolveu estilo e técnica própria, serviu de exemplo para rockstars que vieram depois de seu legado, deu um nome a sua guitarra e ainda teve uma morte obscura, ou seja, tudo aquilo que o manual de "como se tornar uma lenda da música" exige. 

Seu pai era um pastor evangélico e foi por conta disso que ele teve contato com os ricos elementos da música negra. O gospel ressoava nos tímpanos do pequeno Leroy, que quando tinha cerca de cinco anos e brincava com seu violão de aço. Para ele, ter começado a ouvir música dentro do ambiente religioso foi marcante no que diz respeito ao desenvolver de sua personalidade musical. É possível comparar sua maneira de tocar como a de um pastor pregar. O som começa baixo e calmo e conforme o tempo passa o volume aumenta, a velocidade cresce e quem está ouvindo entra em clímax. 

Aos nove, quando ganhou de seus pais uma Rickenbacker vermelha, começou a ter aulas com a Sra. Clara Louese. Há uma história curiosa sobre os três anos que Roy tomou aulas com ela. Sua professora ficou sabendo de uma notícia que a fez chorar: Buchanan não sabia ler partitura musical. O garoto tocava tudo de ouvido! Talvez esse começo um pouco torto do ponto de vista técnico, fez com que ele desenvolvesse o feeling de maneira incrível. 

Simplicidade foi uma característica do guitarrista, que mais tarde quando muito, usava um digital delay. Costumava plugar sua 'Nancy' - uma Telecaster amarela de 1953, direto no amplificador Fender com o ganho no 10'. Com sua técnica e peculiaridade pode-se dizer que ele deu continuidade ao uso da Telecaster no mundo do blues. 

Buchanan era com certeza músico dos palcos. Seu desejo era apenas de compartilhar suas cartases criativas com seus espectadores. Sempre teve aversão a ser o centro das atenções, pois preferia passar tempo com sua família e amigos. Por esse motivo, são escassas as informações sobre sua vida pessoal. Em entrevistas, ele mesmo afirmava que o showbizz o assustava. 

Aos doze anos ele já era o prodígio instrumentista de uma banda chamada The Waw Keen Valley Boys, na época em que ainda morava em San Joaquin Valley, na Califórnia - apesar de ter nascido em Ozark, Alabama. As coisas começaram a mudar quando Buchanan foi para a cidade grande. Aos 16 anos se mudava para Los Angeles, e lá formaria uma banda com o futuro baterista do Jefferson Airplane - Spencer Dryden, chamada Heartbeats. Mas as coisas não foram muito longe com sua nova banda. Durante uma turnê ao sul da Califórnia, eles foram abandonados pelo seu empresário e sem recursos para poder seguir em frente, encerraram a turnê. Sem problemas. 

A estrada é a melhor companheira de um guitarrista de blues. Então, Buchanan decidiu que não era o momento de voltar para LA e rumou para Tulsa. Foi a melhor coisa que poderia ter feito. 

Em Tulsa, Buchanan conseguiu um emprego como guitarrista da Oklahoma Bandstand. Havia um show marcado com o "tornado humano" Dale Hawkins - que na época estourava com sua composição "Susie Q" (Após alguns anos Buchanan revelou que na verdade a música era originalmente de Howlin'Wolf e que Hawkins havia apenas dado uma maquiada na versão original). Hawkins sempre foi reconhecido por escolher muito bem seus músicos, especialmente os guitarristas. Já tinha tocado com Scotty Moore, Sonny Jones, Carl Adams entre outros. Não era difícil perceber que o jovem Buchanan estava no lugar certo fazendo o que tinha talento para fazer. Depois desse show é que começou a carreira de rock and roll de Buchanan, pois agora - em uma época em que Elvis estourava as gargantas das menininhas e James Dean estava vivo - ele tocava com um músico do mainstream. Dale Hawkins contratara o garoto. 

