Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

25 de outubro de 2011

Popol Vuh - Discografia.

Quem já assistiu a algum filme do cineasta alemão Werner Herzog, deve ter ficado impressionado com as trilhas sonoras presente neles, principalmente aqueles realizados nos anos 1970. Aguirre, Nosferatu, Fitzcaraldo e Cobra Verde, por exemplo, além de serem excelentes filmes, as músicas que os acompanham são de um exotismo e misticismo absurdo, o que sempre combinou muito com os temas de Herzog. 

Herzog confiou a um único sujeito a empreitada de compor para a maioria de seus filmes, refiro-me a Florian Fricke. Músico responsável pelo lado mais místico das bandas surgidas em meio ao cenário do movimento Krautrock na Alemanha no final dos anos 1960, o Popol Vuh. 

Florian Fricke pertencia ao aspecto mais eletrônico do Krautrock, tendo tanta importância quanto Klaus Schulze e Tangerine Dream naqueles tempos. Os dois primeiros álbuns do Popol Vuh – Affenstunde (1970) e In Den Gärten Pharaos (1971) – são todos compostos a partir dos sintetizadores Moog III completados por acompanhamento de percussão. Dizem que apenas Fricke e Eberhard Schoener tinham o Moog na Alemanha em 1969. 

Depois das experiências com o Moog, Fricke resolve não mais usá-lo (dizem que vendeu o sintetizador para Klaus Schulze) e partiu para uma música utilizando vozes reais e instrumentos acústicos. Passou a compor ao piano, instrumento que ele estudou, e se formou em composição e regência aos 19 anos na escola de música de Friburgo. 

1972 é o ano no qual o Popol Vuh aprofundava em temas religiosos e místicos, sejam cristãos, pagãos, budistas ou hinduístas. Nesta busca por uma música que toca as almas - como Florian dizia: "Popol Vuh é uma missa para o coração” – que a banda lançou o seu trabalho mais conhecido (e uma obra-prima), Hosianna Mantra. 

Neste álbum entrava em cena a cantora coreana Dong Yun, Conny Veit (guitarra), Robert Eliscu (oboé), Klaus Wiese (tamboura) e Fritz Sonnleitner (violino). Músicos que acompanhariam Florian em vários trabalhos. 

Hosianna Mantra é belo, pacífico, fluido e pastoral. Uma mistura de sons religiosos sem se prender a nenhum. Uma névoa mística percorre todo álbum enquanto a soprano Dong Yun sussurra em nossos ouvidos. Sublime! As letras são baseadas em um texto de Martin Buber, um filósofo judeu. O trabalho é dividido em dois lados: Mantra Hosianna e Das Buh Mose V (“O Quinto livro de Moisés”), este último é mais clássico, o que fez muitos críticos a considerar Hosianna Mantra como um dos álbuns precursores da música New Age. 

Em 1973, passa a integrar ao Popol Vuh, o multi instrumentista Daniel Fichelscher - ele se tornaria um membro colaborador de Fricke por longo tempo, deixando sua marca definitivamente na banda. Fichelscher foi também entre vários músicos dos quais Fricke resgataria da banda Amon Duul II. A estreia do músico acontece no álbum Seligpreisung, único trabalho no qual Florina Fricke canta (ele se arrependeria depois), pois a cantora Dong Yun não estava disponível à época. Ela voltaria no álbum seguinte, Einsjager & Siebenjager (1974). 

Aguirre, o trabalho de 1975, teve algumas faixas na trilha sonora do filme “Aguirra, a Cólera dos Deuses”, de 1972, do alemão Werner Herzog. A faixa Aguirre é uma das canções mais conhecidas da banda e que encerrava muito bem toda beleza e majestade da banda, ou seja, um bom cartão de visita. Florian Fricke volta a utilizar o sintetizador Moog intercalando com canções acústicas. 

Letze Tage – Letze Nacht (1976) foi o primeiro álbum que trouxe uma música do Popol Vuh cantada em inglês, a faixa título. O álbum também tem participação de Renata Knaup (ex-Amon Duul II), que contribuiria com outros trabalhos com a banda. Dessa época também é a trilha sonora do filme Heart of Glass (Coeur De Verre), de 1977, menos “rock” do que o álbum anterior. 