Após acompanhá-lo por um certo tempo na estrada, chegava a hora de ir para o estúdio. E foi via Chess Records que eles gravaram um compacto - naquela época era muito comum músicos gravarem discos com apenas duas músicas, uma de cada lado. Eles lançaram uma versão de "My Babe" de Willie Dixon. Passaram os próximos dois anos em turnê pelos Estados Unidos. Esse tempo foi uma grande escola para Buchanan, que não só se tornava um músico de rock, mas aprendeu a beber e usar drogas. Eles tinham uma boa relação, como afirma Buchanan: "Eu era um dos poucos que agüentava e sabia lidar com Hawkins, pelo menos espiritualmente. Ele era perfeccionista, se algo saía errado nós repassávamos quantas vezes fosse necessário". 

Em Outubro de 1960 em Washington, após um show, uma jovem sorridente e com olhar de admiração disse a Buchanan que adorava o jeito que ele tocava sua Telecaster. Um ano depois ele se casaria com essa garota chamada Judy Owens. Nessa época, ele já começava a despontar como o branco que melhor tocava blues nos EUA. E isso arrancou elogios de gente carrancuda e importantíssima na história da música, como Seymour Duncan ou Les Paul que tinha um discurso interessante sobre Roy: "Eu nunca havia ouvido algo como o que Buchanan fazia na época e isso despertou muito interesse em mim. Por exemplo, ele não tocava um arpejo do jeito que você aprende com o seu professor. Ele tinha sua própria maneira de fazer as coisas, tudo sempre de um jeito diferente. Não importava se palhetava ou se tocava com os dedos, ele era com certeza um guitarrista incomum". 

Apesar de ser conhecido dentro do meio musical, ele nunca havia assinado um hit que fosse para as paradas de sucesso. E foi por volta de 1962, quando o baterista Bobby Gregg gravou e auto creditou-se pela música "The Jam", que Buchanan tomava o primeiro soco na cara da indústria cultural, pois a música tinha riffs compostos por ele em vários trechos e ela foi para o topo das paradas de R&B. 

Enquanto Roy ficava louco com o uso de pílulas e barbitúricos, digerindo sua primeira frustação, nascia seu primeiro filho. Como consequência desse acontecimento ele se mudou para Mt. Rainier, Maryland e foi morar com sua sogra. Pelos próximos anos ele passaria seu tempo tocando com bandas locais, nos arredores de Washington uma vez que muitos músicos americanos estavam sendo menosprezados por conta da invasão britânica. The Who, Cream, Beatles eram preferência. E novamente Roy encarava outro momento de frustração, quando viu um pedal de wah wah, em 1968 num show de Hendrix no hotel Hilton de Washington que era capaz de produzir um som já patenteado pelo músico, mas ao simples alcance de uma pisada e com melhoras técnicas referentes à potencia. O wah wah Buchaniano era feito pela manipulação do knob de tonalidade de sua Telecaster, desde o começo da década de 50. 

E nesta época obscura Buchanan já tinha seis filhos e trabalhava de dia como barbeiro para poder contribuir com o orçamento de casa. Um dia um cliente entrou na barbearia empunhando uma Fender Telecaster 53' amarela. Buchanan sentiu que aquela guitarra lhe pertencia. Interrompeu o seu trabalho e foi perguntar para o cliente onde ele havia conseguido a guitarra e se por acaso ele aceitaria trocá-la, prometendo assim, conseguir a guitarra mais bela que já tinha visto para trocar pela Tele amarela - que seria batizada de 'Nancy' seu futuro xodó. Conseguiu com um amigo uma Telecaster roxa e trocou de instrumento. Por esse período - em Julho de 69 - o guitarrista Brian Jones dos Rolling Stones havia morrido e eles procuravam por um substituto. Roy foi convidado e recusou o convite, alegando que não gostaria de entrar em turnê com uma banda que possuía uma 'imagem' diferente da que ele passava. Contudo, passado algum tempo da recusa ele alegou à imprensa que aprender o repertório dos Stones seria muito difícil. 

Em 1970 o canal de televisão de Washington WNET, produziu um documentário sobre o 'Melhor Guitarrista Desconhecido do Mundo'. Produzido por John Adams, seu conteúdo estava recheado de depoimentos sinceros de Buchanan, carregados com o seu ranço pela indústria de música. "Eu provavelmente nunca me tornei famoso porque eu não me importo se sou ou não famoso. A única coisa que sempre quis foi aprender a tocar guitarra de maneira autodidata. Você é que determina suas metas para o sucesso. E quando as alcança não significa necessariamente que você será uma grande estrela e encherá os bolsos de dinheiro. Você sentirá no seu coração se é bem sucedido ou não". Nesses tempos ele costumava tocar de costas para o público, com medo que alguém fosse roubar seu estilo de tocar guitarra. 

Apesar de tocar com várias bandas, Buchanan tinha sua banda fixa chamada The Snakestretchers. E alegando esse motivo recusou mais um ótimo convite, feito desta vez por Eric Clapton, para integrar o Derek And The Dominoes. E em 1972 ele lança "Buck & The Snake Stretchers". Com a boa repercussão e aparições na televisão e no Washington Post, ele consegui um contrato para três discos com a Polydor. Lançava então, em julho de 72, seu primeiro disco solo que tinha apenas o seu nome na capa, sem qualquer título. Três meses depois já tinha gravado todo o material para o segundo disco. Parecia que Buchanan já estava cansado de tocar em pequenos bares, e finalmente, o caminho da fama parecia estar sendo trilhado. 

Seu segundo trabalho foi lançado no começo de 1973, com o título nada original de "Second Album". Se o título não tem personalidade o mesmo não podemos dizer sobre as músicas que são conduzidas pelo timbre agudo e rasgante de Buchanan. Nesse disco o 'pinch harmonic' presenteia nossos ouvidos e ao longo das músicas podemos perceber como sua técnica pessoal está presente, especialmente nos solos. O 'pinch harmonic' era uma forma de palhetar usando uma palheta, a ponta do dedão e o polegar ao mesmo tempo, suprimindo parcialmente o soar da nota, fazendo com que a guitarra "grite". Atualmente o guitarrista mais conhecido por tocar com essa técnica é Zakk Wylde. 

Seu terceiro disco de 1973 intitulado "That's what I'm Here For", obteve baixas vendagens e críticas negativas. Mas isso não impediu que o guitarrista fizesse uma turnê mesmo com as poucas expectativas dos executivos da Polydor. Impressionante é a arrogância de Buchanan, pois durante a gravação desse disco ele jogou em um triturador de lixo mais uma boa oportunidade para sua carreira. No mesmo estúdio onde foram realizadas as gravações de seu terceiro álbum, Jonh Lennon estava fazendo a mixagem de seu disco "Mind Games" e se ofereceu para fazer algum tipo de participação especial, caso o músico desejasse, pois Lennon admirava o estilo marcante de Buchanan. Infelizmente, Roy dispensou o mitológico ex-beatle.Nos anos seguintes ainda pela Polydor ele lançou um disco ao vivo chamado "Live Stock". Era o último disco por essa gravadora. 

O lendário Ahmet Ertegun, já queria que Buchanan integrasse o cast da Atlantic desde quando vira o guitarrista tocar no Carnegie Hall em 1972, e recebendo um adiantamento financeiro foi para o estúdio gravar a "Street Called Straight" - algo como "Uma rua chamada correta" - em alusão a sua tentativa de manter-se sóbrio e longe de drogas. 

O primeiro disco via Atlantic, "Loading Zone", de 77, foi produzido pelo baixista de fusion Stanley Clarke e nele está a clássica "Green Onions" com um dueto com o Booker T. & the MG's. A faixa não foi gravada como soa. Stanley acelerou as partes de Buchanan sem avisá-lo, para dar nova textura à faixa e isso alimentou atritos entre os dois. Nesse ano ele também lançou um disco ao vivo, gravado no Japão. 

As coisas não começaram muito bem em 1978. O próximo disco, "You're Not Alone" não foi feito com empolgação. Buchanan quase sempre chegava atrasado e sem nada ou com idéias muito básicas para suas músicas. No final tudo acabou ficando jogado no colo de Stanley Clarke, que trabalhava mais nas faixas do que o próprio Buchanan. Como resultado, ele saiu da gravadora. 