A trilha sonora do filme Nosferatu (1978) é tão sombria e misteriosa quanto o filme. Algumas faixas foram aproveitadas do álbum Burder Des Schattens – Lichts Sohne Des do mesmo ano. Die Nacht Der Seele – Tantric Songs (1979) encerraria a contribuição do Popol Vuh aos anos 70 tendo Renate Knaup e Dong Yun participando nos vocais 

A década de 1980 trouxe menos contribuição do Popol Vuh, tornando-se um pouco mais esporádica as gravações, ao contrário da década anterior, onde se poderia esperar um álbum todos os anos e às vezes até dois por ano. No entanto, o auto nível continuaria. É o que ouvimos em Sei Still, wisse ich Bin (1981), produzido por Klaus Schulze, que trazia um clima místico e ritualístico. 

Ágape-Ágape (1983) é um dos álbuns favoritos de Fricke, dentro da discografia da banda. Rumi, o poeta persa do século 13, serviu de inspiração para o álbum. A contribuição para os filmes de Herzog prosseguiria; destaca-se Cobra Verde, filme de 1987. Florian volta ao uso de sintetizadores, principalmente o Synclavier, utilizando de uma forma mais ambiental. 

Com a década de 1990 o Popol Vuh surgiu com um trabalho mais acessível, “You and Me”. Muito próximo da Word music, transitando entre músicas da África, Irlanda, Himalaia e América do Sul. As faixas “Om Mani Padme Hum 1, 2, 3, 4”, cantadas por Renate Knaup, são os destaques do álbum, acompanhadas pelo piano de Florian. “You and Me” soa bastante moderno adaptando-se muito bem à nova geração, com sua produção limpa e suave, diferente do material anterior. 

Como se sabe, Florian teve formação clássica (tocava piano desde criança) e como todo grande músico alemão, a música erudita também o influenciou. Portanto, em 1992, ele se enveredou pelo piano clássico gravando um álbum apenas com composições de Mozart, “Popol Vuh / Florian Fricke Plays Mozart”, de 1992. Embora conste o nome Popol Vuh no trabalho, Florian Fricke é o único músico. 

Em 1992, tentando modernizar o som do Popol Vuh à tendência techno da época, Fricke convidou Guido Hieronymus para os teclados e guitarra. “Raga City”, talvez seja o trabalho mais fraco da imensa discografia da banda, soando muito parecido com trabalhos do Loop Guru, Deep Forest e Delerium. Ou seja, repleto de sequenciadores, loops eletrônicos e drum machines. Ainda assim, há momentos agradáveis com a voz de Maya Rose. O mesmo pode-se dizer sobre o trabalho seguinte, “Symphony Shepherd” (1997), também seria o último com Guido Hieronymus. 

Popol Vuh era um grupo que quase nunca se apresentava ao vivo, como Fricke não sentia que seria possível manter o nível de intensidade necessária para um concerto completo, ele preferia aproveitar seu tempo compondo e gravando álbuns. Portanto, “Messa di Orfeo” é o único gravado ao vivo. Originalmente lançado em 1999, durante uma apresentação no Labirinto de Molfetta, Bari, Itália. Menos eletrônico e mais agradável do que os anteriores, o álbum ainda traz Maya Rose novamente nos vocais e contando com Guillermina De Gennaro (recita as 5 strofas em italiano). Messa di Orfeo é um dos trabalhos mais suaves do Popol Vuh e o último de Florian Fricke em vida. 

Na madrugada do dia 29 de dezembro de 2001, Florian Fricke faleceu calmamente na sua casa em Munique enquanto dormia, na sequência de um ataque de coração ocorrido dias antes. Ele tinha 57 anos. 

Após a morte de Florian, houve uma enxurrada de coletâneas, nem sempre boas e de origem duvidosas. Alguns lançadas como se fossem originais, é o caso de “Future Sound Experience”, de 2002; um verdadeiro retalho. Há também compilações excelentes, principalmente para os amantes dos filmes de Herzog: “The Best Of Popol Vuh: Werner Herzog” e “Nicht Hoch Im Himmel’. Outro curioso lançamento é o recente “Popol Vuh: Revisited & Remixed (1970-999)”, CD duplo que traz um CD apenas de remixes de artistas modernos que nem sempre chegam perto do nível da banda homenageada. O CD 1, peca por não abranger totalmente a carreira deles, esquecendo de incluir muitas músicas relevantes. 

Florian Fricke era a alma do Popol Vuh; a música era sua vida. Ele a via como uma forma de unir tradições musicais, conhecimento espiritual, para além de qualquer religião. Ele acreditava que as culturas deviam se encontrar umas com as outras no plano espiritual e a musica um guia para unificação do Ser.

Portanto, sempre se preocupou em atingir a alma das pessoas por meio da música. Preocupou muito com aspectos de harmonia, ritmo e frequência em sua obra. Fez pesquisa em seu tempo livre, estudando textos antigos de como a música poderia até ser usada para curar as pessoas. 

Florian disse uma vez: “ouvimos tanto, que não ouvimos mais nada, e vemos tanto, que não vemos mais nada.” 

Em outubro de 2003 Klaus Schulze escreveu: "Florian foi e continua sendo um precursor importante da música étnica e religiosa contemporânea. Ele escolheu a música eletrônica e seu grande Moog para libertar-se das restrições da música tradicional, mas logo descobriu que ele não conseguiria muito com isso e optou por um caminho mais acústico. Aqui, ele passou a criar um mundo novo, que Werner Herzog tanto amava, transformando os padrões de pensamento sobre música eletrônica para a linguagem da música étnica acústica”. Texto: Esquisitices Musicais.

Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro


Affenstunde (1970)
01. Ich mache einen Spiegel - Dream Part 4 (8:45)
02. Ich mache einen Spiegel - Dream Part 5 (4:42)
03. Ich mache einen Spiegel - Dream Part 49 (7:44)
04. Affenstunde (18:36)
05. Train Through Time (Bonus Track) (10:31)


In Den Gärten Pharaos (1971)
01. In Den Garten Pharaos (17:40)
02. Vuh (19:54)
Bonus Track Formerly Unreleased.
03. Kha-White Structures 1 (10:17)
04. Kha-White Structures 2 (10:10)


Hosianna Mantra (1972)
01. Hosianna-Mantra - Ah! (4:46)
02. Hosianna-Mantra - Kyrie (5:24)
03. Hosianna-Mantra (10:13)
04. Das V Buch Mose - 1 Abschied (3:15)
05. Das V Buch Mose - 2 Segnung (6:08)
06. Das V Buch Mose - 3 Andacht (0:48)
07. Das V Buch Mose - 4 Nicht hoch im Himmel (6:18)
08. Das V Buch Mose - 5 Andacht (0:49)
09. Maria (Ave Maria - Bonus Track) (4:30)


Seligpreisung (1973)
01. Selig Sind Die, Die Da Hungern (6:03)
02. Tanz Der Chassidim (3:18)
03. Selig Sind, Die Da Hier Weinen (5:10)
04. Selig Sind, Die Da Willig Arm Sind (3:14)
05. Selig Sind, Die Da Leid Tragen (3:40)
06. Selig Sind Die Sanftmutigen (2:34)
07. Selig Sind, Die Da Reinen Herzens Sind (2:33)
08. Ja, Sie Sollen Gottes Kinder Heissen (2:45)
09. Be In Love (Bonus Track) (5:00)


Einsjäger & Siebenjäger (1974)
01. Kleiner Krieger (1:05)
02. King Minos (4:27)
03. Morgengruss (2:58)
04. Wьrfelspiel (3:09)
05. Gutes Land (5:14)
06. Einsjäger & Siebenjäger (19:25)
07. King Minos II (1:55)
08. Wo Bist Du? (5:43)


Das Hohelied Salomos (1975)
01. Steh Auf, Zieh Mich Dir Nach (4:45)
02. Du Schonste Der Weiber (4:29)
03. In Den Nachten Auf Den Gassen I (1:34)
04. Du Sohn Davids I (2:59)
05. In Den Nachten Auf Den Gassen II (3:26)
06. Der Winter Ist Vorbei (3:43)
07. Ja, Diene Liebe Ist Su?Er Als Wein (3:37)
08. Du Sohn Davids II (3:48)
09. Du Tranke Mich Mit Deinem Kussen (5:00)
10. In Den Nachten Auf Den Gassen III (2:13)
11. Schon Bist Du Vor Menschensohnen (Alternative Session) (2:49)
12. Mitten Im Garten (Alternative Piano Version) (4:51)