Passou os próximos dois anos sem lançar nenhum disco, fazendo pequenas turnês como sideman e tocando em bares. Em uma tentativa de se libertar de qualquer tipo de problema, seja com produtores ou com a própria gravadora - que costuma cobrá-lo por não ser um músico que esvaziava as prateleiras, em 1980 ele resolveu autoproduzir-se no disco "My Babe", com o intuito de proteger-se de qualquer problema que pudesse surgir. O disco foi distribuído pela independente Waterhouse Records. 

Curioso é Buchanan decidir em 1981 que não gravaria mais nenhum disco, pois sentia - se pressionado por grandes gravadoras que sempre tentaram alisar sua música para torná-la mais abrangente ao público geral. Mesmo depois de ser seu próprio produtor, parecia sentir uma pressão interna. Seja por ser um músico muito mais famoso entre os músicos, ou por não conseguir se livrar das drogas. 

Entretanto surgiu uma saída para Buchanan. A gravadora de blues Alligator parecia ser uma casa perfeita, pois não era nem muito grande - assim como Roy - mas estava longe de ser insignificante. O resultado de um bluesman em uma gravadora segmentada foi o "When a Guitar Plays the Blues" de 1985. A liberdade fez com que Roy voasse e o disco passou cerca de 13 semanas na Billboard. Como resultado excursionou pela Austrália, Estados Unidos e Europa. 

Nos anos que seguiram lançou mais dois discos pela Alligator. "Dancing on the Edge"(86) e "Hot Wires" (87). Tudo parecia começar a dar certo, pois Roy trabalhava com liberdade, fazia turnês e sua popularidade crescia. Ele pensava na época em fazer um disco todo instrumental. Mas no dia 14 de Agosto de 1988 as coisas mudariam novamente... 

Buchanan saiu para comprar cigarros e parou em um bar local para beber. Voltou para casa absolutamente embriagado e agressivo. Judy sua mulher, assustada com o estado do marido chamou a polícia. Buchanan pegou o telefone, arremessou-o no parede e saiu para a rua. Após uma busca no bairro os policiais o encontraram vagando e o prenderam, alegando intoxicação por drogas. O sherife Carl Peed o acomodou na cela R-45 e deu continuidade ao seu trabalho. A história diz que um dos guardas que estava de plantão encontrou o músico pendurado pelo pescoço por sua camiseta. Até hoje não se sabe se ele foi violentado ou se realmente se matou. O mistério sobre sua morte permanece, pois apesar das dificuldades que enfrentou, ele não tinha motivos suficientes para se matar. 

No final das contas, o guitarrista que preferia alcançar as notas desejadas com bends, que soava pegando fogo com seus harmônicos e que influenciou Jeff Beck, John Lennon e Eric Clapton teve uma carreira que nunca - injustamente - ressoou aos ouvidos de todos. Texto: Pedro Sorrentino (Whiplash).



Buch And The Snakestretchers (1971)
01. Sweet Dreams
02. Down By The River
03. Since You've Been Gone
04. I'm A Lonesome Fugitive
05. The Messiah Will Come Again
06. Johnny B. Goode



Roy Buchanan (1972)
01. Sweet Dreams
02. I Am A Lonesome Fugitive
03. Cajun
04. John's Blues
05. Haunted House
06. Pete's Blues
07. The Messiah Will Come Again
08. Hey, Good Lookin'



Second Album (1973)
01. Filthy Teddy
02. After Hours
03. Five String Blues
04. Thank You Lord
05. Treat Her Right
06. I Won't Tell You No Lies
07. Tribute To Elmore James
08. She Once Lived Here



That's What I Am Here For (1973)
01. My Baby Says She's Gonna Leave Me
02. Hey Joe
03. Home Is Where I Lost Her
04. Rodney's Song
05. That's What I Am Here For
06. Roy's Bluz
07. Voices
08. Please Don't Turn Me Away
09. Nephesh