Aguirre (1975)
01. Aguirre I (L Acrime Di Rei) (7:23)
02. Morgengruss II (2:56)
03. Aguirre II (6:16)
04. Agnus Dei (3:03)
05. Vergegenwartigung (16:52)
06. Aguiire III (7:17)


Letzte Tage, Letzte Nächte (1976)
01. Der Große Krieger (3:11)
02. Oh Wie Nah Ist Der Weg Hinab (4:35)
03. Oh Wie Weit Ist Der Weg Hinauf (4:33)
04. In Deine Hande (3:02)
05. Kyrie (4:35)
06. Haram Dei Raram Dei Haram Dei Ra (1:28)
07. Dort Ist Der Weg (4:29)
08. Letzte Tage - Letzte Nachte (4:24)
Bonus Tracks.
09. Wanderschaft - Wanderings (5:59)
10. Gib Hin (2:32)
11. Haram Dei Ra (6:33)


Yoga (1976)
01. Yoga 1 (3:47)
02. Yoga 2 (3:49)
03. Yoga 3 (9:29)
04. Yoga 4 (4:56)
05. Yoga 5 (5:42)
06. Yoga 6 (3:28)
07. Yoga 7 (6:08)
08. Yoga 8 (3:06)


Coeur De Verre (1977)
01. Engel Der Gegenwart (8:18)
02. Blätter Aus Dem Buch Der Kühnheit (4:19)
03. Das Lied Von Den Hohen Bergen (4:12)
04. Hüter Der Schwelle (3:47)
05. Der Ruf (4:42)
06. Singet, Denn Der Gesang Vertreibt Die Wölfe (4:15)
07. Gemeinschaft (3:50)
Bonus Tracks.
08. Auf Dem Weg-On The Way (4:42)
09. Hand In Hand In Hand (5:44)


Brьder des Schattens, Söhne Des Lichts (1978)
01. Brьder des Schattens - Sцhne des Lichts (18:51)
02. Hцre, der du wagst (5:54)
03. Das SchloЯ des Irrtums (5:38)
04. Die Umkehr (5:59)
05. Sing, For Song Drives Away The Wolves (4:16)


Nosferatu (1978)
01. Brьuder Des Schattens (5:44)
02. Hцre Der Du Wagst (6:01)
03. Der Schloss Der Irrtums (5:38)
04. Die Umkehr (5:58)
05. Mantra 1 (6:16)
06. Morning Sun (3:21)
07. Venus Principle (4:42)
08. Mantra 2 (5:23)
09. Die Nachte Der Himmel (5:04)
10. Der Ruf Der Rohrflцte (3:40)
11. To A Little Way (2:34)
12. Through Pain To Heaven (3:48)
13. On The Way (4:05)
14. Zwiesprache Der Rohrflцte (3:23)


Die Nacht Der Seele (1979)
01. Mantram Der Erdberuhrung I (2:17)
02. Engel Der Luft (2:40)
03. Mit Handen, Mit Fuben (2:53)
04. Wo Bist Du, Der Du Eberwunden Hast.. (5:43)
05. Mantram Der Erdberuhrung II (2:17)
06. Im Reich Der Schatten (2:14)
07. Wanderer Durch Die Nacht (4:10)
08. Mantram Der Herzeberuhrung I (1:52)
09. Auf Dem Weg (2:57)
10. Mantram Der Herzeberuhrung II (1:16)
11. In Der Halle Des Lernes (4:16)


Sei Still, Wisse ICH BIN (1981)
01. Wehe Khorazin (6:25)
02. Und Als ER Sah Es Geht Dem Ende Zu (7:06)
03. Garten Der Gemeinschaft (4:44)
04. Gemeinsam Aben Sie Das Brot (2:53)
05. Lab Los (6:47)
06. Gemeinsam Tranken Sie Den Wein (3:53)
07. ...Als Lebten Die Engel Auf Erden (2:13)
08. King Minos III (Studio Version) (5:03)


Agape, Agape - Love, Love (1983)
01. Hand In Hand (2:54)
02. They Danced, They Laughed, As Of Old (4:52)
03. Love, Life, Death (1:31)
04. The Christ Is Near (3:53)
05. Love-Love (5:23)
06. Behold, The Drover Summonds (5:55)
07. Agape-Agape (4:58)
08. Why Do I Still Sleep (7:59)
09. Circledance (2:35)