In The Beginning (1974)
01. Rescue Me
02. I'm A Ram
03. In The Beginning
04. C.C. Ryder
05. Country Preacher
06. You're Killing My Love
07. She Can't Say No
08. Wayfairing Pilgrim



Live Stock (1975)
01. Reelin' And Rockin
02. Hot Cha
03. Further On Up The Road
04. Roy's Bluz
05. Can I Change My Mind
06. I'm A Ram
07. I'm Evil



A Street Called Straight (1976)
01. Running Out
02. Keep What You Got
03. Man On The Floor
04. Good God Have Mercy
05. Okay
06. Caruso
07. My Friend Jeff
08. If Six Was Nine
09. Guitar Cadenza
10. The Messiah Will Come Again
11. I Still Think About Ida Mae



Loading Zone (1977)
01. The Heat Of The Battle
02. Hidden
03. The Circle
04. Adventures Of Brer Rabbit And Tar Baby
05. Ramon's Blues
06. Green Onions
07. Judy
08. Done Your Daddy Dirty
09. Your Love



Live In Japan (1978)
01. Soul Dressing
02. Sweet Honey Dew
03. Hey Joe
04. Slow Down
05. Lonely Days Lonely Nights
06. Blues Otani
07. My Baby Says She's Gonna Leave Me
08. Sweet Dreams



You're Not Alone (1978)
01. The Opening... Miles From Earth
02. Turn To Stone
03. Fly... Night Bird
04. 1841 Shuffle
05. Down By The River
06. Supernova
07. You're Not Alone



My Babe (1980)
01. You Gotta Let Me Know
02. My Babe
03. It Should've Been Me
04. Secret Love
05. Lack Of Funk
06. Dr. Rock & Roll
07. Dizzy Miss Lizzy
08. Blues For Gary
09. My Sonata



The Best Of Roy Buchanan (Coletânea 1982)
01. After Hours
02. Wayfaring Pilgrim
03. Hey Joe (In Memory Of Jimi Hendrix)
04. Roy's Bluz
05. The Messiah Will Come Again
06. Turn To Stone
07. Ramon's Blues
08. You're Not Alone



When A Guitar Plays The Blues (1985)
01. When A Guitar Plays The Blues
02. Chicago Smoke Shop
03. Mrs. Pressure
04. A Nickel And A Nail
05. Short Fuse
06. Why Don’t You Want Me?
07. Country Boy
08. Sneaking Godzilla Through The Alley
09. Hawaiian Punch



Dancing On The Edge (1986)
01. Peter Gunn
02. The Chokin' Kind
03. Jungle Gym
04. Drowning On Dry Land
05. Petal To The Metal
06. You Can't Judge A Book By The Cover
07. Cream Of The Crop
08. Beer Drinking Woman
09. Whiplash
10. Baby Baby Baby
11. Matthew



Hot Wires (1987)
01. High Wire
02. That Did It
03. Goose Grease
04. Sunset Over Broadway
05. Ain't No Business
06. Flash Chordin'
07. 25 Miles
08. These Arms Of Mine
09. Country Boogie
10. The Blues Lover



Live In U.S.A. & Holland 1997-1985 (1991)
01. Till I Get There
02. Sunday Morning Blues
03. My Baby Says She's Gone
04. Further On Up The Road
05. Blues Before Sunrise
06. Slow Down
07. Delta Blues
08. I Am A Lonesome Fugitive
09. Honky Tonk In F
10. Sweet Dreams
11. Peter Gun
12. Roy's Blues / Night Train
13. Linda's Love



Sweet Dreams: The Anthology (Coletânea 1992)
CD 1.

01. Baltimore
02. Black Autumn
03. The Story Of Isaac
04. There'll Always Be
05. Sweet Dreams
06. Pete's Blue
07. The Messiah Will Come Again
08. Tribute To Elmore James
09. After Hours
10. Five String Blues
11. C.C. Rider (Live)
12. My Baby Says She's Gonna Leave Me
13. Please Don't Turn Me Away
14. Country Preacher
15. Wayfaring Pilgrim

CD 2.