Spirit Of Peace (1985)
01. We Know About The Need (4:33)
02. Spirit Of Peace (7:18)
03. Song Of The Earth (8:19)
04. Take The Tension High (17:50)


Cobra Verde (1987)
01. Der Tod Des Cobra Verde (4:35)
02. Nachts: Schnee (1:51)
03. Der Marktplatz (2:31)
04. Eine Andere Welt (5:07)
05. Grab Der Mutter (4:31)
06. Die Singenden Mddchen Von Ho, Ziavi (6:53)
07. Sieh Nicht |Berm Meer Ist's (1:27)
08. Ha 'Mut, Bis Da-Die Nacht Mit Ruh' Und Stille Kommt (9:31)


For You And Me (1991)
01. For You And Me (5:27)
02. Wind Of The Stars In Their Eyes (3:05)
03. Little Bazaari (7:51)
04. Compassion (5:04)
05. When Love Is Calling You (4:14)
06. In Your Eyes (0:58)
07. OM Mani Padme Hum 1 (1:12)
08. OM Mani Padme Hum 2 (2:47)
09. OM Mani Padme Hum 3 (4:33)
10. OM Mani Padme Hum 4 (5:19)
11. For You (2:05)
12. OM Mani Padme Hum 3 (Piano Version) (4:32)


Sing, For Song Drives Away The Wolves (1993)
01. Song Of The High Mountains (6:22)
02. Pages From The Book Of Daring (3:54)
03. Dance Of The Chassidim (3:21)
04. Keepers Of The Threshold (3:36)
05. Sing, For Song Drives Away The Wolves (4:16)
06. Little Warrior (1:04)
07. Sweet Repose (1:02)
08. You Shouldn't Awake Your Beloved Before It Pleases Her (19:29)


City Raga (1995)
01. Wanted Maya (6:59)
02. Tears of Concrete (5:31)
03. Last Village (7:11)
04. City Raga (8:12)
05. Morning Raga (5:40)
06. Running Deep (6:05)
07. City Raga (Mystic House Mix) (6:48)


Shepherd's Symphony, Hirtensymphonie (1997)
01. Shepherds Of The Future (6:08)
02. Short Visit To The Great Sorcerer (6:01)
03. Wild Vine (8:29)
04. Shepherd's Dream (4:16)
05. Eternal Love (8:20)
06. Dance Of The Menads (6:24)
07. Yes (5:03)


Senha dos Arquivos: muro

Password Files: muro

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.

8 comentários :

  1. Obrigado ae Alex pela postagem.
    Grande abraço meu velho.

    ResponderExcluir
  2. Cara, se você soubesse o quanto eu procuro os discos do Popol Vuh na Rede. "Muchas Gracias Amigo", valeu mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Essa agora foi de mais, esperava tudo, quando li que a proxima postagem seria popol vuh fiquei esperando, até pensei que seria o popol vuh noruegues, foi um presente, obrigado !
    Carioca Brasil.

    ResponderExcluir
  4. popol vuh é lindo prog eletronico alemão viagem só os alemães fazem sons assim cheio de camadas,nuances e viajantes parabens por este post maravilhoso

    ResponderExcluir
  5. essa banda e a melhor alema de prog eletronico ultraviajante in der garten pharaos e demais parabns pelo inabalavel muro...

    ResponderExcluir
  6. Valeu Muro ...
    Seus arquivos e textos sempre bons e organizados. Sempre "bato" no muro quando procuro música boa. Força ao MURO C R.

    DBZ

    ResponderExcluir
  7. Uma excelente banda de rock Progressivo instrumental de primeira linha.

    ResponderExcluir

Todos comentários aparecem após a aprovação, portanto aguarde a moderação do seu comentário sem precisar repeti - ló várias vezes.

Perguntas, avisos ou problemas no blog, serão atendidos somente através do e-mail: murodoclassicrock@gmail.com

Quem insistir em escrever nos comentários será ignorado e o problema não será corrigido.

Por vários motivos esse Blog não atende pedidos de discografias, e-mails ignorando este aviso serão marcados como Spam.

Links alheios não serão permitidos.

Respeite os gostos e opiniões alheias, críticas, ofensas e discussões com palavras de baixo calão não serão permitidas.