01. Down By The River (Live)
02. I'm A Ram (Live)
03. I'm Evil (Live)
04. Good God Have Mercy
05. If Six Were Nine
06. Green Onions
07. Soul Dressing (Live)
08. Hey Joe (Live)
09. Fly...Night Bird
10. Turn To Stone
11. Dual Soliloquy



Guitar On Fire: The Atlantic Sessions (Coletânea 1993)
01. Ramon's Blues
02. The Heat Of The Battle
03. Hidden
04. Green Onions
05. Judy
06. Adventures Of Brer Rabbit And Tar Baby
07. Turn To Stone
08. Fly...Night Bird
09. Supernova
10. Down By The River
11. Running Out
12. Man On The Floor
13. Okay
14. My Friend Jeff
15. If Six Was Nine
16. The Messiah Will Come Again



Charly Blues Legends Vol. 9 (Live 1995)
01. Short Fuse
02. Green Onions
03. Strange Kind Of Feeling
04. Pressure
05. Peter Gunn
06. Chicago Smoke Shop
07. Blues In E
08. Hey Joe
09. Foxy Lady
10. Fantasia



Secret Love: The Best Of Roy Buchanan (Coletânea 1995)
01. My Sonata
02. Five String Blues
03. Treat Her Right
04. Sweet Dream
05. I'm A Lone Soul Fugitive
06. The Messiah Will Come Again
07. Hey Joe
08. Roy's Bluz
09. It Should've Been Me
10. Secret Love
11. Please Don't Turn Me Away
12. I Won't Tell You No Lies
13. Thank You Lord
14. Pete's Blue
15. She Once Lived Here
16. Can I Change My Mind



Malagueña (Coletânea 1996)
01. My Baby Is Sweeter
02. Minor Changes
03. Rambunctious
04. Malagueña
05. I Found You
06. Let's Twist Again
07. Park Boulevard Blues
08. Custom Made
09. After Hours
10. Peter Gunn
11. Chowbay
12. Peace Cross
13. My Baby Is Sweeter



Live (1998)
01. Short Fuse (Instrumental)
02. Green Onions (Instrumental)
03. Strange Kind Of Feeling
04. Pressure (Instrumental)
05. Peter Gunn (Instrumental)
06. Chicago Smoke Shop (Instrumental)
07. Blues In E (Instrumental)
08. Hey Joe
09. Foxy Lady
10. Fantasia (Instrumental)



Deluxe Edition (Coletânea 2001)
01. Peter Gunn
02. That Did It
03. Chicago Smokeshop
04. Mrs. Pressure
05. Ain't No Business
06. Blues For Jimmy Nolan
07. A Nickel And A Nail
08. Matthew
09. You Can't Judge A Book By The Cover
10. Beer Drinking Woman
11. Flash Chordin'
12. These Arms Of Mine
13. Whiplash
14. When A Guitar Plays The Blues
15. Hawaiian Punch
16. The Last Word



The Best Of Roy Buchanan: The Millennium Collection (Coletânea 2002)
01. Sweet Dreams
02. Pete's Blue
03. The Messiah Will Come Again
04. Filthy Teddy
05. After Hours
06. Five String Blues
07. Hey Joe
08. Roy's Bluz
09. C.C. Ryder
10. Country Preacher
11. Wayfaring Pilgrim
12. I'm Evil (Live)



American Axe: Live In 1974 (2003)
01. Too Many Drivers
02. Roy's Bluz
03. Get Out Of My Life,Woman
04. C.C. Ryder
05. Hear You Knockin'
06. The Messiah Will Come Again
07. Done Your Daddy Dirty
08. Hey Joe
09. Johnny B. Goode
10. Further On Up The Road
11. Sweet Dreams



The Prophet: The Unreleased First Polydor Album (2004)
01. Funky Junky
02. Black Autumn
03. Day And Age
04. There'll Always Be
05. Billy Joe Young
06. The Story Of Isaac
07. Baltimore
08. Sign On The Window
09. Humbug Down On The River
10. Pain
11. I Desire You
12. Stormy Monday
13. Jam
14. Roy's Bluz
15. Shotgun
16. After Hours / The Messiah Will Come Again
17. Sweet Dreams



The Definitive Collection (Coletânea 2006)
01. Baltimore
02. The Story Of Isaac
03. Sweet Dreams
04. Pete's Blue
05. The Messiah Will Come Again
06. After Hours
07. Five String Blues
08. My Baby Says She's Gonna Leave Me
09. Wayfaring Pilgrim
Live.
10. Down By The River
11. I'm A Ram
12. I'm Evil
13. Hey Joe



Star Series (Coletânea 2006)
01. My Sonata
02. Five String Blues
03. Sunset Did It
04. Treat Her Right
05. Sweet Dream
06. I Am A Lonesove Fugitive
07. The Messiah Will Come Again
08. Hey Joe
09. Roy's Bluz
10. It Should've Been Me
11. Secret Love
12. Please Don't Turn Me Away
13. I Won't Tell You No Lies
14. Thank You Lord
15. Pete's Blue
16. That Did It
17. Can I Change My Mind



Messiah On Guitar (Live 2007)
01. Short Fuse (Instrumental)
02. Green Onions (Instrumental)
03. When A Guitar Plays The Blues
04. Pressure (Instrumental)
05. Peter Gunn (Instrumental)
06. Chicago Smoke Shop (Instrumental)
07. Blues In E (Instrumental)
08. Hey Joe
09. Foxy Lady
10. The Messiah Will Come Again (Instrumental)



Live From Austin (2008)
01. Roy's Blues
02. Soul Dressing
03. Sweet Dreams
04. Hey Joe
05. The Messiah
06. Outro



Live: Amazing Grace, 1974 (2009)
01. Hot Cha
02. Amazng Grace
03. Delta Woman
04. The Messiah Will Come Again
05. Malagueña
06. Good God Have Mercy
07. I'm Evil
08. Green Onions



When A Telecaster Plays The Blues (Live 2009)
01. Short Fuse
02. Green Onions
03. When A Guitar Plays The Blues
04. Pressure
05. Peter Gunn
06. Chicago Smoke Shop
07. Blues In E
08. Hey Joe
09. Foxy Lady
10. The Messiah Will Come Again



Live At Rockpalast, 1985 (2011)
01. Thing In G (Short Fuse)
02. Green Onions
03. Roy's Blues (Roy's Bluz)
04. Walk Don't Run
05. Sweet Dreams
06. Peter Gunn
07. Blues In D (Blues Shuffle Instrumental)
08. Hey Joe
09. Foxy Lady
10. Massiah (Massiah Will Come Again)
11. Night Train
12. Linda Lou
13. Wayfaring Pilgram



Roy Buchanan Featuring Joey Welz - Shake, Rattle & Roy (2013)
01. Rockin' The Country (Come On Roy)
02. Johnny B. Goode
03. Southern Country Rock And Roll
04. Treat Her Right
05. Big Boss Man
06. Jammin' With Roy
07. Haunted House
08. Money
09. Shake, Rattle And Roll
10. Blue Suede Shoes
11. Slippin' And Slidin'
12. Runaway
13. Boll Weevil Blues
14. Come Go With Me
15. Peggy Sue
16. Ya Ya



Shredding The Blues: Live At My Father's Place 1978 & 1984 (2014)
01. I'm Evil
02. Soul Dressing
03. Walkin' Talkin'
04. Baby Won't You Tell Me Where You're At
05. Hey Joe
06. The Messiah Will Come Again
07. Lonely, Lonely Nights
08. When A Guitar Plays The Blues
09. Peter Gun Blues
10. Fantasia



Telemaster: Live In '75 (2017)
01. Can I Change My Mind?
02. Running Out
03. Further On Up The Road
04. I Used To Have A Woman
05. Sweet Home Chicago
06. The Messiah Will Come Again
07. Whole Lotta Shakin' Goin' On
08. Sweet Dreams



Live At Town Hall, 1974 (2018)
CD 1: Early Set.

01. Done Your Daddy Dirty
02. Reelin' And Rockin'
03. Hot Cha
04. Further On Up The Road
05. Roy's Bluz
06. Can I Change My Mind
07. Hey Joe
08. Too Many Drivers
09. Down By The River
10. I'm A Ram
11. In The Beginning
12. Driftin & Driftin

CD 2: Late Set.

01. I'm Evil
02. Too Many Drivers
03. Done Your Daddy Dirty
04. Roy's Bluz
05. Further On Up The Road
06. Hey Joe
07. Can I Change My Mind
08. In The Beginning
09. All Over Again (I've Got A Mind To Give Up Living) 



When A Guitar Plays The Blues: Live In Chicago, 1985 (2018)
01. Short Fuse
02. Green Onions
03. When A Guitar Plays The Blues
04. Mrs. Pressure
05. Peter Gunn
06. Chicago Smoke Shop
07. Blues In E
08. Hey Joe
09. Foxy Lady
10. The Messiah Will Come Again




Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.

21 comentários :

  1. Simplismente fantástico. Parabens!!!!! Esse CARA é simplismente "the best"!!!

    ResponderExcluir
  2. TNKS A LOT FOR THE DISCOGRAPHY OF ROY BUCHANAN,REALY... PRETTY COOL!

    ResponderExcluir
  3. CARA!!!!! QUE SONZERA!!! NÃO CONHECIA MESMO E CONCORDO COM A FRASE "O MELHOR GUITARRISTA DESCONHECIDO"
    EXTREMAMENTE RECOMENDÁVEL!!
    MUITO ROCK, MUITO FEELING, MUITO BOM.....

    ResponderExcluir
  4. Massa, véi. Ouvi só uma, mas bem suave e viajante. Valeu.

    ResponderExcluir
  5. luciano r borba21/01/2012 15:59

    quanto mais eu baixo musicas dai mais me inpresiono com os classicos que voces dispoen para os velhos fans do bom rock n roll valeu.

    ResponderExcluir
  6. y seguira siendo el mejor guitarrista desconocido.es una lastima la perdida de estos musicos que nos seguiran haciendo vibrar con su musica.Exelente alex. ATTE: mingus666(mexico)

    ResponderExcluir
  7. um grande guitarrista,pena não ter tido o reconhecimento merecido.

    ResponderExcluir
  8. O SOM É UMA VIAGEM, NÃO CONHECIA ESTE MÚSICO, MAS AGORA CONHEÇO, OBRIGADO ALEX!!!

    ResponderExcluir
  9. lucas sales21/02/2013 08:12

    sua guitarra uiva a melancolia do blues em musicas como 'five strings blues" e " the messiah will como again"...

    ResponderExcluir
  10. Vanderson

    Mais um clássico, no clássico muro do rock.....

    Valeu.....

    ResponderExcluir
  11. Obrigado!!! que trabalho fantastico que voce realiza!!! Parabens ao blog

    ResponderExcluir
  12. sempre escutei falar sobre ele mas é a primeira vez que escuto seu som e achei fantástico, grata descoberta... valeu Sir Alex !

    ResponderExcluir
  13. Numa palavra: SEN-SA-CIO-NAL. Só aqui mesmo no Muro!

    Abração, cara

    ResponderExcluir
  14. Obrigado! Voces são 10.esses albuns não se acha em loja alguma aqui no RJ, a não ser de colecionadores e mesmo assim se achar é no maximo um ou dois.

    ResponderExcluir
  15. a musica que mais gosto de Buchanan, turn to stone, valeu jente!

    ResponderExcluir
  16. valeu amigo... o único blog que ainda disponibiliza essas pérolas... Vida longa ao Muro!

    ResponderExcluir
  17. Roy é incrível, uma pena são ser tão conhecido.. Tento espalhar a sonzeira dele ao máximo de pessoas ao meu redor, ainda acredito no seu reconhecimento hahaha enfim, obrigada Muro, por disponibilizar essa riqueza pra todos nós!

    ResponderExcluir
  18. Thank you very much my friend...I love the way this guy played the guitar...

    ResponderExcluir
  19. Many thanks brother.Greetings from Athens Greece.

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.